Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Clique e veja o que acontece


Improvisadores da Ilha Terceira

por Azoriana, em 14.05.04

MARTINS, J. H. Borges. "Improvisadores da Ilha Terceira" - Suas Vidas e Cantorias, Direcção Regional dos Assuntos Culturais, Secretaria Regional da Educação e Cultura, Angra do Heroísmo, 1989.

Na explicação do autor deste livro lê-se: "95 improvisadores terceirenses foram incluídos nesta antologia. Abrangem um período notável: meados do século XIX até aos nossos dias. Não figuram todos, com certeza. Mas figuram aqueles sobre quem nos foi possível, ao longo de um moroso e difícil trabalho de pesquisa, recolher as informações consideradas necessárias."

Destes 95 improvisadores referidos, destaco agora, os que eram naturais da freguesia da Serreta, por também ser minha terra natal e apenas conheci o senhor António Machado Rodrigues e o senhor Manuel Gonçalves Correia de Melo Júnior (O Barbeiro).

Abaixo insiro um quadro resumo com os principais detalhes, retirados do livro supracitado, relativos aos improvisadores da Freguesia da Serreta, Ilha Terceira - Açores:


Nome
(a)

Conhecido por:

Pai

Mãe

Profissão

Nascimento

1 Guilherme Augusto dos Reis

O Guilherme da Venda

Agostinho José Coelho

Rosa dos Anjos

Comer-
ciante

05-01-1877

2 Francisco Caetano Diniz

O Céguinho

Manuel Caetano Diniz

Maria do Rosário

Tocador
de viola

06-03-1886

3
António Machado Rodrigues

O António Rodrigues

José Machado Rodrigues

Maria Luz

Pedreiro

06-01-1906

4
Manuel Gonçalves Correia de Melo Júnior

O Barbeiro

Manuel Gonçalves Correia de Melo

Maria da Luz Cota

Lavrador

09-12-1923

Nota: (a) Improvisadores já falecidos

Alguns excertos de improvisos, escolhidos no mesmo livro:
1 - O Guilherme da Venda em desafio com o António Rodrigues na Freguesia da Serreta:
"O Rodrigues não se espanta
É dos homens dedicados.
Porque é que o galo canta
Sempre com os olhos fechados"

2 - O "Céguinho" discutindo com vários companheiros na origem do mundo:
"Mesmo a própria Santa Virgem
Que Cristo dentro de si coube,
Do mundo qual a sua origem,
Ela mesmo nunca o soube."

3 - O António Rodrigues disse numa Briança a um certo sujeito:
"Quiseste engordar a oferta
Para ofereceres ao Divino;
Mas deixaste a porta aberta
P'ra ele fugir pró caminho."

4 - O "Barbeiro" disse num Pézinho à porta do cemitério do Livramento:
"No fundo de uma cova
Só se encontra uma ossada
A mais excelente prova
De que o homem não é nada."


Azoriana

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Os escritos são laços que
nos unem na simplicidade
do sonho... São momentos!
Rosa Silva ("Azoriana")
DATA DA CRIAÇÃO
09/04/2004

A curiosidade aliada à
necessidade criou
o 1º artigo e continuou...
DEZ ANOS
2014/04/09

Não há rima para o tempo
Mas o tempo é uma rima
Que serve de passatempo
A quem o tempo estima.


SELO
Azoriana/Açoriana Blog
Azoriana/Açoriana Blog
@ 2004 etc.
VISITAS
Até 2015/03/30 tinha um total de 537.867 visitas.
Doravante estatísticas in SAPO
MEO KANAL
Canal nº 855035 – Azoriana no MEO Kanal



ISSUU

MEO CLOUD





Links

Voz dos Açores - gravações