Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Açoriana - Azoriana - terceirense das rimas

Os escritos são laços que nos unem, na simplicidade do sonho... São momentos! - Rosa Silva (Azoriana). Criado a 09/04/2004. Angra do Heroísmo, ilha Terceira, Açores. A curiosidade aliada à necessidade criou o 1

Criações de Rosa Silva e outrem; listagem de títulos

Em Criações de Rosa Silva e outrem

Histórico de listagem de títulos,
de sonetos/sonetilhos
(940...pausa... 981)

Motivo para escrever:

Rimas são o meu solar
Com a bela estrela guia,
Minha onda a navegar
E parar eu não queria
O dia que as deixar
(Ninguém foge a esse dia)
Farão pois o meu lugar
Minha paz, minha alegria.

Rosa Silva ("Azoriana")

**********

Com os melhores agradecimentos pelas:

1. Entrevista a 2 de abril in "Kanal ilha 3"



2. Entrevista a 5 de dezembro in "Kanal das Doze"



3. Entrevista a 18 de novembro 2023 in "Kanal Açor"


**********

Já passou o Apagão

29.02.08 | Rosa Silva ("Azoriana")

Até que cumpri com a "brincadeira" ou não do apagão mundial.

O resultado?

Foi bom porque em cinco minutos e no escuro de fora (e de dentro) consegui ver um filme, cuja metragem durou o mesmo tempo, de como era antigamente, antes de haver tanto electrodoméstico, tanto equipamento electrónico, tanto botão para carregar.

Como seria a vida antes de haver necessidade de um apagão?

Imagino que era muito diferente (melhor? pior?), menos comodidade mas garanto que talvez houvesse menos apagões por dentro. Não se ficava eléctrico-dependente. Vivia-se em piores condições é certo, mas haviam mais sorrisos, mais tempo para tudo. Lavar uma pia de roupa de uma família numerosa era uma boa terapia... Agora a máquina lava e se avaria é um inferno...

É assim o nosso mundo que já não aguenta 5 minutos de escuridão total. Gostei da "brincadeira" mas fiquei contente com o ressuscitar da quietude.

Agora, caros visitantes, não há apagão que nos valha. É tarde demais para travar o avanço.

«O Relógio da Vida», de Teixeira da Silva

28.02.08 | Rosa Silva ("Azoriana")

Fazer poesia, não é fácil... agora, entrelaçar adivinhas com ela, isso é que não está ao alcance de todos. Seja como for, parabéns cara amiga, pelo extraordinário trabalho, que entendeu oferecer ao seu amigo, AZEVEDO.

Por aqui, a vida corre serenamente ao sabor do tempo a iluminar-nos os passos da nossa caminhada.

Para tudo isto, há um relógio que nos controla a vida em cada momento...

"O RELÓGIO DA VIDA"

Fica o passar do tempo
Na paisagem,
Numa folha que passa,
E seca, e tomba...

Fica o tempo no tempo
Que não tem tempo
Nem idade
Para sustentar a sombra...

O relógio da vida
Que conta todas as horas
Bate com força no peito
E leva-nos a pensar...

Não com armas de vencido
P'la alma, sonho ou poesia
Mas com a certeza de viver
Sempre pela vida a lutar.

Fica o passar do tempo
Na paisagem,
Viva-se a vida com alegria
E que não seja, miragem...!

Um fraternal abraço,

Teixeira da Silva

RelembrAndo: Na nossa cantoria, o mote da Trulú na glosa do "cantador"

28.02.08 | Rosa Silva ("Azoriana")

Mote (da Trulú):

"ESTE DIVINO ORVALHO
QUE NOS MANDA O CRIADOR
É A BENÇÃO DO TRABALHO
DO POVO TRABALHADOR"

Glosa do "cantador"

"ESTE DIVINO ORVALHO"
caído pela manhã
alimenta o trabalho
que a fértil terra tem

Louvemos por todo o Bem
"QUE NOS MANDA O CRIADOR"
e de todo o mal, também,
nos livre Nosso Senhor

Ao chegar ao fim, sem falho,
a cantoria a crescer
"É BENÇÃO DO TRABALHO"
que as rimas dão a fazer

As rimas dela, engenhosas,
bálsamo consolador,
descanso de mãos calosas
"DO POVO TRABALHADOR"

(...)
"o cantador"
8 de Agosto de 2007

Parabéns (recheados de adivinhas)

28.02.08 | Rosa Silva ("Azoriana")

Faltava um dia para 33,
Eram menos de 24 horas,
Hoje não finda ainda o mês:
Contem com mais 24 horas.

A rima combina com ripas
Nunca com aniversariante
Fica bem rimar com Pipas
E do meu blog não é distante.

Pois... - Quem é? Digam, vá lá!
A reportagem não vai tardar
Ou a Crónica vai chegar cá
Ou ao Jornal irá parar.

Não posso mais guardar segredo
Tenho de dar-lhe os Parabéns!
Já se sabe... É o Azevedo.
- Que bonita idade hoje tens!

" Z O N A V E R D E ", de Teixeira da Silva

27.02.08 | Rosa Silva ("Azoriana")

" Z O N A V E R D E "

A "ZONA VERDE"
Foi a pérola dos meus sonhos de político,
A menina dos meus olhos
Em todos os mandatos;
Por ela, dei tudo de mim e,
Contrariando a vontade de muita gente,
Ela aí está a perpetuar alguns dos meus actos.
A "ZONA VERDE"
Ex. Libris da minha terra
É zona lúdica e de lazer,
Onde todos usufruem o prazer
De diariamente com ela conviver.
A "ZONA VERDE"
Enquanto zona lúdica,
É o paraíso para as crianças de Mondim
Que ali praticam todos os jogos
Num entusiasmo sem fim.
Como zona de lazer, aquele espaço,
É reconfortante e retemperador
Onde toda a gente "carrega as baterias"
Depois de vários dias de labor.
A "ZONA VERDE"
É também a "porta de armas" de Mondim
Quem nos visita, admira-se e comenta:
"Não é em qualquer lado
Que se encontra um lugar assim".
A "ZONA VERDE"
A menina dos meus olhos
Marca um tempo de política
Feita em caminhos de escolhos
Para fazer de Mondim,
Um jardim!!!

Teixeira da Silva

Mui nobres e leais Cidades

27.02.08 | Rosa Silva ("Azoriana")

As Armas dos seus Brasões
São mui nobres e leais:
Um Colar nas especiais;
Listel com designações.

Angra destaca o Açor,
Évora seu cavaleiro,
Sintra Castelo cimeiro,
Noutras a Mãe do Senhor.

Porto invicta cidade,
Com seu Castelo dourado,
Pela Virgem coroado
Resplendor de lealdade.

Guimarães "Cidade-berço",
Desta Nação Portuguesa,
Com Maria em realeza...
Seu manto lembra-me o Terço.

Rosa Silva ("Azoriana")

Nota: Inspirei-me num artigo do blog "Ilha Brava e Doce"

Uma espécie de convite ao poeta Euclides Cavaco

27.02.08 | Rosa Silva ("Azoriana")

Comentário nº 1731 - in Livro de Visitas de «Ecos de Poesia» - "Alma Portuguesa"

Cada poema que leio
Numa moldura de asseio
Alegra o meu olhar;
E ao longo da semana
Da sua alma emana
Beleza p'ra partilhar.

Nessa tela navegante
Com um verde radiante
Ecoa a sua voz.
O "Fado" com emoção
Toca cada coração
E permanece em nós.

De Angra do Heroísmo
(Ressuscitada dum sismo
Que a feriu a fundo)
Venho com sinceridade
Pedir-lhe com amizade
O verso melhor do mundo.

Um Fado p'ra São João
A bela recordação:
«Angra num abraço de prata»
E creia que a moldura
Com um fundo de ternura
Marcará vistosa data.

As festas Sanjoaninas
De belezas cristalinas
Reúnem a nobre gente:
São cinco divas cantando
E pelas ruas dançando
Com São João sorridente.

Junte-se a nós, poeta,
E trace a sua meta
No abraço da sextilha
Nesta que agora faço
Leva-lhe o meu abraço
Que o chama à nossa ilha.

Rosa Silva ("Azoriana")

Elogio aos «Bravos» (e às imagens de André Pimentel)

26.02.08 | Rosa Silva ("Azoriana")

No blog «Os Bravos», de André Pimentel encontrei uma imagem que mereceu logo umas quadras populares:

Visitem a imponente imagem postada a 27 de Julho de 2007

O BRAVO

Dos bravos tu és o rei
Imponente na verdura
Agora quando te olhei
Tracei a tua bravura...

Lindo, elegante, bonito
Grande negro asseado
Nesta imagem eu te fito
E sei que és admirado.

Parabéns por essa foto!

2 de Novembro de 2007

Rosa Silva ("Azoriana")

Pág. 1/6