Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Açoriana - Azoriana - terceirense das rimas

Os escritos são laços que nos unem, na simplicidade do sonho... São momentos! - Rosa Silva (Azoriana). Criado a 09/04/2004. Angra do Heroísmo, ilha Terceira, Açores. A curiosidade aliada à necessidade criou o 1

Criações de Rosa Silva e outrem; listagem de títulos

Em Criações de Rosa Silva e outrem

Histórico de listagem de títulos,
de sonetos/sonetilhos
(940...pausa... 981)

Motivo para escrever:

Rimas são o meu solar
Com a bela estrela guia,
Minha onda a navegar
E parar eu não queria
O dia que as deixar
(Ninguém foge a esse dia)
Farão pois o meu lugar
Minha paz, minha alegria.

Rosa Silva ("Azoriana")

**********

Com os melhores agradecimentos pelas:

1. Entrevista a 2 de abril in "Kanal ilha 3"



2. Entrevista a 5 de dezembro in "Kanal das Doze"



3. Entrevista a 18 de novembro 2023 in "Kanal Açor"


**********

Salvé Espírito Santo

31.05.09 | Rosa Silva ("Azoriana")



É a voz do coração
Que na paz melhor ecoa
E a divina inspiração
Nossas almas sobrevoa.

O Solene Espírito Santo
Se festeja entre nós,
Porque dele gosto tanto
Ergo alta a minha voz.

No Coreto a melodia,
No Império a divindade,
Na Despensa a alegria:
Pão e vinho da Trindade.

Pentecostes se celebra,
Numa dádiva feliz
Este zelo não se quebra
Porque ele vem da raiz.

É a alma açoriana
Numa bandeja de amor
Que anuncia a soberana
Graça pura do Senhor.

Rosa Silva ("Azoriana")


























À pessoa que já sabe do meu gosto pelas rimas e me canta versos sempre que me vê...

29.05.09 | Rosa Silva ("Azoriana")

Se quiseres ter de mim
A feliz recordação
Planta uma rima assim
No jardim do coração.

Desejo o melhor, enfim,
Da cantiga e do refrão
Ao que desejas a mim
Em qualquer ocasião.

Quando me cantas a eito
Com sorriso radiante
Já sabes que levo jeito

Nas rimas que és semelhante
E plantas um lírio ao peito
Da mãe que tenho distante.

Rosa Silva ("Azoriana")

Descobri que já sabes onde o meu blog navega. Quando leres estas quadras dedicadas a ti, lembra-te que foi a minha mãe que te trouxe para perto de mim para que ela sorria no Céu com os lírios que se vão plantando. Está na hora de começares o teu blog e, assim, fazemos nascer, quiça, o dueto da cantoria.

O encanto das paisagens das ilhas açorianas

29.05.09 | Rosa Silva ("Azoriana")

Pôr-do-sol ilhéu (1)

Dourada, linda paisagem,
Numa silhueta muda
No seio que se desnuda
Na ilha de alta miragem.

O Pico é ilha de sonho,
Com a de São Jorge à ré,
Que lhe beija o vasto pé
Num leito assaz risonho.

Risonha a dança do mar
Que é berço de mil golfinhos
Recheados de carinhos
De quem os pode avistar.

Mar e Sol em harmonia
Passeiam à cabeceira
Da vistosa ilha Terceira
Que é a estrela guia.

Rosa Silva ("Azoriana")

Nota: (1) Após ver belas imagens recebidas por e-mail com o pôr-do-sol magnífico entre as ilhas Pico e São Jorge - Açores.

Convite "Epicentro"

28.05.09 | Rosa Silva ("Azoriana")

À semelhança do ano transacto, a Direcção Regional da Saúde associa-se ao Festival de Actividades "Epicentro".

Para o presente ano, a Direcção Regional, leva a efeito uma campanha que divulga as regras de lavagem higiénica das mãos e os cuidados a ter na prevenção da propagação de microrganismos, mediante sessões práticas/demonstrativas a decorrer no stand afecto à SReS/DRS.

Convida-se V. Exª para visitar a iniciativa em apreço, que se realiza em Angra do Heroísmo - Relvão, nos dias 29 (9h30 - 16h00), 30 (10h - 16h) e 31 de Maio (10h - 17h).

Cantar por escrito...

28.05.09 | Rosa Silva ("Azoriana")

"Galanta" foi cantador
Que agora já não canta?!
Neste verso acolhedor
A minha voz se levanta.

E grande foi a surpresa,
Dos cantares que ali vejo,
Pois mostram a realeza
Das cantigas a desejo.

Da bloguista Azoriana
Vai um abraço e um sorriso:
É raro numa semana
Não "cantar" de improviso.

Minhas cantigas escritas
Têm uma das nossas cores
Se hoje aqui não as fitas
Mas creia que são dos Açores.

Da ilha Terceira em festa,
Com os cantares do Pezinho,
Não há outra como esta
Para a carne, pão e vinho.

O Bodo está a chegar,
Em torno da nossa ilha,
Para o povo presentear
Com o cantar da rosquilha.

Ó rosquilha abençoada,
Que cantas de mão em mão
Serás por mim idolatrada
Junto do bom canjirão.

Na despensa canta o vinho,
Da boca sai o refrão:
Neste verso acarinho
Quem dele faz a oração.

Uma oração ao Divino,
Improviso nesta hora,
Neste cantar todo fino
Da boca de uma senhora.

E se vier a resposta,
Do Galanta, por escrito,
Podem crer que fica exposta
No blogue em que medito.

Azoriana se despede
Com um sorriso veloz
E desculpas ora pede
Por algum erro de "voz".

Bravo, bravo minha gente,
Dos pilares da Terceira,
Sóis dos versos a nascente
Da cantiga a sementeira.

Rosa Silva ("Azoriana")

Bases de Dados - Access

28.05.09 | Rosa Silva ("Azoriana")

O que me encanta verdadeiramente são as bases de dados que vou criando à medida das solicitações. As bases de dados obedecem a uma estrutura lógica e relacional tendo em conta as funcionalidades das Tabelas, Consultas, Formulários, Relatórios, Páginas, Macros e Módulos.

Geralmente, utilizo as Tabelas, as Consultas, os Formulários e Macros. Os Relatórios prefiro executar externamente à base de dados propriamente dita. Opto por exportar dados compilados pelo assistente de consultas simples e de referência cruzada, para a folha de cálculo "Excel" ou para o processador de texto "Word". Tanto num caso como noutro, faço sempre a personalização da folha e/ou documento de acordo com o destino.

Os painéis de navegação são o melhor utilitário da base de dados porque permitem a localização imediata de dados registados nas Tabelas ou pesquisaveis pelas Consultas.

As Tabelas podem ser únicas (internas à base de dados) ou ligadas a outra base de dados (externa) para surtir bons efeitos nas relações.

As relações numa base de dados têm sempre por mote a chave de acesso ou o código estipulado pelo criador, que, na maioria dos casos, é gerado automaticamente pela própria base de dados, após a sua definição primária.

O meu gosto por esta matéria já vem de longe... Talvez aponte aí para os anos noventa.

Rosa Silva ("Azoriana")

Imagens de encantar

28.05.09 | Rosa Silva ("Azoriana")

À imagem "Muita Paz!!!", que acho magnífica, de Paulo Garrão:

E no mar sujeita
No centro dorsal
Na imagem que é feita
Dum olhar ideal.
E nada se tinge
Do que é tingido
P'lo berço esfinge
No mar ao comprido.
Pérolas que brilham
Na manta de mar
Decerto perfilham
Sonhos d'encantar.
Balança a vida
Em plena visão
Poesia sentida
P'lo Paulo Garrão!

Rosa Silva ("Azoriana")

Oh, meu querido telemóvel!

28.05.09 | Rosa Silva ("Azoriana")

Com um "celular" nós temos na mão,
O mundo estreitinho, quase se não vê;
Mas ganha terreno, goza o coração,
E neste aparelho toda a gente crê.

Ainda hoje, mesmo, e não foi em vão,
Eu fui descobrir que ele anda à mercê
Do saldo na crise, e, na evolução
Se podem ver lá imagens "TêVê".

Assim vamos todos nesta caminhada
E com alguns riscos desta nova estrada,
Nem outras gerações com isto sonhavam!

Com ele na mão, navega toda uma vida
E mesmo que no visor comprimida,
Jamais chegará aos que bem nos criavam!

Rosa Silva ("Azoriana")

 

Índice temático: Desenho sonetos

Período de "fading"

28.05.09 | Rosa Silva ("Azoriana")
Não conheço a definição exacta do termo "fading" mas é o que sinto neste momento: uma espécie de debilitação física motivada por uma gripe (espero que sazonal) que me está apoquentando. Se o auto-medicamento não resolver outra coisa terá de ser, mas não posso permanecer em casa porque a necessidade obriga a que me vá aguentando nas canetas. Se piorar vou ter mesmo de permanecer na caminha. Por enquanto estou com sonolência, má disposição e a ver se me aguento.

Pág. 1/6