Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Açoriana - Azoriana - terceirense das rimas

Os escritos são laços que nos unem, na simplicidade do sonho... São momentos! - Rosa Silva (Azoriana). Criado a 09/04/2004. Angra do Heroísmo, ilha Terceira, Açores. A curiosidade aliada à necessidade criou o 1

Criações de Rosa Silva e outrem; listagem de títulos

Em Criações de Rosa Silva e outrem

Histórico de listagem de títulos,
de sonetos/sonetilhos
(940...pausa... 981)

Motivo para escrever:

Rimas são o meu solar
Com a bela estrela guia,
Minha onda a navegar
E parar eu não queria
O dia que as deixar
(Ninguém foge a esse dia)
Farão pois o meu lugar
Minha paz, minha alegria.

Rosa Silva ("Azoriana")

**********

Com os melhores agradecimentos pelas:

1. Entrevista a 2 de abril in "Kanal ilha 3"



2. Entrevista a 5 de dezembro in "Kanal das Doze"



3. Entrevista a 18 de novembro 2023 in "Kanal Açor"


**********

Continuação da Desgarrada de Além Mar - 2ª Edição

30.06.08 | Rosa Silva ("Azoriana")

C.163
Ontem mandei um soneto
Da árv're, prá Renascença,
Pois merece o nosso afecto
E é lindo ver-lhe a crescença!

R.164
Foi um gesto mui bonito.
A árv’re tens dois sentidos:
Dá papel para ser escrito
E vida em ramos floridos!

 

(...)

 

Já está no ar a 2ª edição da Desgarrada de Além Mar, entre a D. Clarisse Barata Sanches, de Góis (a letra verde) e eu (a letra rosa). De novo vem à tona o que a nossa inspiração ditou. Espero que gostem e comentem tanto lá como cá.

 

 

Esta imagem leva-nos à 1ª edição

À "Xana"

30.06.08 | Rosa Silva ("Azoriana")

Muito obrigada pelas tuas visitas e comentários. Um blog também serve para estreitar amizades e, neste caso, é um meio eficaz para começar uma nova amizade.

 

Espero que te decidas a dar início a uma página com tudo o que tens a mostrar ao mundo sobre as nossas tradições culturais. Fazes parte integrante de uma delas e basta coleccionares alguns objectos, vestuário e repertório das canções antigas, que eram muito do agrado dos nossos avós, para rechear a mesma.

 

Uma página pessoal ou um blog são instrumentos úteis para tal fim. A primeira é feita sem necessidade de registos tão assíduos como o blog. O recurso ao blog incentiva a interactividade dos comentários e a novos artigos com data de publicação à nossa escolha.

 

Fico ao teu dispor para tirar alguma dúvida.

 

Beijinhos

 

Rosa Maria

Gosto do improviso

30.06.08 | Rosa Silva ("Azoriana")

"São os espíritos dos poetas que fazem cantar o vento" - D. Angelina Sousa (Turlu)

 

"a poesia, se não for harmoniosamente rimada, não é poesia, mas sim prosa" - Charrua

 

"a poesia é a arte de combinar palavras com sentido poético" - Charrua

 

"a poesia para ter beleza e harmonia tem de combinar as palavras pela rima" - Charrua

 

São estas finas expressões que destaco da leitura continuada e assídua que estou fazendo ao livro precioso "Aurora e Sol Nascente".

 

As lágrimas já me correram ao ler as pérolas que me caíram nas mãos destes bravos terceirenses. Que Deus os tenha ao seu lado felizes e contentes e a cantar lá nos céus.

 

A leitura deste livro despertou-me estas rimas:

 

Gosto do improviso

 

Como a água corre a pique
Em melodia sem fim
Vem-me à mente o despique
Com quem me cantar assim.

Se escrevi sem conhecer
O livro que tenho na mão
Imagino o que vai ser
Depois de dar-lhe atenção.

 

Tenho um homem que adoro
E que faz tudo por mim
Não pensem que o ignoro
Por tecer rimas assim.

De lágrimas ora me cubro
A ler as páginas tantas
A Turlu que está ao rubro:
Cantadeira, tu m'encantas!

Acho que a Turlu no Céu
Me está a mandar sinais
P'ra cantar o povo ilhéu
Em festas e arraiais.

Quem voasse à terra quente
Da América e Canadá
Para ver o que é que sente
Quem anda a cantar por lá.

Quem dera ter as violas
A tocar meu desafio
Mas só a toque de esmolas
Para entrar nesse bom trio.

Será que sei enfeitar
O calor de uma plateia
Só para ouvir cantar
Uma rima que se ateia?

Meu nome eu omitia,
A favor de "Azoriana"
Para ver à luz do dia
A faceta que me abana.

A minha alma até chora
Por não ter estado presente
Na passagem que decora
O valor desta boa gente.

A Turlu não vou bater
Porque a ela ninguém bate
Mas ainda estou em crer
Que a cantoria me cate.

Esta rima é muito pobre
Disso tenho a noção
Mas é ela que me cobre
Esta doce vocação.

Se um dia eu cantar
Mesmo com a fraca voz
Vai ser para bem lembrar
Quem já partiu de nós.

A Turlu e o Charrua
Poetas de eleição
Cantaram à luz da lua
Seu talento em oração.

José de Sousa Brasil
Charrua, foi conhecido
Com aplausos mais de mil
Que o fez reconhecido.

Tal como o Mestre das Velhas
Nasceu dia de São João
São duas boas parelhas
Fazendo jus ao torrão.

Vinte e cinco anos dista
A época de cada um,
O nosso agrado conquista.
Como estes não há nenhum.

Ai se eu pudesse abraçar
A mulher da minha estima:
As lágrimas iam contar
Meus amores pela rima.

Rosa Silva ("Azoriana")

"Aurora e Sol Nascente" - um Livro de Ouro

30.06.08 | Rosa Silva ("Azoriana")

Ao décimo terceiro dia de férias, após uma manhã atordoada pelos barulhos de uma obra vizinha, resolvi fazer algo que me ocupou a mente por algumas horas e virá a ocupar futuramente, assim espero.

 

Após dez dias de “entra e sai” para a cidade festiva, nada melhor para apaziguar o delírio do fim, do que um bom livro. Bons livros tenho eu (uns oferecidos e outros que, por caros que fossem, valeram o sacrifício). Mas este que me prendeu os sentidos tem um nome matutino e poético: “Aurora e Sol Nascente”; o subtítulo são “Confidências”, dos grandes Turlu e Charrua, pelo autor Mário Pereira da Costa, que se apresenta na contra capa e que eterniza, assim, este par magnífico da Cantoria ao Desafio e Poesia.

Não li o miolo total do livro. Li a introdução, os agradecimentos e os 2 poemas em destaque, ainda no interior da capa final – “Aurora” da autoria de Charrua e “Sol Nascente” de Turlu. Belo destaque!

Na intimidade do meu quarto nasceu-me vários sentimentos. Ainda é cedo para os revelar, se bem que um é fácil de adivinhar. Há algo que me atrai para este livro que, finalmente, nos dá a conhecer a mulher, digo, o par repentista. Sim! Decididamente, eu também o sou – repentista. O meu coração treme e a minha alma vai amar este livro. Qual será o meu destino?

Bem-haja o seu autor Mário Costa.

 

 

Rosa Silva (“Azoriana”)

 

Transcrito por: Paulo Borges (“PIPOCA”) – filho da Azoriana

 

Nota: O Pipoca segue a par e passo as inspirações da sua mãe. Talvez um dia seja o seu seguidor nas Cantorias, já que mulher da cantoria foi a Turlu e nunca mais se viu igual.

 

 

 

 

Imagem de AzoresGlobal.com

Trono da cidade

30.06.08 | Rosa Silva ("Azoriana")

Frente à toada do mar
Num balanço transparente
Vejo patos cirandar
Numa fila docemente.
O ensaio vai começar.
Faz-se em mim fogo ardente;
Há um som que faz vibrar
Uno coração que sente.
E nas portas da cidade,
Abertas em simultâneo,
Num solo extemporâneo...

Há degraus, humanidade,
Gestos d'água, magia:
Há amor, junto à baía!

Rosa Silva ("Azoriana")

 

Em http://www.sonetos.com.br/sonetos.php?n=12543

Índice temático: Desenho sonetos

O prazer terceirense

29.06.08 | Rosa Silva ("Azoriana")



Minha alma está cantando
De alegria sem fim
Porque hoje estou rimando
E a saudade entra em mim.

A festa vai acabar
O povo vai descansar
Chega ao fim a romaria.
Em coro nossa oração
Dez dias p'ra São João
Num reinado d'alegria.

Meu amor vem p'ro meu lado
Acerta o passo comigo
Olha p'ro céu estrelado
Porque hoje é nosso amigo.

Vão os músicos tocar,
Deixando um rasto de luz,
E nos olhos do luar
O Adeus já nos reluz.

É o prazer terceirense
Que assalta toda a gente.
Esta festa nos pertence
Mas alastra docemente.



2008/06/29

Rosa Silva ("Azoriana")

Nota:
Parabéns a Lara Braga e a toda a sua equipa;
Parabéns a toda a gente que participou activamente nestes dez dias de festa;
Parabéns a toda a população que emoldurou os passeios das ruas por onde desfilaram milhares de pessoas;
Parabéns pelo sucesso sanjoanino!

Este o meu último artigo alusivo a esta festa, regado de saudade...

Após o desfile de Filarmónicas, onde o meu filho mais novo também se encontrará, fecha-se a festa com chave de ouro com fogo de artifício na baía de Angra do Heroísmo. Junto com as lágrimas felizes que caírão do céu resplendoroso juntarei as minhas também...

- Até para o ano se Deus quiser. Bravo, bravíssimo!

 

 

O aniversário da Joanina

29.06.08 | Rosa Silva ("Azoriana")

Eu que não fui bailadeira
Só nascida na Terceira
Com vontade de bailar.
Mas nesta hora presente
Fiquei deveras contente
Por alguém me convidar.

Pelas ruas da cidade
Desfilou com amizade
O folclore cá da ilha.
Conheci duas irmãs
Que são as tuas fãs
E o seu sorriso brilha.

Foi nessa hora então
Que rimos com mais razão
Ao falar da Joanina.
A São Pedro quis cantar
P'ra contigo festejar
Os anos da "bailarina".

Neste dia do Senhor,
De São Pedro seguidor
Da sua vida sagrada;
É o teu dia também
E desta festa que tem
A dezena terminada.

Parabéns, Parabéns!
Por mais um Verão que tens
Num dia tão festejado:
Olha p'ro céu a sorrir,
Fecha os olhos a seguir
Verás a gente a teu lado.

A Mena e Azoriana,
A rimar também a Xana,
E as amigas bloguistas:
Todas te vão abraçar,
Verás foguetes no ar
E Parabéns dão nas vistas.

Beijinhos Amiga!



Rosa Maria

"As tradições da nossa gente" desfilAndo em Angra do Heroísmo

28.06.08 | Rosa Silva ("Azoriana")

Uma carta da Califórnia...


"Querida amiga Azor,

Este mail tem o propósito de te agradecer tudo o que fizeste por mim nestas Sanjoaninas!! Através do teu blog, das tuas reportagens, das tuas fotos, das tuas rimas, eu pude estar presente nas festas que adoro, mesmo sem o estar. Emprestaste-me o teu tempo, os teus olhos, a tua sensibilidade, a tua alegria e levaste-me contigo às festas Sanjoaninas. Eu sei que não o fazes só para mim... Mas sei que também o fazes a pensar em mim, e por isso te agradeço do fundo do meu coração!


Eu costumo dizer que Deus me abençoou com o Dom da Amizade... Tu és mais uma prova desse dom com que Ele me abençoou.


Obrigada! Obrigada!!!

A tua amiga que gosta muito de ti,


Jo"

 

Esta carta, via e-mail, chegou na hora H e comoveu-me. Eu estava precisamente a acabar de editar algumas fotos que captei ontem à noite, do desfile das paróquias de Angra do Heroísmo, com "As tradições da nossa gente". Confesso que o fiz também a pensar na minha amiga Joanina e em tantos outros emigrantes com os olhos pendurados no meu blog como que à procura de algo que lhes corte as saudades, ou simplesmente para conhecer o que por cá se vai fazendo pelas festas Sanjoaninas, que estão a um dia de chegarem ao seu terminus.

 

O desfile comoveu-me quando vi a minha freguesia natal, a Serreta, muito bem representada pelas pessoas que lhe dão alma e porque trouxeram o melhor quadro que retrata bem a nossa tradição: os romeiros da Senhora dos Milagres. O pequeno vídeo que se segue não tem a qualidade desejada mas foi o que consegui. Perdoem-me não ter meios melhores mas é a "prata da casa".

 

 

 

Depois de degustar a boa massa sovada que nos ofereceram, houve tempo para captar mais imagens, que podem ver seguindo a hiperligação na foto-montagem abaixo. Tudo isto é para vós que não estais presentes:

 

As Tradições Da Nossa Gente

 

As Tradições da Nossa Gente

Pág. 1/7