Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Clique e veja o que acontece

DO ANO 2016
O que mais gostei de escrever:

24.10.2016

Queria ser o pôr-do-sol
Da minha pele
Desnuda
No teu horizonte.
Fixar a âncora
No teu peito
De mar brando
E amar
...
Olhando a imagem
Ao relento
De nós.


Cento e dez anos aponta
O alto do campanário
Em alegria se apronta
O eco do aniversário.

Era sábado, festa pronta,
Assentou o breviário,
Antevéspera hoje na conta
E véspera do novenário (*).

Filarmónica é também
Um brilharete de agosto
No nome que ela contém.

É Recreio Serretense
Por alvará lhe foi posto
E em justa festa vence.

Rosa Silva ("Azoriana")

 

(*) No primeiro dia de setembro 2017 (dedicado à Filarmónica Recreio Serretense) inicia-se a novena a Nossa Senhora dos Milagres, preparatória da sua Festa que é de 9 a 14, segunda semana do mesmo mês.

Artigo relacionado

Autoria e outros dados (tags, etc)

Paróquia da Serreta

Completam-se cento e dez anos da Paróquia serretense de Nossa Senhora dos Milagres. "O novo templo, que subsiste, foi inaugurado em 31 de Agosto de 1907", segundo a fonte Wikipédia, no capítulo de "A evolução da freguesia". Noutro capítulo "A construção da igreja e a elevação a freguesia" menciona-se o facto:

"A igreja cedo se mostrou pequena para albergar os devotos de Nossa Senhora dos Milagres e poucas décadas depois da sua abertura ao culto, já se pensava na construção de uma nova e mais ampla. Esta necessidade foi tornada mais aguda quando, com efeitos a 1 de Janeiro de 1862, o até então curato da Serreta foi elevado à dignidade de paróquia independente por decisão de D. frei Estêvão de Jesus Maria, precedida de decreto real.

Reunidos os apoios necessários, o lançamento da primeira pedra da novo igreja, construída do lado oposto da estrada em relação à existente, foi feito em solenidade realizada a 29 de Abril de 1895. Presidiu ao acto, que foi largamente concorrido, o bispo D. Francisco José Ribeiro Vieira e Brito.

A sua construção foi demorada, com as obras a sofrer interrupção por falta de recursos. Apenas decorridos doze anos a obra ficou em condições de ser aberta ao culto. A cerimónia da bênção decorreu a 31 de Agosto de 1907, num sábado, em ambiente de grande festa. Era pároco da freguesia o padre José Leal da Silva Furtado, que ali serviu entre 3 de Setembro de 1906 e 28 de Dezembro de 1925.

O novo templo, que ainda hoje existe, é de traça airosa, com 19 m de altura no frontispício até à base da cruz e 10,75 m de largura. A torre sineira única tem 23 metros de altura. O interior é de uma só nave, com 19,80 m por 9,60 m. Na abside, para além da imagem da padroeira, tem sobre o sacrário um valioso Cristo de marfim indo-português do século XVII, com dimensões fora do comum. No corpo tem dois altares, um de cada lado".

Nota bem: A 4 de Dezembro de 1873 foi fundada sob a denominação de Filarmónica Serretense Social de Instrução e Recreio uma agremiação filarmónica que é hoje a mais antiga da ilha Terceira. A designação passou a ser Filarmónica de Recreio Serretense por estatutos datados de 28 de Setembro de 1932 e aprovados por alvará do Governo Civil de Angra do Heroísmo datado de 31 de Agosto de 1935."

Completa hoje, 31/08/2017, oitenta e dois anos sobre a aprovação do alvará para o nome oficial da Filarmónica da Serreta.

Fonte: Serreta na Wikipédia.

Templo festivo

Campanário de bagacina,
Branca pomes serretense,
Abunda em verde colina
E grande altar terceirense.

Belo solar se destina
À Mãe que em tanta fé vence
Honrando a nobre doutrina
Que de cedo lhe pertence.

Templo da Mãe milagrosa
Virgem Santa padroeira
De romeiros desejosa.

Somos flores nos caminhos
Da risonha ilha Terceira
Festiva de mais carinhos.

Rosa Silva ("Azoriana")

Autoria e outros dados (tags, etc)

Perfume da palavra

por Azoriana, em 13.08.17

A arte de escrever,
Meus amigos podem crer,
Não é algo incomum.
No entanto, se há empenho,
Adequa-se ao desenho
Da alma de cada um.

Quem gostar do que escreve,
Mesmo que seja ao de leve,
É meio caminho tido
P'ra se dar sem receber,
Numa oferta que é de ler,
Tudo o que tem produzido.

Se comunga inspiração,
E abraça a ocasião,
Nascem odes encantadas:
Basta ser o que se é,
Deixar voar sua fé,
Nas linhas que são criadas.

Pode ser mais popular,
Erudito ou singular,
Autenticidade pura;
Quem escreve o bem que sente,
Se pensado ou num repente,
Faz-se em alma da cultura.

Há mensagem que encima,
Ou serve a chave da rima,
Toada que vem no fim...
Por mim gosto de escutar
O que o coração ditar
Na hora que sai de mim.

Urge agora vos dizer
Que não vale acontecer
A frontal comparação:
Nem é bom, nem é ruim...
Nem as flores de um jardim
Tem exata floração.

Dizer mais até me atrevo,
E digo mais do que devo,
Porque o dever me assiste:
Quem brotar da sua lavra
O perfume da palavra
Certamente que ela persiste.

A palavra auspiciosa
Tem o perfume de rosa
No peito da escritura;
Regue essa palavra então
Com a fonte de inspiração
No corpo da assinatura.

Rosa Silva ("Azoriana")

P. S. O título só veio após as oito sextilhas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Pág. 1/4



Mais sobre mim

foto do autor


Os escritos são laços que
nos unem na simplicidade
do sonho... São momentos!
Rosa Silva ("Azoriana")
DATA DA CRIAÇÃO
09/04/2004

A curiosidade aliada à
necessidade criou
o 1º artigo e continuou...
DEZ ANOS
2014/04/09

Não há rima para o tempo
Mas o tempo é uma rima
Que serve de passatempo
A quem o tempo estima.


SELO
Azoriana/Açoriana Blog
Azoriana/Açoriana Blog
@ 2004 etc.
VISITAS
Até 2015/03/30 tinha um total de 537.867 visitas.
Doravante estatísticas in SAPO
MEO KANAL
Canal nº 855035 – Azoriana no MEO Kanal



ISSUU

MEO CLOUD





Links

Voz dos Açores - gravações