Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Açoriana - Azoriana - terceirense das rimas

Os escritos são laços que nos unem, na simplicidade do sonho... São momentos! - Rosa Silva (Azoriana). Criado a 09/04/2004. Angra do Heroísmo, ilha Terceira, Açores. A curiosidade aliada à necessidade criou o 1

Criações de Rosa Silva e outrem; listagem de títulos

Em Criações de Rosa Silva e outrem

Histórico de listagem de títulos,
de sonetos/sonetilhos
(940...pausa... 981)

Motivo para escrever:

Rimas são o meu solar
Com a bela estrela guia,
Minha onda a navegar
E parar eu não queria
O dia que as deixar
(Ninguém foge a esse dia)
Farão pois o meu lugar
Minha paz, minha alegria.

Rosa Silva ("Azoriana")

**********

Com os melhores agradecimentos pelas:

1. Entrevista a 2 de abril in "Kanal ilha 3"



2. Entrevista a 5 de dezembro in "Kanal das Doze"



3. Entrevista a 18 de novembro 2023 in "Kanal Açor"


**********

Na véspera de mais um...

31.03.10 | Rosa Silva ("Azoriana")

Um sítio que eu gosto muito de "visitar" (posso contar as vezes que lá fui) é um salão de cabeleireira. Não é que tenha uma cabeleira farta e abundante mas pelo menos na véspera do meu aniversário, faço quase sempre questão de me alindar. Parece que entro com uma cara e saio com outra, isto é, o meu astral eleva-se e, por um dia, sinto-me nas nuvens e todos ao meu redor se apercebem que levo um "look" mais arejado e sorridente.

Se vos contasse porque faço disto uma espécie de "ritual" é que já não me iam considerar muito arejada das ideias. Adiante.

Portanto, já sabem, aqui a "je"

Rosa Silva 2010

está de cabelo curto e penteado, mãos de acordo com a moda actual que se prende com algumas unhas com um toque de "efeitos especiais", como costumo lhe costumo chamar. Ah e não me venham dizer que não mereço!… Claro que mereço. Não é só lavar louça, esfregar roupa, cavar ervas daninhas, varrer, limpar, trabalhar, teclar e dormir, etc. Tenho direito a um dia de devaneios.

Estou pronta para o que der e vier. Será que faço a minha passagem de ano com a alegria que meus pais me incutiram ao longo de suas vidas?! É esse pormenor que me atormenta sempre até ao virar de uma para outra primavera. O signo carneiro parece que tem estas coisas: tanto pode estar em alta como logo a seguir tem um pesadelo. :-)

A todas as pessoas que comemoram seu aniversário amanhã, os meus parabéns. Lembro que José Rodrigues dos Santos é um deles (Minha mãe é que me chamava a atenção para este facto). Mas há mais. Sei que há uma homónima que era natural de São Sebastião, do concelho de Angra do Heroísmo, que nasceu com um quarto de hora de diferença e tem o mesmo nome e as mesmas siglas do apelido: Rosa Maria C.S. Não a tenho visto e não sei se continua pela ilha. Sei que esta coincidência marcou-me desde o tempo do liceu.

Por agora é só. E cuidado com as mentiras, o mesmo que dizer - as PETAS!

Rosa Silva ("Azoriana")

Louvor ao autor de "Bagos d'Uva", blog do Verdelho biscoitense

30.03.10 | Rosa Silva ("Azoriana")

Grande honra lhe seja dada
Caro amigo biscoitense
Pela beleza retratada
No blog que lhe pertence.

A Serreta é romeira,
Peregrina de devoção,
Onde está a Padroeira
Que fica no coração.

É pequena e modesta,
Mas muito grande na fé,
Em Setembro a sua festa
Atrai promessas a pé.

Na América e Canadá
Festejam a mesma Senhora:
Dos Milagres, nasceu cá,
E no Corvo também mora.

No mundo inteiro Maria,
Mãe do Deus crucificado,
Inspira prosa ou poesia
Pétala de amor sagrado.

Serreta, divina flor,
Centro de recolhimento,
Santuário de Amor
No Altar do Sacramento.

Enquanto puder cantar
O torrão onde nasci
Farei com que terra e mar
Sejam do melhor que vi.

Avé Mãe, cheia de Graça,
De Milagres perfumada,
Do coreto e da praça
Pelo archote iluminada.

Do Império ao Divino,
Da Despensa onde há pão,
E da toada do sino
Sempre com uma missão.

Ao nascer de nova aurora
Junto o sol no horizonte
Que beijam sempre a Senhora
Que nos sorri bem defronte.

Rosa Silva ("Azoriana")

Olá amigos leitores

30.03.10 | Rosa Silva ("Azoriana")

Fazendo um ponto da situação presumo que falta apenas um dia para a votação da blogagem colectiva de Março terminar. Desta vez, sinto que a minha participação, em prosa, não foi merecedora de qualquer click. Não restam dúvidas que sempre me atrai mais a rima, mesmo que me digam o contrário.

Posto isto, falta apenas esta noite, um dia e metade do outro que é o das "mentiras", coincidente com a Quinta-feira do Lava-pés, da Semana Santa de 2010, para que eu tenha mais uma passagem de ano, se Deus quiser. Até às trezes horas do dia 1 de Abril costumo ficar numa ansiedade repetente: será que vou completar este ano e entrar no novo?!

Se conseguir comemorar a data tenho alguns desejos pequeninos: o primeiro prende-se com uma visita que gostava de repetir. Fará precisamente um ano que por lá passei e trouxe umas recordações; o segundo era ter um ou mais comentários nem que fosse com um simples "olá"; o terceiro era ter a minha família reunida em alegria comigo, uma vez que o dia seguinte (Sexta-feira Santa) é um dia triste motivado pela Paixão do Cristo Jesus.

Que todos possamos comemorar a Páscoa que nos liberta para uma nova vida e que o perdão seja um abraço de paz.

Agradeço a todos que me tem visitado aqui no blog e a quem me tem adicionado na nova modalidade -  Facebook, a  que aderi, sem ser para participar em jogos e/ou aplicações de entretenimento mas tão somente para encontrar novas amizades, criações de grupos  temáticos e  visitar parentes de longe e/ou de perto com um simples toque de tecla.

 

Não sei se vou escrever algum post até ao dia de aniversário... Até lá me aguardem, por favor!

 

Rosa Silva ("Azoriana")

O galo

29.03.10 | Rosa Silva ("Azoriana")

Estou prostada na saudade
De coisas que tinha outrora
Curiosas, na verdade,
Que ressoam nesta hora.

Despertador natural
Num canto madrugador
Fez parte do meu coral
Das galinhas o primor.

Erguia ao romper da aurora
O triunfo da cantiga
Seduzindo naquela hora
A sua melhor amiga.

Hoje já não ouço o galo
O mestre bem afinado
Já me fugiu o gargalo
Resta-me o eco legado.

Canto meu dom ao luar
Tenho a aurora adormecida
Não sou um galo a cantar
Mas só ele me dá vida.

Se canto mesmo a escrever
Rendida à velocidade
É porque junto o prazer
Ao amor e à saudade.

Rosa Silva ("Azoriana")



P.S. Enquanto espero a chamada na consulta, vendo um galo madrugador num programa televisivo. Isto só prova que o dom vai com o cantador seja para onde for.

Poeta Popular, Cantador exemplar

27.03.10 | Rosa Silva ("Azoriana")

In Grupo do Facebook - José de Sousa Brasil Charrua, criado por mim a 27 de Março de 2010, com outros administradores aderentes à homenagem póstuma.

 

Centenário do nascimento do Charrua
24 Junho 2010


José de Sousa Brasil Charrua

 

Charrua foi o cantador
Que brilhou no mundo inteiro
Honremos o seu valor
Entre todos o primeiro!

Memorando ao Charrua
Merece a distinção
Sua Aurora, mulher sua,
Cantadores por vocação.

O amor pla cantoria
Não se compra nem se vende
É o dom por mais-valia
Que com versos se defende.

Agradeço ao Senhor
Ter-me dado esta virtude
De honrar o Cantador
Pela boa atitude.

À Cultura Regional
Deu valores reconhecidos
Por isso peço, em geral,
Que não sejam esquecidos.

Não precisa ter vintém
Para uma festa fazer
Basta dar o que se tem
Com gosto, dom e prazer.

Quero vossa opinião
Vosso empenho e agrado:
Bela comemoração
Por nosso povo honrado!

Fica aqui a minha estima
Por Turlu e por Charrua
Que souberam dar à rima
O Brilho do Sol e Lua!

27 Março 2010
Rosa Silva ("Azoriana")

Logotipo - "Carnaval Solidário"

26.03.10 | Rosa Silva ("Azoriana")
Solidariedade

O sol nasce para todos
E ninguém diz o contrário
Entre cantigas a rodos...
O "Carnaval Solidário".

Solidário até aos Bodos
Faz brilhar o calendário;
Temos assim um por todos
Na partilha do cenário.

Quem dá um pouco do que tem
Ao irmão em agonia
Do amor será refém.

E por pouco que até seja
Será sempre a mais-valia
A quem nada lhe sobeja.

Rosa Silva ("Azoriana")
 
Índice temático: Desenho sonetos

Imagem

26.03.10 | Rosa Silva ("Azoriana")

Alguém tem uma foto da procissão do Senhor dos Passos, da Serreta, principalmente das crianças que vão vestidas de anjos? Até se for mais antiga melhor.
Eu tinha mas ficaram estragadas da humidade.
Lembro-me que os vestidos do meu tempo infantil eram lindos e as asas também. Na cabeça levava-se uma espécie de mitra que tinha de ficar bem justa para não tombar. Às vezes era um sacrifício suportável porque o Senhor sofreu muito mais.
A recompensa era, e acho que ainda é, um cartucho feito de papel com confeitos e deliciosas amêndoas. Era a alegria da pequenada.
Actualmente algumas crianças não se alegram com estas eséquias e colocam-nos muitas dúvidas.
As notícias actuais no seio da Igreja também não ajudam a dissipar outras tantas dúvidas dos graúdos.
O que perdura é a expressão real de que o Homem é pó e em pó se há-de tornar. Todos somos frágeis, errantes mas a conversão é o amuleto do perdão.
"Amai-vos uns aos outros como Eu vos amei" e, desde então, Amar é saber pedir e dar perdão.
E tudo isto por causa duma fotografia...

A rima é meu consolo

25.03.10 | Rosa Silva ("Azoriana")
Na viagem tenebrosa
De correntes imperfeitas
No leito de dissabores
Fruto de algumas maleitas.
Meu consolo é a rima
Que eleva a minha alma
O verso vem ao de cima
E a tristeza me acalma.

"Não há bem que sempre dure,
Nem há mal que não se cure."
E o meu mal vou curar
Com a força de meu rimar.

Rosa Silva ("Azoriana")

Mesmo doente o sonho é patente

25.03.10 | Rosa Silva ("Azoriana")

Triste por estar adoentada
E sem vintém para nada
Nem sequer uma cantoria...
Peço a Deus Nosso Senhor
Que me faça o favor
De me dar nova alegria.

Quase ninguém quer saber
Dum aplauso oferecer
Em homenagem sentida.
No dia é que tem valor
Recordar o cantador:
Charrua a todos convida!

 

Sei que sou Rosa Maria
Que abraço a cantoria
Num reduto de amigos;
Por cantar a escrever
Instantâneos podem crer
Nunca tiveram castigos.

 

Hoje sinto na amizade
Uma força de verdade
Pra levar estro avante;
Se não tiver companhia
Serei só Rosa Maria
Com este dom no semblante.

 

Se eu melhorar depressa
Deixo aqui uma promessa
De cantar à luz da lua
Com o fiel cantador
Que siga o meu fervor
Em louvar nosso Charrua.

 

Este fogo que me ateia
É como uma candeia
Que mantém viva a chama;
Mas a dor quando é forte
Transparece a pouca sorte
Se nos prende a uma cama.

 

Meu destino é rimar,
A sorte faz-se a sonhar
Com aplausos de mão cheia;
Com o ouvido obstruído
E o nariz entupido
Sou como um grão de areia.

 

Mesmo que não tenha cura
Se me sentir mais segura
Pra de novo ser cantadeira...
Irei com as mãos unidas,
No coração as batidas
À moda da ilha Terceira.

 

Rosa Silva ("Azoriana")

Anjo doce

25.03.10 | Rosa Silva ("Azoriana")

Pensei escrever-te o fado de uma vida;
Atalhos eu sondei para te alcançar,
Roseiras desfolhei, sem me cansar,
Após o vil sinal da má partida.

Vi asas pelo céu em cor sortida,
Achei a primavera em teu olhar;
No rosto da palavra o marulhar
Inundou de tristeza a despedida.

Adeus ó anjo doce de bondade
Dos versos que não fiz eis o melhor:
Inunda de amor a eternidade.

Com teu sorriso pleno de bem-querer,
Iluminaste o mundo em teu redor
Soubeste ser maior pró renascer.

Rosa Silva ("Azoriana")

 

Em http://www.sonetos.com.br/sonetos.php?n=16153

Índice temático: Rosa e rimas do coração

 

InLoving Memory Vania Teixeira

Pág. 1/6