Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Clique e veja o que acontece

DO ANO 2016
O que mais gostei de escrever:

24.10.2016

Queria ser o pôr-do-sol
Da minha pele
Desnuda
No teu horizonte.
Fixar a âncora
No teu peito
De mar brando
E amar
...
Olhando a imagem
Ao relento
De nós.


Um olhar terceirense (coletânea)

por Azoriana, em 31.12.05

Um olhar terceirense

Rosa Silva (“Azoriana”)

 

Aberração!

 

Pedaços de escrita

enlatada

martelada num teclado

dum pensamento obstruído

beijado

sorridente

chorado

morto devagar

desaparecido num tornado

enrolado numa nuvem

envolta num estrelado

de uma ilusão

de um momento

ódio do medo constante

de estar

de não ser caracter de papel

da árvore bendita...

 

Escritos enlaçados

arquivados

Onde estás Poesia!?

Quem te ama!? Quem vê a tua beleza!? Onde mora essa arte?

Hoje, há aberração... desilusão...

Carregam-se sacos cheios de mudança parada...

Limpam-se paredes de misérias caladas...

Pagam-se faturas de flagelos atordoados

Aberração!

Essa maldita farpa que espeta até fazer sangrar o coração...

 

Tu, Poeta,

és de ouro puro,

tens as pérolas sábias do escrever.

Eu não sei usar as palavras...

Sei apenas transcrever o que me dita o coração...

E hoje este coração está em aberração... Só aberração!

2004-12-06

 

 

Açores

 

Açores

terras limpas

de cores

e belas flores

 

o paraíso vivo

onde melros-pretos

as toutinegras

e demais avezinhas

chilreiam na passagem

 

Não! Não é miragem...

 

O campo abre-se fresco

longe de todo o resto

e

leva-se saudade

quando se parte a debalde.

 

Açores

nove sementes

de cores diferentes

com alma

e

coração...

 

Deus dá-lhes a Mão!

2005-10-29

 

 

Adoro rosas...

 

É tão boa a dádiva de rosa, com a cor da amizade...

Obrigado a ti... Que me lês!

2005-08-08

 

 

A imagem

 

"cheiro a terra e a orvalho"

No campo onde trabalho

Cheira a amor e fantasia

A terra nasce com o dia

 

E na profundeza da alma

O orvalho lava-me!

2005-06-08

 

 

Amanhecer

 

Num retângulo mansinho

adormeço minha razão

enquanto devagarinho

tu acordas minha mão.

 

Brilha o raio singelo

dando folga à escuridão

para que o pobre chinelo

não tropece em vão.

 

Mais uma hora balança

a porta, destino certo,

outra estrela que avança

para de mim ficar perto.

 

Meu rosto bebe sua luz

e o sorriso acontece

é o que mais me seduz

logo quando amanhece!

 

Haja o que houver

que haja sempre Sol!

Haja o que houver

que sejas meu farol!

2005-04-12

 

 

Anjo da Guarda

 

Liberta-me esta amargura que me queima o riso

Afaga esta voz calada que me deixa inerte

Sinto a dor querer fugir a galope para de novo voltar

 

nada acontece... a força esvoaça

 

quero abrir meu coração à alegria

 

preciso de paz

preciso de seguir a minha viagem

não consigo evitar os obstáculos

por isso,

rogo-te:

 

Anjo da Guarda,

minha companhia

Guardai a minha alma

de noite e de dia!

2005-04-04

 

 

Aproveitem a vida!

 

Esta passagem é tão estreita: um dia, uma noite, uma manhã...

Não é exagero o que aqui escrevi!?

Um dia somos felizes, um dia somos aprendizes...

Num dia,

Numa noite,

Numa manhã:

Tudo acontece...

Colhe uma flor, dá o teu amor, tenta parar as trevas da guerra.

Então dir-me-ás:

"Acreditas nisso! Grande é a tua utopia! Não vives neste mundo!? Que ingenuidade é a tua!?"

Responder-te-ei:

- Tens razão. É verdade!

Acho que não "vivo" neste mundo.

Vivo no meu sonho, no meu profundo sono,

deixo seguir o rumo de um dia, de uma noite e de uma manhã,

por mais inquietante que seja.

2004-11-19

 

 

Arco-íris

 

Já sequei a queda d'água

na minha almofada de aguarelas

 

O mar estava arrepiado...

talvez estivesse à espera do sorriso

que lhe foi negado.

 

No virar da onda eu li que:

Enquanto eu estiver aqui tu também estás,

e vais recolhendo as minhas

e tantas águas mais...

 

Elas caem

destas torrentes da vida

que sofre com crises dos novos

e o padecer dos velhinhos...

 

Afinal...

 

Tantos olham o arco-íris

e as aguarelas!

2005-11-08

 

 

Arte

 

Arte ó coisa bela

que até me deixa suspensa

como poderei tê-la

sempre na minha presença?!

 

Dentro do meu coração

lutam artes duvidosas

é com grande emoção

que as coloco amorosas.

 

Eu amo tudo o que é belo

mesmo que feio possa ser

há-de haver algo singelo

que me faça envaidecer!

 

Será que a arte tem graça?

será que tem algum proveito?

olha como cada ser passa

nem sempre tudo é perfeito.

 

Deixo-me ficar a ver a arte

que seduz qualquer olhar

ela está em toda a parte

haja tempo neste sonhar!

2005-06-30

 

 

Atordoada

 

Estou atordoada

nem consigo pensar,

por causa da Fada

que comigo veio falar.

 

Mostrou-me sonhos mil

por campo ou por mares;

eu até sinto-me febril

no gosto desses olhares.

 

Será que a Fada vai voltar?!

Será que nos vai dar a mão?!

Não nos deixes naufragar

num mundo de ilusão...

 

Quando voltares ao meu lar

alinha-me o pensamento

é que não posso voar

à mercê de qualquer vento!

 

Desenho um sonho no escuro

na esperança de céu estrelado

escolho o caminho mais seguro

para ver o sonho realizado:

 

- Um mundo sem fome, sem dor,

e alegria no olhar das crianças;

os velhinhos com mais amor

e os pobres ricos de esperanças.

 

Mas para que possa acontecer

tamanha felicidade...

a Fada vai ter de esclarecer

o porquê desta ansiedade.

2005-11-22

 

 

Avistar

 

Quem me dera ser

a paz pura das águas que vi tranquilas

pelo rasgo do casario

cá de cima até ao muro

que te separa de mim...

 

A tua calma contagiou-me,

o meu passo recua para avistar-te:

és o espelho do manto verde desse Monte;

és o mar plasmado na ilha

onde a vida e a morte sempre se noticia...

2005-04-15

 

 

Bio[grafia]

 

As águas cantaram

rasgadas numa tarde de Abril

e eu nasci

nas mãos que me lavaram

na nova luz.

 

Recebi o perfume

das águas bentas.

 

Espiguei entre

[chuvas e sóis]

choros e alegrias

fantasias de abraços

nos dias e noites

voltados p'ra ilha

assente nas águas

que brindaram

o meu olhar

de

água...

 

que vive!

2005-10-30

 

 

Caminhar

 

Absorvo uns dias para pensar

Sonho que nada consigo escrever

Há espinhos que demoram a curar

E tanto que nos fazem sofrer

Vinte e oito dias de Março

Encobertos no ano dois mil e cinco

Quero sorrir à flor no meu braço

Nem sei dizer-lhe o que sinto!

 

A Páscoa é a Festa da Vida

Lembra-nos que Deus voltou a brilhar

Uma prece eu tenho, muito sentida,

Ajuda-me Senhor neste caminhar!

2005-03-28

 

 

Claridade

 

olhar-te...

 

Há olhos

   que trabalham

   que vivem

   em sobressalto.

 

Há olhares

   que se cruzam

   não silenciam o brilho.

 

Há...

cores em delírio.

 

   espelhos com alma

   de tão bonitos!

2005-07-07

 

 

De cá para lá

 

Nesta ilha onde pernoito,

Algures num vasto oceano,

Trago a certeza no pensar,

Que és um ser sempre afoito,

Sinto que aqui não há engano...

 

Nestas linhas de ternura,

Envio-te o Sol, plena luz,

Quando chegar ao teu lar,

Lembra-te que é aragem pura,

O que esta mensagem conduz...

 

Espreito o dia que virás,

Nas asas de tão grande ave,

Uma viagem entre nuvens,

Sei que no Monte pousarás,

Ninguém colocará entrave...

 

Numas quintilhas emotivas,

Brinquei com algumas letrinhas,

Desenhei ao som deste sentir,

Rabisquei com cores bem vivas:

- Abraço nestas poucas linhas!

 

[O abraço da Ilha]

 

- para ti que ainda me lês -

2005-05-23

 

 

De onde sou

 

Sou da Vassoura

a Canada que riu

e o mar estava todo a fio...

 

Foi ali que te conheci,

Doce Mar:

Eu sempre te admirei!

 

Falei contigo sobre a Canada

que se ligava à pequena serra:

Serreta

Quantas vassouras Deus te deu?

Tantas e hoje poucas...

E o nome dado ao caminho

Que ouviu o meu chegar:

Esse o meu ninho!

2005-07-02

 

 

Desenho folhas

 

Ai, folhas, folhinhas

de cores maduras

amarelas

escuras

de tantas nervuras!

 

Brinco com elas

deixo-as cair

nem importa se são belas

eu gosto, assim... amarelas!

2005-04-13

 

 

Dia da Poesia e...

 

14 de Março - Dia da Poesia

 

Escolheram bem a dedicatória ao dia

e eu lembrei-me de ti "Sonhos de Poeta"

porque este dia não é só um dia

são todos juntos num viver

de momentos áureos de sonhos,

dos teus sonhos... tantos sonhos!

 

Se dizem que hoje é dia da Poesia

então hoje és o meu Ídolo

porque contigo há Poesia!

 

Era dia de aniversário da minha Mãe!

Só agora o fiz especial: o Dia e a Mãe...

2005-03-14

 

 

Ensaio p'ra São João

 

Na Baía o São João

alegre vai a cantar

colorido é o balão

para o porto enfeitar.

 

Venham todos à Terceira

Embalados pelo mar

Um baile feito n'areia

E nas fogueiras saltar.

 

Vamos, toca a marchar

pelas ruas da cidade

Angra é amiga do mar

ao leme vem a saudade.

Vamos, toca a sorrir

pelas ruas da cidade

Brava Gente a colorir

este jardim d'amizade.

 

Foguetes riscam os céus

a lua beija a Marina

o reflexo vem de Deus

Encanta a nossa Rainha!

 

Angra bela cidade

entre festas e arraiais

ternura em qualquer idade

embeleza o nosso cais.

2005-05-26

 

 

És Baía de Encanto

 

Fascínio da profundeza

Viagem prestimosa

passadeira arenosa

de tesouros submersos

descobertas longínquas

repousam em silêncio

na Baía de Angra

 

património subaquático

em "Cemitério das Ancoras"!

2005-02-25

 

 

Folha caída

 

Minha surdina é não me apetecer filtrar a névoa da alma.

Quero ficar dentro de mim onde tudo se amontoa num tempo

não consigo desenhar um caminho para outro deserto.

Adormeci-me, acordada, como folha caída e inanimada...

a noite toma conta de mim por um dia...

Vem e alegra-me algum som,

não me deixes vazia

faz da minha noite... dia!

2005-03-11

 

 

Fugitiva

 

Meu nome nem vem ao caso, sou apenas uma mulher fugitiva.

Vim à cidade para fugir do meu viver trapalhão.

Fugi das terras altas, das florestas, das batalhas, das guerras... e faz hoje precisamente três anos de fuga.

Dou-me bem nesta calma citadina e não lamento a minha fuga. Apenas lamento não estar despreza das correntes que amarram as minhas mãos.

O meu pensamento está livre e tenho que abrir os elos destas malditas correntes...

Onde estará a chave mestra?

A chave ainda está fora do meu alcance e preciso assinar a libertação que ainda está por escrever...

Será que já não a saberei ler?

Custa-me a crer...

O tempo corre devagar, devagarinho, parado...

Está ficando tarde, muito tarde... tenho pressa de me libertar...

Quando, enfim, irei parar de fugir? Não tenho mais medo de ter medo de parar de fugir...

Quem para esta fugitiva sem sentido?

Só eu posso parar esta corrida, só eu posso limitar a minha meta...

Estas correntes apertam demais as minhas mãos.

Tenho de cortar a fita que une os dois lados, sem sequer ousar olhar para trás.

Tenho que começar nova corrida com alegria e vida.

Preciso encontrar a chave... Tenho que a encontrar.

Será que ela está dentro de mim!?

2005-02-10

 

 

Há outra de mim

 

Há outra de mim

sempre

eu não sou eu

há outra que me engana, que me magoa

há outra que ..., foge, embirra

há outra que ..., ... , ama

mas eu ...

eu sou tragicamente nula

vazia

malditamente ...

sem sinais de vida

perdida

sem dó nem piedade

apenas hoje serei verdade

e a verdade matar-me-á

enforcada em mim

na negritude

apenas a luz das crianças

eu amo os meus filhos

eles nasceram de mim

tiveram dentro de mim 9 + 9 + 9

eles estão à frente seja de quem for

vinte e sete meses de esperança

 

Deus é grande

 

eu queria pedir perdão a muita gente

eu queria mudar minha vida

eu queria ser outra mas não sei ser outra

eu sou apenas eu

.

e

.

m

a

i

s

.

n

a

d

a

.

.

.

2005-03-16

 

 

Horas efervescentes

 

Das tuas mãos nascem

as palavras

efervescentes

com sementes d'encanto

 

As mãos que amam

e se juntam

noutras mãos

e vivem!

 

 

Lábios

 

Que beleza tem o Beijo!

 

A saudade

estreita-me os lábios

por um beijo

que envolve os sentidos

e fica gravado no coração

com doçura.

 

As saudades de um beijo!

 

[lábios donde fugiram os beijos]

2005-10-14

 

 

Leituras

 

O sono foge-me devagar. Nem sei bem porquê... (ou até sei!).

Navego em pensamentos intranquilos por não conseguir apagá-los...

Perco-me nas vestimentas asseadas de leituras variadas,

obras de mil talentos que enriquecem as pausas do meu adormecer...

 

É verdade! Rendo-me, com encontro marcado, a esta nova paixão,

teimo em conhecer mentes fabulosas que, em horas atentas,

delinearam lírios de um sentir profundo.

 

Quase não dou tempo ao tempo de dormir!

Caio nesses talentos que não me ferem o cérebro,

mas dão-lhe sorrisos... ou choros...

Apetece-me devorar as páginas dos sonhos de olhos bem abertos...

 

Já não me sinto só: eu leio e releio o muito que aprendo!

No entanto, sei que sou mulher sem talentos em espaços do meu tempo...

Preciso é adormecer feliz!

2005-02-26

 

 

Lenço

 

Antes que eu parta

para aquele alicerce fundo

deixo-te uma flor

da minha alegria...

 

Se vires um lenço branco

voando por entre as nuvens,

sou eu ao teu encontro!

 

É que eu vim de tão longe

na mira de um beijo

vestido de luar...

2005-08-08

 

 

Magia

 

Pedi uma flor

deram-me um sorriso.

Pedi um amor

deram-me o paraíso...

No paraíso fiquei

sem idade para voltar

do sonho acordei

com vontade de cantar.

 

Pedi de novo o sono

deram-me a noite.

Pedi o dia

e ele veio como por magia...

e a felicidade desse dia, é a fonte da minha alegria

por um dia!

2005-05-21

 

 

Menino de rua

 

Menino perdido

no Sol e na Lua

Menino querido

que sina é a tua?

 

Vestes o luar

ris com as estrelas

só não podes voar

para junto delas.

 

Menino de rua

tens uma missão

procuras ternura

p’ró teu coração.

 

Eu quero louvar

o Deus que te guia

Ele vai-te amar

e dar luz ao teu dia!

2005-06-22

 

 

Moinho dos Sonhos

 

Agora

as pás

já não cantam ao toque do vento veloz

a pedra

já não mói o grão da fartura

o taleigo

já não pesa no quadril,

a maquia

já não faz falta ao moleiro

que partiu, talvez a sorrir...

 

a lembrança

paira na alvura feita fatia

(o sustento de tantos sonhos

no rescaldo do forno da saudade

que aquecia os corações risonhos

reunidos à luz da griseta).

 

Tu...

não estás,

mas o teu perfume permanece à porta do moinho...

dos sonhos!

2005-05-21

 

 

Nas mãos de um amor

 

Fogo,

que te manténs no ser

banha-me de ternura e amor

faz-me vibrar como rosa desfolhada nas mãos de um amor,

ferve, ser estridente lança teus ais zelosos,

geme,

não és indiferente aos sons de um cantar,

brilha,

beija,

encanta,

fervilha,

no ser a teu lado neste encanto

num som,

mais som,

alto, alto, lindo, lindo...

grande tom entra profundo em mim,

lembra-te que não é o fim

apenas o começo de um movimento

que revela o desalento de tão belo momento...

2004-11-18

 

 

Nesta ilha

 

Nesta ilha

... que piso todos os dias e coloco a minha imagem

o sol dá-me forças e o mar tempera-me as ideias

não me sinto nem boa nem má sinto-me fraca

num voo que não tem fim que passa para além céu

 

... que me arrebita o despertar para novas realidades

e não me deixa esconder o riso ou o cântico das lágrimas

não me sinto nem boa nem má sinto-me vulcânica

de pedra e lava - que hoje não vi - mas está em mim

 

... que foi a que me registou no seu seio e me beijou devagar

deu-me tanto e plantou o nada mas sobrevivo aqui ancorada

não quero rir com vontade de chorar

não quero chorar por fingir que estava a rir

Nesta ilha

que sou eu e não sei de mim.

2005-08-28

 

 

O beijo!

 

"One, Two, Three..." (1,2,3...)

 

O ser

Na sede

Entreaberta

 

Teu dia

White, Blue & Rose

Oásis de amor

 

Teu ser

Hoje sorrindo

Recebe

Emoções

 

E sonha em infinito.

2004-12-22

 

 

Obra na tela

 

Entre plumas e rosas

se fazem os melhores quadros

 

a natureza é meiga

e faz nascer a beleza

num pincel de artista.

 

atrás de uma primavera

esconde-se o vento...

que sopra, sopra

e leva a tela.

 

Nunca se prenda o vento

ele é mais forte que a tela.

2005-11-07

 

 

Ontem, hoje, amanhã...

 

Pensar que hoje,

 

tal como ontem,

 

não sei peneirar os meus versos

 

apeteceu-me, apenas,

debulhar palavras ao vento

e escolher as singelas rajadas

espalhadas no tempo.

 

 

Viver hoje

 

é pensar que,

 

talvez amanhã

as migalhas de uma vida

não sejam réstias perdidas.

 

Escreve o meu nome

numa árvore

e...

 

lavra-me à tardinha!

2005-06-07

 

 

O que é amar?!

 

Amar

está na vontade...

na vontade de viver!

 

Amar

é bem querer

mesmo que isso faça sofrer!

 

Pode-se até calar a dor

mas nunca o amor

 

eu canto o amor à poesia

que leio de noite e de dia.

2005-08-21

 

 

O que eu sou!

 

Se eu fosse uma estrela

Vivesse abaixo das águas

De certeza que as mágoas

Fugiriam logo dela.

 

Se eu fosse um passarinho

De mil penas coloridas

Dar-te-ia boas guaridas

Bordadas em amor e carinho.

 

Se eu fosse jovem mulher

Com alegria no coração

Abraçaria com emoção

Quem me quisesse acolher.

 

Mas não sou aquela estrela

Nem tão pouco passarinho

Até caiu o meu ninho

Sou mulher e sou singela.

 

Apetece-me flor branca

Amarela ou rosada

Gostava de ser bem-amada

Esta palavra tão franca.

 

Há sonhos que não amanhecem

Escondem-se no teu mar,

Não há forma de os chamar

Tão longe se desvanecem.

 

Pedi à estrela que flameja

Que levasse o tal recado

Com um sorriso embrulhado

Pode ser que assim te veja...

2005-07-08

 

 

Passadas leves

 

Não deixam traços

os teus passos na calçada,

porque não estás mais aqui.

 

Não deixam fios

os teus cabelos cinzelados,

que não vejo ao meu lado.

 

Só ouço o eco

das tuas passadas leves,

que passeiam no meu coração.

 

Tuas passadas,

passadas leves...

guardadas em linda estação!

2005-04-27

 

 

Pela amizade

 

Não há bem mais precioso

Que o tesouro d'amizade

O coração honrado e doce

No gosto p'la sinceridade.

 

Nas lágrimas ou nos sorrisos

Amizade é ombro qu'aguenta

Dá conselhos e bons avisos

Quando algo nos apoquenta.

 

A vida é tão passageira

Por entre ruas e travessas

A amizade verdadeira

Não deixa nada às avessas.

 

A ribeira corre p’ró mar

Em desafios constantes

A amizade quebra a tristeza

Quando estamos tão distantes.

 

Um abraço é ternura

P'ro coração saudoso

A amizade é a doçura

Um presente carinhoso!

2005-04-21

 

 

Pessoas Salvam Pessoas (PSP)

 

Os Polícias Açorianos,

 

Homens fardados, olhar atento,

Esteja sol, chuva ou vento,

Nunca perdem aquele alento,

E salvam os seres humanos.

 

Um Polícia é um amigo,

Que devemos agradecer,

Naquelas horas de perigo,

Está pronto a socorrer.

 

PSP Polícia de Segurança Pública

Um grande e superior tema,

PSP "Pessoas Salvam Pessoas"

"Firmes na Razão" é o seu lema.

 

Uma causa justa tem de abraçar,

Em qualquer estado de espírito,

Nunca podem recuar a salvar,

Eis a razão deste meu escrito:

 

Uma homenagem para eles

Todos merecem incentivos,

As insígnias nas mãos deles,

Carregam alertas aos vivos.

2004-10-27

 

 

Porquê?

 

Porque me fizeste terra com montanhas?

Porque me fizeste casa com formatos?

Porque me fizeste rua com valetas?

 

Porque me deste luz para eu ver asfaltos?

Porque me deste abalos para eu tremer?

Porque me deste degraus para eu tropeçar?

 

Porque esta pedra com v.i.d.a.? Porquê?

 

Porque quero ser Gente!

 

Ser Gente é bem diferente...

 

A frase que eu amei, vinda da expressão sorridente do meu filho:

A melhor poesia é a Mãe!

 

- É bom ser Gente com alma.

2005-05-08

 

 

Primaveril

 

Meados de Abril... primaveril,

entro e saio, entro e saio

estamos quase em Maio.

...

O chilrear dos passarinhos... querem-se amiguinhos.

...

Há quanto tempo não vou eu ao campo?

Sinto saudades de vestir o jardim

mesmo que eu não gostasse das vestes daninhas

e de tingir as mãos que reviravam a terra

eu gostava do cheiro do tom jardinado

sabia-me bem olhar o traje perfumado.

...

Aos poucos, vou esquecendo o festim da minha infância

aquele que, agora, sabia bem mondar...

crisântemos, cravos, rosas, flores multicores

vejo-as todas...

se os olhos fechar.

...

É tão bom recordar!

2005-04-18

 

 

Primeiro Bodo

(Ilha Terceira - Açores)

 

Primeiro Bodo, Dia de Pentecostes,

Pousa em nós o "Sopro do Espírito"

Estimado leitor espero que gostes

Daquilo que aqui eu deixo escrito.

 

O Terço com devoção então rezaram,

Um ano passou na casa com bandeira,

Na Coroação em alas Te levaram

Para a Igreja da Mãe Padroeira.

 

No terreiro, frente ao Império,

Músicos tocaram, enfileirados,

Comemoram alegres o Mistério,

Em tons conhecidos e bem ensaiados.

 

Arrematação de gostoso alfenim

Mais as rosquilhas de massa sovada,

Esta Festa, do princípio ao fim,

Esteve, como sempre, tão animada.

 

Uns jarros de um rico vinho de cheiro,

Uns petiscos, nas mesas, temperados

De sentimento risonho, verdadeiro,

Mostra-se nos rostos entusiasmados!

 

Pela Serreta eu passei,

Com gosto estive no Bodo,

No arraial eu fiquei

Na alegria o tempo todo!

2005-05-16

 

 

Quando há... Libertação

 

Talha-me em pedra macia

com um rasgo de esperança

 

Faz ruir todos os muros

deixa-me sair do negrume

que me cega

de ver o clarão por mim

 

Quero ser a amante

sem fim

 

Quero ser... sem morrer

o que de belo vive

em mim

2005-11-21

 

 

Que amor!

 

Tão frágil sou

neste meu sangue

que de azul

só em veste minha.

 

E fez-se em mim

amor p'la rima

musa encandeia

mais à noitinha.

E se o sorriso

aponta o dia

nasce a esperança

 

... e eu canto: Há vida!

2005-11-21

 

 

Que beleza!

 

rosas

amarela

encarnada

simbologia duplicada

 

felicidades

emparelhadas

de pétalas viajadas

abraçadas

25/11/2004

 

 

2004-11-27

Remodelado

 

Rebento o coração no desejo

de teus olhos nus,

Ferve-me o corpo

na sede de teus lábios.

 

Auréolas de veludo num louco frenesim

Soltam rosas do meu vulcão

Em que acolho

um gemido louco.

 

Nas lavas que me derretem a alma

 

Onde desfaleço a pureza do intenso sentir.

2004-10-07

 

 

(Re) sonho

 

Volto na miragem

sorriu ao clarão do dia

sinto o cheiro da maresia

vagarosa

 

 

 

Volto na viagem brutal

do sono estrelado

sinto o ar sossegado

formosa

 

Nunca devia ter adormecido...

Volto e (re)sonho que ainda é tempo de re-sonhar,

laboriosa...

2005-04-15

 

 

Servir os outros

 

À D. Fátima Laranjo:

 

No teu olhar

vê-se a esperança

o sorriso de criança

 

No teu olhar

e nas tuas mãos

apelo às renovações

 

O Divino Espírito Santo

Olha para ti

e Sorri!

 

Fátima Laranjo, 76 anos, professora reformada de Angra do Heroísmo, ilha Terceira, no programa de Joel Neto «História da Minha Vida» # 6. O título do artigo é "FÁTIMA LARANJO: o mundo inteiro nos braços de uma idosa"

 

 

Sanjoaninas 2005 - Convite Terceirense

 

I

Uma mão cheia de atividades

Nas Sanjoaninas deste ano

Diversão p'ra todas as idades

Regidas sempre por digno plano.

II

Alto das Covas centro regional

Praça Velha música do Mundo

Porto das Pipas cenário ideal

P'ra juventude delírio jucundo.

III

Rua de São João austera

O Centro das atenções

Decoração de uma nova era

Fogueiras atiçam emoções.

IV

P’rós mais novinhos há atrativos

Dispostos na Rua da Esperança

"Funny Park" terá bons motivos

Um chamariz para toda a criança.

V

Artesanato não foi esquecido

Largo Prior do Crato é ideal

E para um povo bem vestido

Marina à noite tão jovial.

VI

Areal da Prainha não escapa

É palco do primeiro Festival

Na areia, toca o som em alta

Local, nacional e internacional.

VII

O dia mais popular marcha

O São João por excelência

Penso que toda a gente acha

Noite das Sopas sã vivência.

VIII

Uma dezena de dias festivos

Angra boa alegria preside

Quiosques, tascas, palcos efetivos

E até o desporto vos convide.

IX

Às Touradas a dedicatória

Na Praça, Porto, brava tradição

A Tertúlia Terceirense será memória

Forcados são únicos neste São João.

X

O mar beija a Baía d'Encanto

Em finita noite a luz vai brotar

Alegria na areia, quente manto

O brilho de lágrimas irá saltar!

XI

A Terceira em Junho é encanto,

E mesmo que não possam cá vir

Juntem-se, aqui, neste Canto

Deixem Quadra Joanina provir!

XII

São João vai p’ró bailarico

Com lindo garrafão na mão

Não importa ser pobre ou rico

No teu rosto há diversão!

2005-06-11

 

 

Sei que um dia

 

I

Sei que um dia partirei

E vos deixarei então

Os versos que eu tentei

Oxalá tenham razão!

II

Tanta pena que há em mim

Tanta dor no coração

Porque se sofre assim?

Jesus dá-me a Tua Mão!

III

Eu prostro-me a Teus Pés

E Te peço o meu perdão

Sei bem que Tu não és

Injusto no teu Sermão!

IV

Eu só queria proteger

Meus filhos da confusão

Mas que irá acontecer?

Ajuda-me nesta missão.

V

Sei que um dia partirei

E vos deixarei então

As frases que eu rezei

Vieram do coração!

VI

Ó Jesus olha por mim

E por toda a nação

Eu sei que em cada fim

Conta a Tua decisão!

VII

Sei que um dia partirei

E vos deixarei então

Estes versos ensaiei

Espero boa entoação!

2005-05-08

 

 

Sentimento

 

Poesia...

é o que a gente quiser

é novelo

é mulher

é um querer

toda a vontade

um viver

sem idade

é respirar

traços de liberdade!

2005-04-13

 

 

Sinais

 

Faz de mim o grito do teu amanhecer

Faz de mim a pérola do teu anel

mas

não faças o meu fim

cuida de mim...

2005-06-04

 

 

Sonhos e pétalas

 

Se gosta do meu cantinho

das pétalas do meu voar

digo com muito carinho

que as pode dali levar.

 

Elas têm o meu perfume

leve, singelo e sentido:

cá dentro tenho um lume

volta e meia destemido.

 

A pétala que eu mais amo

deixa o perfume em mim

sabem que por ela clamo;

esse amor não tem fim.

 

Um dia só a verei, talvez,

ou vejo quando escrevo,

traço, de quando em vez,

um sonho posto a relevo.

 

 

Sou assim...

 

Pensamento em rima

Em linhas do acaso

O sorriso é que encima

Uma quadra sem atraso.

 

Sou terceirense e neste torrão me quedei

Sinto florescer em mim um novo encanto

Cada dia que passa vejo que encontrei

Força e alegria para pousar meu "canto"

2005-04-01

 

 

Sufoco...

 

Dark

Grey

é cinza

é manhã

é pena ser assim.

 

Dark

Grey

é cinza

é ilha

é pedaço de mim

 

por fim

é dia de amor

so dark, so grey...

2005-05-25

 

 

Tu...

 

estás nesse chão

desaguada

 

não foste colhida

foste largada

 

mas,

ficarás nova

se amada!

2005-07-02

 

 

Um dia

 

Há um mar de lágrimas azuis

que sinto navegar no meu rosto

ondulado de lembranças

de tantos dias

e

um dia deito-me na areia

e choro como perdida no sonho

de tantos sonhos perdidos

2005-08-29

 

 

Um grito na noite!

 

Desço a calçada do pensamento

em tom apressado...

a luz ofusca-me o olhar

e, ao longe...

tão longe, nasce o escurecer

onde encontro o sono das recordações:

é um grito na noite!

Esse grito que tempera de paz o novo dia!

2005-05-07

 

 

Um sorriso

 

Nunca abales de mim

fica comigo nesta noite fria

 

       és a luz que me alumia

       és a estrela deste luar

       que inspira o meu cantar.

 

Nunca abales de mim

                             Sorriso

2005-07-30

 

 

Um tempo

 

É tão bonita a janela

De um tempo inocente

O cortinado acautela

O que nos sopra a mente!

2005-05-05

 

 

Ventanias

 

Estou caída

 

Não consigo levantar a razão

A ventania tarda em ajudar-me

Voaram de mim as ideias...

 

Sabereis onde elas pousam?

2005-07-08

 

 

Outras inspirações

 

Dedicatória à Chica

 

Se procuras uma vivalma amiga

Nos poemas que d´estrelas vais tecendo,

Dou-te versos, rosas qu´estou devendo,

Inda perplexa nem sei o que te diga.

 

Das tuas mãos... Beleza sem fadiga!

Encanta-se o olhar no que vou lendo,

Canto um afinidade em crescendo,

Abraço a solidão e nasce a cantiga.

 

As emoções transbordam dos teus retalhos,

Todo o carinho que repartes p´los filhos

E netos são as flores dos teus trabalhos.

 

Na densa noite e fina madrugada

Brota da tua alma, sem empecilhos,

O mais que tudo... Na fé e poesia amada!

 

 

A t-shirt dos Açores

 

E deste jardim de encantos floridos,

Vestido de branco e donzelas cores,

Próprias da Região dos Açores,

Nascem versos com laços coloridos.

 

Estampam-se sonhos, fios unidos,

Amostras das Ilhas de tantos amores,

Dão-se a conhecer bonitos labores,

E vê-los por aí são gostos sentidos.

 

Açores! Nove sonhos a amanhecer,

Nove estrelas que devem conhecer,

Inscritas neste terceto humilde.

 

Um sorriso meu num verso veloz

A "t-shirt" que leva um pouco de nós:

Um mimo dedicado a ti: Matilde!

 

 

Postal das Ilhas

 

Nós gostamos de alfenim,

E há touradas seguidas;

Cada ilha, cá p'ra mim,

Tem artes bem definidas:

 

Santa Maria, Ilha Mãe,

São Miguel é a maior,

Na Terceira cantam bem,

Há alegria em redor.

 

Graciosa bela menina,

O longo São Jorge avista;

O Pico tão bem assina

Qualquer postal d'um artista.

 

Faial sorri para o mar;

As rosas crescem nas Flores,

Corvo é sonho ao luar:

Beleza é cá nos Açores.

 

 

A tua ilha

 

Santa Maria, nome da Virgem,

Maria, nome próprio de Mulher

E cada ser tem a sua origem:

O lugar que não deve esquecer.

 

Santa Maria, a primeira ilha,

É louvada em tão bom poema,

Tu com o teu coração de filha,

Tão bem o divulgas em rico tema.

 

Cada ilha envolta no seu manto

Em tom de arco-íris bordado

Até com desígnio de santo.

 

Ilhas formosas, sonhos d'encanto

Com o salgado mar de braço dado

É neste tom que aqui te canto:

 

 

Angra, Prainha e Marina

 

Angra

é nossa Rainha

é doce menina

deitada ao sol

 

Angra

tinge-se de cores

veste-se de amores

voltada p’ró mar

 

Angra

Prainha e Marina

esperam por ti

para te abraçar.

 

 

Mar... Meu mar!

 

Vagueei pelo silêncio da Terra

Abracei o apelo do mar

[Canto dos Peixes]

Prefiro o cheiro do Mar

Que a Terra vem beijar

E no alto do velho Monte

Sonhei com outro canto

Muito além do horizonte.

 

Apenas e só o Mar me dizia:

- Estou aqui! Estou aqui!

 

Visto de dentro

O Mar é perfeito

Na calmaria de Domingo.

 

 

Flores

 

Se eu fosse flor

teria o mesmo nome?!

 

Deram-me nome de flor

talvez com a maldição

de amar e ser amada

mesmo que sem nada

e com tudo: um trio de pétalas

que de mim floriram...

 

Tudo é belo

quando se ama a vida!

 

 

Aleluia!

 

Da ponta da varanda que estimo,

sinto a natureza...

 

A natureza rejubila

com o cantar feliz dos pássaros

nas árvores acordadas

no Domingo que é de Páscoa.

 

O silêncio é rico de chilreios

cacarejos e zumbidos.

 

Vez por outra olho o mar

que tateio num corridinho de azul

pintalgado de branco

 

Nesta quietude pasma-se nas cores.

Apercebo-me que a beleza Serretense canta:

Aleluia! Aleluia!

Bastam-me estas melodias para acreditar que

Há Ressurreição!

 

Até a natureza sorri... E

Contagia-me.

 

 

Papa João Paulo II

 

Quero fazer um soneto

Ao Pai mais terno do Mundo,

Foi João Paulo II,

Um Homem cheio de afeto.

 

Que foi deveras correto

Espalhou um Amor profundo;

Visitou os países do Mundo.

Nos Açores, vi em direto.

 

Faz um ano que partiu,

Deus O recebeu à sua beira

E eu o Louvo na Terceira.

 

Que hoje seja proclamado,

Para sempre bem lembrado:

João Paulo já a Deus viu!

 

 

À Vila da Povoação

 

Uma força renhida entre terra e ar

Marcada pelo mote d’outra descolagem,

P’ra mais uma prestimosa afã viagem,

Que sobrevoa a eternidade do mar.

 

Nada me impediu de dentro versejar

Ninguém ao meu lado captou esta mensagem

Lá fora uma tela d’ azuis na miragem

Na imensidão onde comecei o bom sonhar.

 

O pássaro gigante deixou-me nesta ilha

Segui o trilho onde os olhares se levantam

P’ro encontro d´águas que a terra fervilha!

 

Sonho e vontade de ver a Povoação

Das sete Lombas onde mil águas cantam

Fazendo que a rima salte do coração.

 

 

Alfenim em Louvor ao Divino

 

Alfenim, bom alfenim,

Tua doçura, nossa promessa,

Alfenim, santo alfenim,

Linda alvura em cada peça!

 

Pelo Bodo estás na frente,

Com doçura e divindade,

O sentir está na gente:

Pentecostes e Trindade!

 

Quando a dor nos atinge,

A fé ajuda a suportar,

No alfenim ela se tinge,

E a depomos no altar.

 

Branca, alva e muito dura,

Nossa oferta ao Divino,

No coração vai a ternura,

Canta ao toque do sino!

 

Alfenim, bom alfenim,

Tua doçura, nossa promessa,

Alfenim, santo alfenim,

Linda alvura em cada peça!

 

 

A minha cor

 

A minha cor nem eu sei,

Anda perdida nas nuvens,

Nunca mais a encontrei…

Só sobram algumas fuligens.

 

O azul que gosto tanto

Desvaneceu-se do olhar;

Que belo seria um manto

Tal e qual a cor do mar.

 

Mas o mar tem variações

Acolhe quem o admira,

Nas suas ondulações

Alegra-se com quem o mira.

 

Por isso, gosto do mar,

Estou tentada a imitá-lo…

Numa noite de luar

É com ele que eu falo.

 

 

Ilhas de Paixão

 

Comentar belas imagens

É a saudade a refletir

Até parecem miragens

Que acabam por nos seduzir.

 

Queria eu voltar lá

Pico e São Jorge: Sóis belas!

Quem sabe um dia vá,

A Santo Amaro e às Velas.

 

As ilhas do cordão central

Juntinhas como num sonho

Não deixam ninguém tristonho.

 

Perante tanta beleza

Louvada seja a natureza

Feita espaço teatral.

 

 

Flor de Juventude

 

É assim o teu retrato,

Do sorriso já passado

Com beleza, é um facto,

Que revejo emoldurado.

 

Não que ele seja distante

Nem tão pouco olvidado

E nesse tom cativante

Sempre, por mim, recordado.

 

A mente é como uma flor

Enquanto cresce viçosa

- Prefiro sempre uma rosa -

 

E nesse olhar encantador

Transparece uma virtude:

Eras flor de juventude!

 

 

Alegre a cantar

 

Oh! Senhora dos Milagres

Juntos em franca oração

Pedindo que nos consagres

Perto do Teu coração!

 

Senhora nós aqui vimos

Cobertos de muita fé

Desde outrora descobrimos

A força do nosso pé!

 

Peregrinos a caminho

Do Altar que nos inspira

Para Ti, nosso carinho

E ao Filho que Te admira!

 

Santuário de Mãe

Onde brilha imagem pura

No Teu olhar sei que tem

Uma prenda de Ternura!

 

Salvé! Salvé! Mãe querida,

Mãe dos Homens e do Amor;

Salva, salva nossa vida

Do pecado e da dor!

 

 

Ilha Terceira. Por ti vou cantando...

 

Da Serreta p'ró Raminho

E Altares, que de Angra é,

Biscoitos doutro concelho

(Onde há bom vinho verdelho)

Até à Fonte do Bastardo.

São Sebastião guardo

P'ra Angra, com muita fé,

E depois sigo caminho,

Rumando às Doze Ribeiras:

A vizinha, sem fronteiras.

 

Dois concelhos a ilha tem:

A Praia da Vitória,

E Angra do Heroísmo,

Repletos de cor e civismo;

Hortênsias sempre à beira,

Decoram a ilha inteira.

E nos anais da história,

Esta riqueza convém

Guardar na nossa lembrança

Neste tempo de bonança.

 

 

Dedicatória a Bernardo Trancoso e outros sonetistas

 

Nesse lugar engenhoso

De arte tão cativante

Cada dia mais famoso

Pelo Soneto lustroso

Como um diamante.

 

Até me apetece cantar

Nos Açores, terra Mãe,

Para a todos elogiar

A forma exemplar

E a beleza que tem.

 

Do Brasil e Portugal

Lindos canteiros de flores

Num encontro sem igual

No sítio especial

De versos e louvores.

 

Mando o abraço nas cores

Desta terra hospitaleira

Uma ilha de amores

De ricos sabores

Que se chama Terceira.

@Rosa Silva ("Azoriana"). Direitos reservados.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Aberração!

por Azoriana, em 06.12.04

Pedaços de escrita

enlatada

martelada num teclado

dum pensamento obstruído

beijado

sorridente

chorado

morto devagar

desaparecido num tornado

enrolado numa nuvem

envolta num estrelado

de uma ilusão

de um momento

ódio do medo constante

de estar

de não ser caracter de papel

da árvore bendita...

 

Escritos enlaçados

arquivados

Onde estás Poesia!?

Quem te ama!? Quem vê a tua beleza!? Onde mora essa arte?

Hoje, há aberração... desilusão...

Carregam-se sacos cheios de mudança parada...

Limpam-se paredes de misérias caladas...

Pagam-se faturas de flagelos atordoados

Aberração!

Essa maldita farpa que espeta até fazer sangrar o coração...

 

Tu, Poeta,

és de ouro puro,

tens as pérolas sábias do escrever.

Eu não sei usar as palavras...

Sei apenas transcrever o que me dita o coração...

e hoje este coração está em aberração... só aberração!!!

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Os escritos são laços que
nos unem na simplicidade
do sonho... São momentos!
Rosa Silva ("Azoriana")
DATA DA CRIAÇÃO
09/04/2004

A curiosidade aliada à
necessidade criou
o 1º artigo e continuou...
DEZ ANOS
2014/04/09

Não há rima para o tempo
Mas o tempo é uma rima
Que serve de passatempo
A quem o tempo estima.


SELO
Azoriana/Açoriana Blog
Azoriana/Açoriana Blog
@ 2004 etc.
VISITAS
Até 2015/03/30 tinha um total de 537.867 visitas.
Doravante estatísticas in SAPO
MEO KANAL
Canal nº 855035 – Azoriana no MEO Kanal



ISSUU

MEO CLOUD





Links

Voz dos Açores - gravações