Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Açoriana - Azoriana - terceirense das rimas

Os escritos são laços que nos unem, na simplicidade do sonho... São momentos! - Rosa Silva (Azoriana). Criado a 09/04/2004. Angra do Heroísmo, ilha Terceira, Açores. A curiosidade aliada à necessidade criou o 1

Criações de Rosa Silva e outrem; listagem de títulos

Em Criações de Rosa Silva e outrem

Histórico de listagem de títulos,
de sonetos/sonetilhos
(940...pausa... 981)

Motivo para escrever:

Rimas são o meu solar
Com a bela estrela guia,
Minha onda a navegar
E parar eu não queria
O dia que as deixar
(Ninguém foge a esse dia)
Farão pois o meu lugar
Minha paz, minha alegria.

Rosa Silva ("Azoriana")

**********

Com os melhores agradecimentos pelas:

1. Entrevista a 2 de abril in "Kanal ilha 3"



2. Entrevista a 5 de dezembro in "Kanal das Doze"



3. Entrevista a 18 de novembro 2023 in "Kanal Açor"


**********

«Poesia em Rede» - o índice

31.03.07 | Rosa Silva ("Azoriana")
Há já algum tempo, encontrei um sítio que coloca a concurso poesias e está quase no terminus a recepção de Poemas de Amor. Já lá tenho o meu. Hoje é o último dia para concorrer e como já existe uma colecção jeitosa, sugeri que um índice de poemas seria o ideal para ficarmos a conhecer os títulos e depois, através de um link, teríamos a possibilidade de os ler.

A fase seguinte é a da escolha do poema que será o vencedor. Que vença o melhor e está de parabéns quem tal ideia teve.

Deixo aqui o link para o Índice dos Poemas de Amor, em rede.

Tendo em conta o 19º artigo do Regulamento (Ocorrências não previstas), sugiro que seria interessante haver um selo (logótipo) para colocar nos blogues como prémio de participação. O verdadeiro prémio será muito bom mas ao menos ficava a consolação. Não está no regulamento mas fica a sugestão.

Antevéspera

30.03.07 | Rosa Silva ("Azoriana")
Olhei para o relógio.
Era só eu e os ponteiros, em V aberto, das 22:10.
Senti a ansiedade da antevéspera... Será que virá a véspera e o dia?
Eu gosto muito de aniversários e acho que muita gente já sabe disso.
Geralmente ando na miragem dos anos de familiares, amigos e até de blogues...
Mas nesta antevéspera sinto vontade de vos receber a todos no meu cantinho nem que seja com um sorriso apenas que se faz com dois pontos e um parênteses curvo à direita, assim :)
Não me deixem só com o meu silêncio (que me inspira...). A inspiração é a única coisa boa que tiro do silêncio que acolhe a voz que me traz o prazer do verso.
Este "só" não é o da solidão porque graças a Deus não me falta companhia... Este "só" é a falta de um verso teu... Dá-me a alegria de um verso no dia do meu aniversário... Apenas um verso e eu publicarei o verso dos versos.
Até lá uma boa noite, lindo dia, melhor tarde, nova noite, volta a madrugada e pelas 13 horas talvez sorrirei para ti, pessoa amiga que me visitas e terei muito gosto de guardar o teu nome, alcunha ou simplesmente um :)

Os clip's !

29.03.07 | Rosa Silva ("Azoriana")
Eduardo Mourato
"O Mar dos Açores"
Ilha de São Miguel

 

João Manuel Dutra,
conhecido por "Carocho"
"A Canção dos Bloguistas"
Ilha Terceira

Tomei conhecimento do video "O Mar dos Açores" através de um comentário num artigo de um blogue que nem vou mencionar de quem é. Prefiro que apenas vejam a diferença entre o sotaque da ilha de São Miguel e o da ilha Terceira, para que não hajam confusões. "Cada ilha com seu uso cada roca com seu fuso". E cada um gosta do que é seu, mas eu gosto mais do meu.

O que se ouve todas as noites na novela da "Ilha dos Amores" (São Miguel) é a "Canção do Mar"... Sem comentários e com outro sotaque.

Agradeço ao autor de "Futebol, Gente & Toiros" por também gostar dos sotaques... :)

Marcas de mudança nos blogs.blogs.sapo. Parabéns!

29.03.07 | Rosa Silva ("Azoriana")



Fizeram destaque ao meu
Destaque dou a vocês
A inspiração que me deu
Sem demora como vês.

«As ilhas açorianas»
Versos que agora criei,
Elas não são tiranas
Com imagens sonhei.

Fica este dia marcado
Pela vossa renovação
O SAPO todo babado
Nesta nova estação.

A primavera chegou
Os blogs em sintonia
Um sorriso ecoou
Na tarde deste dia.

29/03/2007
Rosa Silva
("Azoriana")

As ilhas açorianas

29.03.07 | Rosa Silva ("Azoriana")

O campo está acolchoado
Da beleza que agora nasce
O sol quebra o acinzentado
E na natureza há paz se
O amor se lança e conquista
As cores que a ilha avista.

Entre azuis e verdes, a rima
Das ilhas, molda o coração.
Ser ilhéu é ter mais estima
Um olhar de satisfação
E cantar à tona do dia:
Sou ilhéu com muita alegria!

No regaço do Caldeirão
Do Corvo, as ilhas unidas,
A magia desta visão
Faz parecê-las mais queridas.
Neste sonho viajo eu
E no verde que Deus lhe deu.

Confinada aos teus Bordões
Continuo minha miragem:
As Flores, ilha de emoções,
A prenda da flor na passagem.
É meiga, a quarta pequena
Maravilha que deixa pena.

Semana do Mar, teu cartaz
Que enfeita o cais da cidade,
Tens a marca que não se desfaz
Num abraço ganhas amizade.
Dançam no mastro alvas velas
À noite sorriem as estrelas!

Alta montanha à mercê
Da inspiração dos jograis,
Tão alta, é Deus que a vê,
Por entre plumas, neve sem ais...
A ilha da pedra escura
Por ela tenho muita ternura.

Esse dragão adormecido
Que se estende de lés-a-lés
P'lo cavaleiro destemido
São Jorge, a ilha a seus pés.
De forma estreita tamanha,
Ilustra-te a cor castanha.

Ilha branca, tão Graciosa,
(Das queijadas conheço o gosto)
És uma menina formosa!
Santo Cristo tens em Agosto;
Ao seu lado linda Baleia,
O ilhéu que fica na ideia.

A ilha abraça alegria
Nas festas de honra e touradas;
Alcatra, vinho - Confraria,
O mote p'ra mais desgarradas.
Sanjoaninas na cidade
Património de humanidade.

Sete Cidades a Lagoa,
De Ponta Delgada, São Miguel,
Que encanta qualquer pessoa.
Vila Franca também sou fiel,
Povoação rumo a Nordeste,
Ribeira Grande bem me fizeste!

Santa Maria, nossa Mãe,
Das ilhas é sempre a primeira;
O sol beija a Baía que tem
Concha maior na dianteira:
São Lourenço assim se chama
A esse belo panorama.

Açores do mar! Maravilhas,
Pétalas de amores-perfeitos;
Lindas imagens destas ilhas
Que para todos os efeitos
Fazem um colorido jardim,
Oásis de versos sem fim.

Rosa Silva ("Azoriana")

Agradecimento a Joana Torrado da equipa do SAPO

29.03.07 | Rosa Silva ("Azoriana")

No dia 29 de Março de 2007 - A recordação

É sempre muito agradável receber-se um miminho como este que acabei de receber da parte de Joana Torrado, um dos elementos da equipa do SAPO.

Após uma tormenta vem sempre algo que nos contenta. Esta a frase para este dia.

Agradeço muito reconhecida esta prenda, três dias antes do meu aniversário. :)

Agradecimento a Lumife do blog Beja

28.03.07 | Rosa Silva ("Azoriana")


Meu sonho é participar

Do encontro atraente:
- Ó quem me dera viajar
Desta ilha p'ro Continente.

Alvito está na mira
A bolsa isso me nega
Quem sabe se um dia vira
E à viagem me entrega.

Mértola... "arqueólogo",
Reside o meu estudante
A saudade é monólogo
Que traço neste instante.

As flores do mês de Abril
Coloco nas minhas rimas;
P'ro teu convite tão gentil
Aquelas que mais estimas.

Rosa Silva (Azoriana)

Carnaval 2007 - Cantigas de Despedida (continuação 2)

28.03.07 | Rosa Silva ("Azoriana")

* Outras cantigas que escrevi

Nobre terra portuguesa
Rica de encanto e doçura
Em si tem tanta beleza
E p'la sua mesa
Há paz e ternura
Terceira torrão amado
Onde aprendi a brincar
Pelas ondas fui beijado
Pelo sol dourado
Aprendi a amar.
Um dia quando voltar
Ao berço que me embalou
Quero todos abraçar
A terra e o mar
Quem por mim sonhou
Enquanto não acontece
Esse encontro feliz
Faço aqui a minha prece
De quem não esquece
Seu lindo país.

 

Inda trago na memória
Uma longa tradição
E nos anais da história
Um Hino de glória
Junto à devoção
Pai, Filho, Espírito Santo
Um cântico de louvores
À bandeira eu levanto
E nela me encanto
P'los nossos Açores.
Um sorriso de alfenim
O gosto de uma rosquilha
As flores desse jardim
Que passam por mim
À volta da ilha
Fazem lembrar minha infância
Juventude e amizades
Alegria em abundância
E agora a distância
Que aumenta as saudades.

Fim

Início

Continuação

Continuação 1

 

Carnaval 2007 - Cantigas de Despedida (continuação 1)

28.03.07 | Rosa Silva ("Azoriana")

V 

Inda trago na memória
Uma longa tradição
E nos anais da história
Um hino de glória
Junto à devoção
Pai Filho Espírito Santo
Num cântico de louvores
À bandeira eu levanto
E nela me encanto
Pelos nossos Açores
Um sorriso de alfenim
O gosto de uma rosquilha
As flores desse jardim
Que passam por mim
À volta da ilha
Fazem lembrar uma infância
Juventude e amizades
Alegria em abundância
E agora a distância
Que aumenta as saudades.

VI

Adeus pessoas queridas
Que brindo com simpatia
Por estas páginas tingidas
De cores garridas
Que têm este dia
Nas estrelinhas do mar
À procura de um sorriso
Quero aos Açores voltar
Poder mergulhar
Naquele paraíso
E no Pico das Cruzinhas
Rever a cidade inteira
Frente às cores marinhas
Gaivotas rainhas
Mesmo ali à beira
Apertar em minha mão
Aquela mãe verdadeira
Abrir o meu coração
E dizer então
Te amo ó Terceira.

 

Fim

 

Nota: Ouvi pela primeira vez as cantigas a 28 de Março de 2007, na voz do mestre da dança.

(continua)

Carnaval 2007 - Cantigas de Despedida (continuação)

28.03.07 | Rosa Silva ("Azoriana")

II

Ó minha linda Terceira
Estás gravada em meu peito
Brava gente hospitaleira
Alegre e festeira
Meu amor-perfeito
Para vós amigos meus
Um abraço especial
Fiquem bem junto dos seus
Na graça de Deus
Honrando o Carnaval
Nossa casa recordamos
O sino ainda a tocar
No altar que te rezamos
Quando emigramos
O vimos chorar
Os nossos pais e avós
Com tristeza acenando
Mal se ouvia a sua voz
Tão cheia de nós
Sempre suspirando.

III

(esta cantiga é do autor Hélio Costa)

A minha voz vai subir
Bem alto perto do céu
Se Ele me quiser ouvir
A Deus vou pedir
Pelo povo ilhéu
Que um dia emigrou
Deixando o seu Portugal
E de saudades chorou
E não mais voltou
À terra natal
Vem ver tua ilha amada
Berço do teu coração
Onde a terra é beijada
Pela madrugada
Com ar de paixão
São nove pedras brilhantes
Que no meio do mar estão
Nove estrelas cintilantes
Que nós emigrantes
Temos no coração.

IV

(volto a cantar)

Carnaval é fantasia
Que percorre a nossa ilha
Numa rima de alegria
De noite e de dia
Que o povo partilha
São cenas contagiantes
Que trouxemos na bagagem
E mesmo sendo emigrantes
Não somos distantes
Da sua miragem
Esta sala é prova amiga
A verdadeira paixão
E nesta minha cantiga
A dor se desliga
Em franca oração
Pai-Nosso que estás no Céu
E Virgem Mãe a teu lado
Fazei de mim o teu réu
E que este povo ilhéu
Seja abençoado.

(continua)

Pág. 1/5