Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Clique se puder

DO ANO 2016
O que mais gostei de escrever:

24.10.2016

Queria ser o pôr-do-sol
Da minha pele
Desnuda
No teu horizonte.
Fixar a âncora
No teu peito
De mar brando
E amar
...
Olhando a imagem
Ao relento
De nós.


Amizade poética

por Azoriana, em 14.01.17

In Facebook - 2017/01/14

Eu hoje quero saber
Se gostam do que escrevo?
Ou se não querem mais ler
Da rima que é meu enlevo...


Rosa Silva ("Azoriana")

Resposta de João Mendonça:

As letras formam as palavras sentidas
Cujas emoções te perfuram arduamente,
Compondo versos que tocam docemente
As velhas recordações das nossas vidas…

Continua circunscrevendo a pena virtual,
No papel de vidro do progresso evidente,
Não te preocupes que leiam no presente
Porque cada palavra escrita é intemporal.

Gera as palavras que abotoaste no coração,
Retalha as trovas que assentem a emoção
E atira-as ao ar como sendo grãos d’areia.

Reparte pelos teus admiradores sedentos
Suspiros de poesia, ditosos momentos,
Como se fosse pão e vinho na última ceia.

Meu agradecimento:

Não me canso de ler as tuas linhas
Tecidas com doçura para mim
Como o açúcar do doce alfenim
Em mãos que jamais serão minhas.

As letras que fizeste andorinhas
Ficam como um presente até ao fim
E sei que por seres tão bom assim
As tuas são c'roadas como rainhas.

Agualva, Porto Judeu e a Serreta,
S. Carlos juntam-se numa faceta
Que faz jus à criação verdadeira.

Em rima e prosa abençoe-nos Deus
Nos escritos de brilhos teus e menos meus;
Ficam gravados nos ares d'além Terceira.

Rosa Silva ("Azoriana")

De Margarida Almeida

Esta quadra te vou fazer,
Para ti minha amiga querida
Para te agradecer
Para o resto da minha vida.

As tuas quadras são belas
Com valor sentimental
Eu gosto muito delas
Para mim és imortal.

Quem delas não gostar
Deve seguir em frente
É porque não sabe improvisar
Como a rainha deste momento.

Essa rainha da prosa
Que muitos a conhecem
É chamada de Rosa
E que de ti não se esquecem.

És rainha do improviso
E também da prosa
Só quem não tem juízo
A que não gosta da Rosa.

Esta última vou fazer,
Em forma de dedicação;
Um beijinho vais receber
Direitinho no teu coração.

Minha resposta:

Ó querida Margarida
Tua rima é um condão
Que te surgiu em vida
Pra bordar teu coração.

De Margarida Almeida:

Eu muito agradeço
Essa tua dedicação;
A amizade não tem preço,
Amiga estás no meu coração!

Victor Teixeira

Aquele bom apreciador
Sente o poeta e sua dor
Participa sem entrar em cena
Mesmo sendo um em cem
O poeta fica sabendo bem
Que afinal vale sempre a pena!

Emanuel Ávila

Amiga Rosa da rima
Quero dizer com estima
Como estou a vontade...
És poeta de valia
Amiga com alegria
Um tesouro de felicidade.

Rui Nogueira

Rosa continua a escrever
Demonstra tua ideia
O que não quiser ler
Olha não leia.

Ele tem toda a razão
Abre teu coração
E escreve a fundo
Não te preocupes amiga
O importante é a cantiga
Dar a volta ao Mundo.

Jorge Morais

Rosa põe no papel
E traça com teu cinzel
O que te vai no coração
Pode haver quem ler não queira
Mas de uma ou outra maneira
Chamas sempre a atenção.

Rosa Silva responde:

Agradeço a todos por me darem incentivo
E portanto eu vos digo que mantenho o escrito vivo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

A Ponta da Fajã (da Serreta)

por Azoriana, em 14.01.17


É da ilha um recorte
Em beleza de rochedo
Alegre de sul a norte
Que desenho só com um dedo.

Na ponta se queima a sorte
De quem partiu com medo
Mas a rocha tem suporte.
E o Farol quebra o degredo.

Seu celeiro foi Fajã
Da ponta vi seu retrato
Mais a ave que lhe é chã.

É vistosa no Verão
A natura que relato
Da Serreta o coração.

Rosa Silva (“Azoriana”)

Autoria e outros dados (tags, etc)

Ao conto serretense

por Azoriana, em 14.01.17

Contos com pão

Esta cozinha de outrora
É um bálsamo, tem magia,
Fez-se em contos de agora
Como outrora se fazia.

Uma cozinha com arco
Entre-lar e a chaminé
Onde o conto não é parco
É de quem sabe como é.

Na Serreta de hoje-em-dia
Acontecem cousas belas
Se eu pudesse eu vivia
Numa de algumas janelas.

Ó minha Mãe Padroeira
Faz meu Bem acontecer
De voltar à tua beira
No ponto do anoitecer.

Rosa Silva ("Azoriana")

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Os escritos são laços que
nos unem na simplicidade
do sonho... São momentos!
Rosa Silva ("Azoriana")
DATA DA CRIAÇÃO
09/04/2004

A curiosidade aliada à
necessidade criou
o 1º artigo e continuou...
DEZ ANOS
2014/04/09

Não há rima para o tempo
Mas o tempo é uma rima
Que serve de passatempo
A quem o tempo estima.


SELO
Azoriana/Açoriana Blog
Azoriana/Açoriana Blog
@ 2004 etc.
VISITAS
Até 2015/03/30 tinha um total de 537.867 visitas.
Doravante estatísticas in SAPO
MEO KANAL
Canal nº 855035 – Azoriana no MEO Kanal



ISSUU

MEO CLOUD





Links

Voz dos Açores - gravações