Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Açoriana - Azoriana - terceirense das rimas

Os escritos são laços que nos unem, na simplicidade do sonho... São momentos! - Rosa Silva (Azoriana). Criado a 09/04/2004. Angra do Heroísmo, ilha Terceira, Açores. A curiosidade aliada à necessidade criou o 1

Criações de Rosa Silva e outrem; listagem de títulos

Em Criações de Rosa Silva e outrem

Histórico de listagem de títulos,
de sonetos/sonetilhos
(940...pausa... 981)

Motivo para escrever:

Rimas são o meu solar
Com a bela estrela guia,
Minha onda a navegar
E parar eu não queria
O dia que as deixar
(Ninguém foge a esse dia)
Farão pois o meu lugar
Minha paz, minha alegria.

Rosa Silva ("Azoriana")

**********

Com os melhores agradecimentos pelas:

1. Entrevista a 2 de abril in "Kanal ilha 3"



2. Entrevista a 5 de dezembro in "Kanal das Doze"



3. Entrevista a 18 de novembro 2023 in "Kanal Açor"


**********

Ao poema de Euclides Cavaco: Apocalipse

31.03.09 | Rosa Silva ("Azoriana")

É verdade, sim senhor,
Tudo o que hoje nos revela,
Só resta dar-lhe valor
Pela poesia tão bela,
Porque o resto é só dor
E é triste cada mazela.

"Apocalipse" feito poema,
Da ilustre inspiração,
Pode dizer-se o emblema
Do que vai pela Nação.
Por outro fico em dilema
Antes da comemoração...

Vem aí o mês de Abril,
Rico de flores e cantos,
E dos versos de anil
(Que nem sequer são de prantos)
Onde a rima é juvenil
P'ró dia dos meus encantos.

Quem me dera que a vida
Fosse retalhos de amor
Longa e mui bem vivida
Com a graça do Senhor;
Mas minha alma é ferida
Com espinhos de pecador.

Sou como a gente comum
Que sofre e que sorri;
Há um dia que é só um
E marca o quanto vivi...
Creio que virá algum
Que marque o que hoje li.

Rosa Silva ("Azoriana")

Exposição fotográfica com fotos de Mário Silva sobre o Sismo de 1.1.1980

31.03.09 | Rosa Silva ("Azoriana")

Ver cartaz aqui.

Na Escola Secundária de Angra do Heroísmo, dos alunos do 12º ano - Grupo A.L.T.A. magnitude.

Visitei-os porque um dos elementos é a minha filha. Encontrei professores do meu tempo de estudante que, actualmente, são professores dos meus filhos. No livro de visitas deixei o meu registo, repentino, assim:

Gostei muito da exposição
Pese embora a situação.
Lembro bem de tais retalhos
Da tragédia e seus trabalhos.

Uma onda de tristeza
Nesta ilha, qual pobreza,
Que assolou a nossa alma
E nos fez perder a calma.

Bem-hajam os estudantes
Que assim não são distantes
Do que viveram seus pais
Noutros tempos desiguais.

E bem-haja a Educação
Destes filhos da Nação.
Que Deus guarde com ventura
O trabalho que perdura.

Rosa Silva ("Azoriana")

CCD - Agradecimento vespertino

31.03.09 | Rosa Silva ("Azoriana")
ccd1.JPG

Um presente de simpatia
Que acabo de receber
Para alegrar o meu dia
Que amanhã irá nascer.

E nasce minha resposta
Nesta hora antecedente
Porque toda a gente gosta
De receber um presente.

Obrigada ao «CCD»
E à sua Direcção:
Fico à vossa mercê
Do fundo do coração.

Que a vossa sociedade
Seja sempre afortunada;
Vou guardar, com amizade,
Esta lembrança asseada.

Rosa Silva ("Azoriana")



















Na véspera de mais um aniversário...

31.03.09 | Rosa Silva ("Azoriana")

Hoje e a esta hora, ainda estou viva. Amanhã não sei. Mas para não pensarem que é peta, porque é a pura da verdade, nasci às 13 horas do dia 1 de Abril, que é um dia especial para mentiras, o mesmo que dizer, PETAS.

Sinceramente não me apetece escrever muito. Estou naquela fase de espera, que não gosto nada. Gostava de puder dizer que não me fui com esta idade, mas só amanhã à tarde é que o posso afirmar.

Se os amigos(as), leitores e/ou visitantes aparecerem por cá e quiserem comentar com qualquer coisita, postarei no dia seguinte com data de 1, como sendo o artigo do dia, e isso talvez me levante esta telha de angústia. É verdade, sinto uma angústia e uma apatia terríveis a sobrevoar-me. O mundo está em crise, nós estamos em crise, eu estou em crise (há muito tempo, muito antes da maioria dar por ela).

Por incrível que pareça, e não é peta, nem consigo realizar um, dois ou três sonhos pequeninos.

Vou sonhando com:

- Um belo ramo de rosas vermelhas;

- Um perfume de deslumbrar;

- Um passeio à volta da ilha (porque é o meu dia de folga).

Tenho outros sonhos muito mais caros mas prefiro guardá-los a sete chaves.

Mas o melhor mesmo é conseguir passar o dia na companhia dos meus filhos, nem que seja em pensamento uma vez que um está ausente, e de mais alguém.

E só peço a Deus e a Nossa Senhora dos Milagres, da Serreta, que é o meu torrão natal, o mais importante: que não falte a saúde. De resto, haja saúde para todos os que por aqui passarem e seus familiares. Desejo-vos em dobro o que desejarem a mim.

A minha casa fica à vossa disposição se me quiserem fazer uma visita, ao cair da tarde ou lá para a noitinha.

Enquanto espero vou dando uma olhada ao novo blog de Donato Parreira - Terceira em Fotos - que anuncio na véspera de mais um dos meus aniversários, porque o próximo, se Deus quiser, será o lustro(*) do blog.

(*) = cinco anos.

Rosa Silva ("Azoriana")

Vida de cão

31.03.09 | Rosa Silva ("Azoriana")

Uma história comovente
Da vida do cão "Contente":
Quem me dera a versão
Dos donos da triste acção.

Vê-se que há crise animal
Que se sente por igual:
É que para o sustentar
Algo mais se vai gastar.

Lembro, então, do meu Leão,
Quando lhe dei atenção:
No colo, tão pequenino,
Parecia o meu "menino".

Tal como a gente, eles crescem,
E também desobedecem,
Há que lhes dar bom ensino,
E não lhes dar mau destino.

Para fome não passar,
E de frio não rosnar,
Há que inventar soluções
E miminhos aos serões.

Não se deve abandonar
Quem por nós quer zelar;
Mas se minga a iguaria
Ajudar melhor seria.

Crianças e animais,
E quem já não pode mais
Devem ter uma garantia
De um "naco de pão" por dia.

Se antes eu nem gostava
E dos cães eu nem falava...
Agora até percebi
O que senti quando o li.

Entendo só que a pobreza
Cause a dor e tal fraqueza...
Mas deixar ao abandono
Deve doer muito ao dono.

Porque um animal não fala,
Mas seu olhar nos abala.
E digo, de coração,
Gosto muito do meu cão!

Homenagem a José Serpa

26.03.09 | Rosa Silva ("Azoriana")

Minha casa se renove
In Canada dos Folhadais,
São Carlos já me comove
P'la frescura dos quintais.

Quer ser nova freguesia,
É digna de ser honrada,
Quem me dera que um dia
Fosse em hino entoada.

São Carlos de cores garridas,
E de cheiros amistosos,
De frutas belas erguidas
Pelos ares clamorosos.

A rima é o que m'encanta,
E a veia quando quer
Qualquer hora me levanta
Isto que aqui pode ler.

Mas se fosse p'ra cantar
Nas ruas do improviso...
Só me faltava afinar
O tom, para ser preciso.

E vai nesta homenagem,
A rimar torto a direito,
E se me vir de passagem
Acene a seu bom jeito.

Nossas terras são belezas
Que devemos bem cantar,
Vivam as suas destrezas
Melodias de encantar.

E se alguma inspiração,
Destas poucas que eu faço,
Lhe der ritmo e acção
Podem ir p'ro seu espaço.

Rosa Silva ("Azoriana")

Uma nova descoberta: a página de José Serpa

25.03.09 | Rosa Silva ("Azoriana")

Por acaso cheguei ali,
E ali gostei de estar;
E por tudo que já vi
Hei-de, um dia, lá voltar.

Nossas ilhas são tão lindas,
Que deslumbram o olhar...
Dou-lhe, agora, as boas-vindas:
"Florentino" as fez brilhar!

Dão mote às cantorias,
E aos versos que adoro...
São campo de melodias
P'rós lados onde eu moro.

Chilreios na alvorada
E no coração da ilha
Fazem com que a madrugada
Seja tema de partilha.

E partilho o meu abraço,
Com boa disposição,
E que esse bom espaço
Seja sempre uma atracção.

Feliz é todo aquele
Que dá o que melhor tem;
Graças se dêem a Ele
Que nos deu tamanho bem.

Rosa Silva ("Azoriana")

Nota: In livro de visitas, nr. 666, em 25/03/2009.

In "Bagos d'Uva", mui digno e ilustre blog dos...

24.03.09 | Rosa Silva ("Azoriana")

Biscoitos

Canto do Vinho


Eu não sei provar o vinho
Da forma que aqui vejo...
Mas ver-me nesse caminho
É o que mais eu desejo.

Na quarta-feira de Abril,
É dia de aniversário,
Porque as petas são às mil
Vinho brota no diário.

Dos Biscoitos eu sou fã,
De uma à outra margem,
Quem me dera p'la manhã,
Acertar minha viagem.

Ir direitinha ao centro,
Relembrar uma outra era,
E cantar cá bem de dentro
Uma nova Primavera.

Primavera junto ao mar
É oásis de beleza,
Com o aroma a cirandar
Nos poros da natureza.

Ó minha linda Terceira,
Tens um encanto sem fim,
Para mim és a primeira
Que me faz cantar assim.

Dos Biscoitos ao Raminho,
Passando pela Serreta,
Há-de cheirar sempre a vinho
Dessa boa curraleta.
  Eu não sei provar o vinho
  Da forma que aqui vejo...
  Mas ver-me nesse caminho
  É o que mais eu desejo.

Rosa Silva ("Azoriana")

Cantei, a propósito de uma imagem muito bonita...

24.03.09 | Rosa Silva ("Azoriana")

3 Anos

Pelo céu bailam gaivotas
Que contigo são devotas
Do Terceiro Aniversário,
E o mar que as espreita
Pela areia também deita
Cantigas ao teu Diário.

Abrem-se as folhas da vida,
Que te é muito querida,
Numa alegria sem fim;
Uma flor, rosa encantada,
Festeja mais animada,
Um dia tão lindo assim.

Parabéns «Chica Ilhéu»,
De Angra do Heroísmo,
São Pedro logo te deu
O prazer do teu lirismo.

Rosa Silva ("Azoriana")

Quase a chegar...

24.03.09 | Rosa Silva ("Azoriana")

Cá estou eu com um Bom Dia!
Nesta onda de alegria
Para a festa preparar
'Stou quase a dobrar o ano
Neste campo açoriano
Com bela vista p'ró mar.

Quero rimar, ser alegre,
Que essa onda não se quebre,
P'ra comigo festejar;
Venha a musa encantada,
P'ra me sorrir à entrada
Que está quase a chegar.

Rosa Silva ("Azoriana")

P.S. Faltam 8 dias para o meu aniversário. Que Deus me dê saúde para lá chegar e convosco comemorar.

Pág. 1/4