Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Açoriana - Azoriana - terceirense das rimas

Os escritos são laços que nos unem, na simplicidade do sonho... São momentos! - Rosa Silva (Azoriana). Criado a 09/04/2004. Angra do Heroísmo, ilha Terceira, Açores. A curiosidade aliada à necessidade criou o 1

Criações de Rosa Silva e outrem; listagem de títulos

Em Criações de Rosa Silva e outrem

Histórico de listagem de títulos,
de sonetos/sonetilhos
(940...pausa... 981)

Motivo para escrever:

Rimas são o meu solar
Com a bela estrela guia,
Minha onda a navegar
E parar eu não queria
O dia que as deixar
(Ninguém foge a esse dia)
Farão pois o meu lugar
Minha paz, minha alegria.

Rosa Silva ("Azoriana")

**********

Com os melhores agradecimentos pelas:

1. Entrevista a 2 de abril in "Kanal ilha 3"



2. Entrevista a 5 de dezembro in "Kanal das Doze"



3. Entrevista a 18 de novembro 2023 in "Kanal Açor"


**********

Tourada do Porto - Biscoitos

29.09.04 | Rosa Silva ("Azoriana")

Dia da Tourada do Porto dos Biscoitos.
É um evento social muito importante na nossa Ilha Terceira. No passado Domingo, 26 de Setembro de 2004, último Domingo do mês (como é sempre habitual), juntaram-se muitas famílias nas rochas, com seus farnéis, durante todo o dia.
Neste dia os amigos juntam-se, mesmo aqueles que há muito não se vêem, para festejar a alegria num colorido junto ao mar do Porto dos Biscoitos. Filas enormes de carros marcam presença também neste local afamado. Há churrascos, há barracas improvisadas, feitas de paus e plásticos, que se destinam a empatar o abrasado sol ou então alguma chuva (que também resolveu surgir mesmo com o último toiro na estrada). "Nada de sofisticado nem previamente desenhado", mas um mês antes já têm de estar guardados os lugares para essa "improvisação". Podem visualizá-las na Galeria de Fotos do Portal Açores.
As rochas ficam repletas de gente ali pertinho do toiro, que por vezes larga-se varadouro do porto abaixo e chega mesmo a entrar na água na mira de algum aventureiro que lhe provocou a brava corrida. O touro, esse não se magoa, mas às vezes, há sustos e apanha alguma pessoa. Estão à mercê da fúria do bicho...

Olé! Toiro
Foto de Luís Fialho (redimensionada)

O que acho mais engraçado nisto tudo, é que muitas das pessoas nem vêem os touros amarrados à corda, bem segura por mãos de homens afoitos e dedicados a esta arte - os pastores, porque preferem aproveitar para um tomar um banho na chamada Calheta dos Biscoitos.
Este ano não marquei minha presença lá, mas vi a tourada no meu imaginário (desde tenra idade que costumava ir neste dia com os parentes desde manhãzinha até ao finalizar a festa), e através do "olhar" emprestado de uma máquina fotográfica de um residente na Freguesia dos Biscoitos, Concelho da Praia da Vitória - Ilha Terceira, Açores.
Um obrigado muito especial a Luís Fialho e Maria Inês, por terem permitido a sua publicação. Bem Hajam!

Azoriana

Se eu fosse "poema"

29.09.04 | Rosa Silva ("Azoriana")

Hoje, minha "poesia",
se te visse a sucumbir,
Morta!
Inanimada!
Contigo queria ir...

Aqui neste mural,

Onde fico enclausurada,

Vejo-te sair, contente,

E não posso parar nada...

Até eu nem estou cansada,
Posso estar triste, acabrunhada,
o peito até já me dói,
as mãos com dedos "sangrentos"

Mas digo-te, a ti, Poeta, antes de eu seguir:

Perdoa-me alguns desalentos!
Viaja, "POESIA", nas asas do espírito,
Caminha p'ra nova luz:
Pede talento para nós, para mim...
Se "tropeçares" com Jesus...

Azoriana

Esclarecimento

28.09.04 | Rosa Silva ("Azoriana")

Para quem já visitou o meu blog/site e já leu muitos dos meus artigos.
Permitam-me que vos diga o seguinte:
Sei que "ser poeta não significa apenas escrever palavras que rimem umas com as outras, é algo mais profundo do que isso, é uma arte que não se aprende, nasce-se com ela". Mas digo-vos, para mim é um gosto particular. Não me classifico de poetisa.
A propósito de um comentário recebido num grupo, senti necessidade de escrever este artigo.
Comentários depreciativos não me desmoralizam, mesmo que haja alguma intenção. Servem para cada vez mais tentar aperfeiçoar meus conhecimentos. Ninguém é totalmente perfeito em tudo o que faz, por isso existem possibilidades de estudo. Parar é que é morrer.
Escrever, para mim, é uma outra forma de estar na vida. Não tenho por hábito criticar negativamente os escritos de ninguém. Quando qualquer escrito não me agrada, geralmente leio e não comento, nem para bem nem para mal. Reservo para mim os comentários, não os anuncio. Penso: quem está do outro lado irá ficar magoado!? Desencorajado!? Vou ferir-lhe sentimentos!?
Por outro lado, é bom haver alguém que nos alerte no sentido de melhorarmos nossos escritos. Confesso-vos que a minha escrita é uma ideia que surge repentina, sem aviso prévio. É um momento, uma inspiração, algo que me brota do coração ou então alguma tristeza, enfim, tudo pode servir de mote para algo escrever. E porque não utilizar as tecnologias que nos são disponibilizadas para esse efeito? Não se fizeram só para os que tudo sabem. Fizeram-se para nós que temos vontade e gosto de aprender e utilizar novos recursos informáticos.
Cada um de nós tem defeitos e qualidades, escapes, sonhos e motivações várias para ocupar alguns tempos livres ou outras situações que neste momento ficam no meu íntimo...
Dão-nos sugestões para fazer isto ou aquilo (ir para a cozinha, por exemplo!) sem tão pouco nos conhecerem, sem tão pouco saberem como vamos reagir ou se gostamos de tais sugestões!! O mais grave é que não se identificam, não dão a cara, apenas um nome. Nomes há muitos e coincidentes. Porque não me escrevem directamente para o e-mail, que disponibilizo em qualquer dos meus trabalhos?
Não pretendo criar mais sites. Os que tenho já são suficientes para me sentir realizada. Tenho tido incentivos vários para continuar meus trabalhos. Isso me basta!
No entanto, estou aberta a votações. Sim ou Não, eis a questão: Continuo com meus escritos? São ofensivos?
Melhores cumprimentos,
Azoriana

Poesias de Picaroto

28.09.04 | Rosa Silva ("Azoriana")

Escritos num caderno (I)

Se o futuro não fosse incerto,
de nada serviam os sonhos,
e o homem sem o sonho não tinha futuro não
amor tal como na vida,
são os sonhos que nos fazem alimentar um futuro.

Escritos num caderno (II)

Nesta estrada perdida de amor e paixão,
sem tecto nem chão,
onde o tempo passa entre a fresta de uma janela
nascem murmúrios de saudades de tempos passados
no imaginário de um louco sonhador que veste a alma com as palavras do teu pranto
e vive pela razão do teu ser.

Escritos num caderno (III)

Um dia da minha vida por um minuto contigo,
um pedaço de mim por um beijo teu
e a minha vida pelo teu coração
uma troca justa para quem sofre pela distância.
estranho modo de amar...

Escritos num caderno (IV)

No silencio da noite,
no murmúrio das estrelas
e por detrás desta névoa cinzenta surgiu um novo deus,
uma nova era , um novo sentimento.
Apareceu do nada e do nada se fez grande,
gigante, monstruoso, e agora...
agora apoderou-se do meu corpo alma e coração.
Bastou um pequeno gesto e fiquei rendido à tua magia
Estou enfeitiçado, perdido por um sonho... um sonho...

Autor: "O Picaroto"

Nova luz...

28.09.04 | Rosa Silva ("Azoriana")

No teu mundo onde habitas
Vejo uma névoa a pairar,
Precisas de ter umas dicas
Para teu mundo encantar:

Um sorriso nesse rosto
Fica bem e traz inspiração,
Um olhar com muito gosto
Acaba a preocupação.
 
Surge breve o pensamento;
Umas palavras sentidas,
Em todo esse momento
Fico com ideias ativas.
 
Quero ver tua magia
Brilhando em tua nova luz,
Para ti a bela poesia
Seja aquilo que te conduz.
 
Bate no peito um sinal
Sentes que ela surge veloz,
Escreves num belo postal.
Não a dizes em viva voz.
 
Brincas ao redor dum sonho
Vestes de alegria a vida,
Lembra que a um ser tristonho
Não tem tão boa a partida.
 
Esse teu ser bem calado
Fez-me inspirar o poema,
E fiquei aqui deste lado
Com inspiração e um tema.

Rosa Silva ("Azoriana")

Alguns comentários em Grupos MSN de Poesia

28.09.04 | Rosa Silva ("Azoriana")

Lamentações ao luar
Lamentações à beira mar
Lamentações em todo lado que se pode estar.
Chora no peito
a vontade de ter
a vontade de sentir
a vontade poder
somos
eternos insatisfeitos
temos de ser
eternos lutadores.
Obrigada Azoriana por este muro de lamentações
que envolve cada um de nós no seu tempo.

por Filomena in Welcoming o tal canal - Poesias (resposta a "Estar só!")
A seguir meu comentário a "As Estações duma vida" escrito por Filomena

Canto à Amizade!
A cada estação até dás outro sabor,
Fico encantada por aqui ter vindo,
Afinal é uma estrada cheia de cor,
Onde a amizade tem um valor lindo...

Sou terceirense e neste torrão me quedei,
Sinto florescer em mim um novo encanto,
Cada dia que passa vejo que encontrei,
Força e alegria para pousar meu "Canto".

Azoriana

Marina de Angra

27.09.04 | Rosa Silva ("Azoriana")

Não sei nadar, também te confesso,
Num tempo de mar, que atravesso,
Sei como a brisa terna suportar,
Dos ventos que se passam devagar.

Marina de ternura,
Passo meu apressado,
Vela, terna candura,
Neste mar ancorado.

Marina de Angra

Azoriana

Chuvisca!

27.09.04 | Rosa Silva ("Azoriana")

Chove!
Na minha rua...

Nos vidros,
apenas pingos...

Na mente,
alguns gemidos,
no ser ficam cativos,
sentimentos destemidos...

No chão,
alguns sorrisos,
pela chuva de ocasião.

Já acabou o Verão...
É tempo de emoção,
pela nova estação!

(c) Azoriana

Tu realmente já amas-te uma mulher?

25.09.04 | Rosa Silva ("Azoriana")
height=250 src="http://www.ssafira.hpgvip.ig.com.br/imagens/ico_fig1g.jpg" width=243 border=0>

align=left>Have You Ever Really Loved A Woman? (tradução)
align=left>Composição: Desconhecido
Have You Ever Really Loved A Woman?
color=#000080>(Tu realmente já amas-te uma mulher?)


To really love a woman, to understand her
color=#000080>Para realmente amar uma mulher, para compreendê-la,

You gotta know her deep inside
color=#000080>Tu precisas conhecê-la profundamente por dentro,

Hear every thought - see every dream
color=#000080>Ouvir cada pensamento - ver cada sonho,

N' give her wings - when she wants to fly
color=#000080>E dar-lhe asas - quando ela quiser voar.

Then when you find yourself lyin'
color=#000080>Então, quando estiveres repousando

Helpless in her arms
color=#000080>Desamparado em seus braços,

Ya know ya really love a woman
color=#000080>Tu saberás que realmente amas uma mulher...


CHORUS
When you love a woman
color=#000080>Quando tu amas uma mulher,

You tell her that she's really wanted
color=#000080>Dizes-lhe que ela realmente é desejada.

When you love a woman
color=#000080>Quando amas uma mulher,

You tell her that she's the one
color=#000080>Diz-lhe que ela é a única

Cuz she needs somebody to tell her
color=#000080>Pois ela precisa de alguém para dizer-lhe

That it's gonna last forever
color=#000080>Que vai durar para sempre.

So tell me have you ever really
color=#000080>Então diz-me: tu realmente,

Really really ever loved a woman?
color=#000080>Realmente, realmente já amas-te uma mulher?


To really love a woman
color=#000080>Para realmente amar uma mulher,

Let her hold you
color=#000080>Deixa-a segurar-te,

Til ya know how she needs to be touched
color=#000080>Até que tu saibas como ela precisa ser tocada.

You've gotta breathe her - really taste her
color=#000080>Tu precisas respirá-la - realmente saboreá-la

Til you can feel her in your blood
color=#000080>Até que tu possas senti-la em teu sangue.

N' when you can see
color=#000080>E quando tu puderes ver

Your unborn children in her eyes
color=#000080>Tuas crianças que ainda não nasceram dentro dos olhos dela,

Ya know ya really love a woman
color=#000080>Tu saberás que realmente amas uma mulher


CHORUS
You got to give her some faith -
color=#000080>Tu precisas dar-lhe um pouco de confiança -

Hold her tight
color=#000080>Segurá-la bem apertado,

A little tenderness - gotta treat her right
color=#000080>Um pouco de ternura - precisas tratá-la bem.

She will be there for you, takin' good care of you
color=#000080>Ela estará perto de ti, cuidando bem de ti,

Ya really gotta love your woman...
color=#000080>Tu realmente precisas amar tua mulher...


And when you find yourself lying
color=#000080>Então, quando tu estiveres repousando

Helpless in her arms,
color=#000080>Desamparado nos braços dela,

You know you really love a woman.
color=#000080>Tu saberás que realmente amas uma mulher...


CHORUS
So tell me have you ever really ...
color=#000080>Então diz-me: tu realmente,

Really, really ever loved a woman?
color=#000080>Realmente, realmente já amas-te uma mulher?


So tell me have you ever really ...
color=#000080>Então diz-me: tu realmente,

Really, really ever loved a woman?
color=#000080>Realmente, realmente já amas-te uma mulher?


Bryan Adams















































Oh! Glória da nossa terra!

25.09.04 | Rosa Silva ("Azoriana")
align=justify>Estou muito contente hoje, por Ela: porque o artigo intitulado "Agradecimento - Fotos de Nossa Senhora dos Milagres", no que respeita às duas fotos da Imagem desta Senhora, foi visitado e as imagens inseridas na Galeria de Fotos do Portal Açores, receberam uma classificação honrosa, principalmente para quem abrilhantou o Altar da Senhora, bem como para o Arsénio Romeiro que, com sua máquina fotográfica pessoal, nos proporcionou o brilho da Fé, o brilho da perfeição e como é bom gostar da sua freguesia natal.
Esta também foi a minha freguesia natal, e apesar de não residir lá, lembro sempre desta Festividade Religiosa e sobretudo emociono-me sempre no dia que presencio o recolher do Andor com a Imagem para o seu Santuário, após a procissão que se realiza no 2º Domingo de Setembro, e após ouvir o Hino da Padroeira, pela Filarmónica Recreio Serretense (a mais antiga da ilha, fundada em 04/12/1873), da qual faz parte também Arsénio Romeiro e tantos outros jovens e adultos (30 do sexo masculino e 6 do sexo feminino) que fazem as delícias de quem os ouve. Nunca consigo conter as lágrimas. Sou assim, muito sensível a Hinos, tem sempre algo de magnífico, sublime.
Hoje, sinto que o mundo precisa disto: a simplicidade da fé, o olhar risonho para as coisas belas que nos rodeiam... mesmo que sejam cada vez mais raras e que a pressa, a evolução, o "stress", nos faça por vezes "cegar"...
Mas digam-me se não é Lindo este Altar? e se não é Linda esta Imagem?, que remonta ao século XVI, trazida pelas mãos de um padre velhinho que a colocou numa tosca capelinha, por ele preparada, na Canada das Vinhas, sítio Queimada, na Serreta, onde se refugiou de perigos e desilusões do mundo de então.
Este padre mal sabia que um dia tantos peregrinos venerassem esta Imagem como o fazem actualmente e desde que a Imagem foi recolocada em Templos (primeiro nas Doze Ribeiras e depois no curato da Serreta - entrada da Imagem na sua Igreja a 10/09/1842 - passando a freguesia no dia 01/01/1862).
Todos os caminhos vão dar à Serreta e não há uma só pessoa que por lá passe que não faça uma prece sentida... Eu sei que sim.
Pese embora as fraquezas humanas, as nossas imperfeições (e tantas que eu tenho!), neste Dia Solene da sua Festividade há "um olhar"... simplesmente "um olhar"... e isso basta!
Eu sei, é no coração que está ou devia estar todo o resto: o Amor, que devia depois ser transporto para o nosso dia-a-dia. A Imagem é um Símbolo da Fé, o "coração" um símbolo do Amor.
Confesso que eu mesma tenho dificuldades de manter esse "Amor"... mas tento... e mesmo que não consiga em muitos dias, pelo menos que seja num dia: Que seja no Teu Dia - "Senhora dos Milagres"...
A Ti, Mãe:
height=286 alt="Nossa Senhora dos Milagres" src="http://silvarosamaria.no.sapo.pt/imagens/NSM.gif" width=208 border=0>
(Foto de Arsénio Romeiro; redimensionada por Azoriana)
"Oh, Glória da nossa terra!
Que tens salvado mil vezes,
Enquanto houver portugueses,
Tu Serás o seu Amor"


Cumprimentos cordiais
Azoriana
















Pág. 1/5