Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]


Clique e veja o que acontece

DO ANO 2016
O que mais gostei de escrever:

24.10.2016

Queria ser o pôr-do-sol
Da minha pele
Desnuda
No teu horizonte.
Fixar a âncora
No teu peito
De mar brando
E amar
...
Olhando a imagem
Ao relento
De nós.


Internet, amiga da solidão

por Azoriana, em 03.03.10

Dedicatória, a propósito do artigo de C.B.S. - Clarisse Barata Sanches:
A Internet

Querida amiga Clarisse
Gostei do seu bom rimar;
A solidão, já se disse,
Teima em se propagar.

Nasceu o mundo virtual
E a ele nos ligamos:
Se é feliz, é bom sinal,
Mas plo real é que vamos.

Quando falta o afecto
Numa pessoa de bem
É como não ter um tecto
Na casinha que se tem.

Se tem Deus por companhia
Nas horas de dissabores
Pode ter a garantia
De suavizar seus clamores.

Nos Açores, ilha Terceira,
Tem uma amiga, com rosto,
Que sonha ser cantadeira
Por já ter tomado o gosto.

O melhor é vir para cá,
Há sempre festa a eito,
A solidão só a há
Quando se queda no leito.

No leito da solidão
Há os lençóis de tristeza
Quando não se tem à mão
O saber e a gentileza.

Eu não sei o meu futuro
Nem sei se vou lá chegar
No presente, até lhe juro,
Que gostei de a encontrar.

Em Góis, falou de mim,
E da minha cidade bela,
Conheceu nosso alfenim
E os ares desta janela.

Uma janela sempre aberta
Para a rima espairecer
Uma quadra sempre alerta
Para não me esquecer.

Um abraço de homenagem
Em vida tem mais valor
Nesta virtual passagem
Vai nas asas de um Açor.

Estimo a sua ideia,
Num soneto a florir;
Tem a sua casa cheia
De gente que a faz sorrir.

O sorriso da Terceira
Que voe, assim, bonito
Pra durar a vida inteira
Nesse blogue favorito.

As palavras que nos dá
São presentes asseados
No coração estão já
Com o melhor dos agrados.

Rosa Silva ("Azoriana")

A resposta de C.B.S.

Agradeço o rimar, Rosa Maria,
Da “fonte” a jorrar água com fartura
Que me conforta a sede, a nostalgia
E abranda toda a minha desventura!

Internet foi um Bem de se abraçar…
Sem ela, logo vinha a sepultura.
Parabéns para quem soube inventar
Este trem que nos dá muita ternura!

Temos à porta o dia da Mulher,
Que ele seja pra si como quiser
E faça-lhe uma quadra linda e sã.

A Mulher que Deus fez duma costela
De Adão para amparar-se sempre a ela.
Mas foi mau cobiçar uma maçã.

Um abraço e boa saúde


Clarisse Barata Sanches

Autoria e outros dados (tags, etc)


1 comentário

Sem imagem de perfil

De Lena a 04.03.2010 às 09:48

Olá Rosa!
Parabéns pela merecida vitória e pelos merecidos prémios :)
Agora é dar um saltinho ao seu mail e mandar os dados: nome completo e morada para o mail aminhaldeia@sapo.pt (mailto:aminhaldeia@sapo.pt), afim de lhe enviarmos os prémios :)
Parabéns, ama a sua terra e isso nota-se em todas as suas belas rimas
Jocas gordas
Lena

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Os escritos são laços que
nos unem na simplicidade
do sonho... São momentos!
Rosa Silva ("Azoriana")
DATA DA CRIAÇÃO
09/04/2004

A curiosidade aliada à
necessidade criou
o 1º artigo e continuou...
DEZ ANOS
2014/04/09

Não há rima para o tempo
Mas o tempo é uma rima
Que serve de passatempo
A quem o tempo estima.


SELO
Azoriana/Açoriana Blog
Azoriana/Açoriana Blog
@ 2004 etc.
VISITAS
Até 2015/03/30 tinha um total de 537.867 visitas.
Doravante estatísticas in SAPO
MEO KANAL
Canal nº 855035 – Azoriana no MEO Kanal



ISSUU

MEO CLOUD





Links

Voz dos Açores - gravações