Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Açoriana - Azoriana - terceirense das rimas

Os escritos são laços que nos unem, na simplicidade do sonho... São momentos! - Rosa Silva (Azoriana). Criado a 09/04/2004. Angra do Heroísmo, ilha Terceira, Açores. A curiosidade aliada à necessidade criou o 1

Criações de Rosa Silva e outrem; listagem de títulos

Em Criações de Rosa Silva e outrem

Histórico de listagem de títulos,
de sonetos/sonetilhos
(940...pausa... 981)

Motivo para escrever:

Rimas são o meu solar
Com a bela estrela guia,
Minha onda a navegar
E parar eu não queria
O dia que as deixar
(Ninguém foge a esse dia)
Farão pois o meu lugar
Minha paz, minha alegria.

Rosa Silva ("Azoriana")

**********

Com os melhores agradecimentos pelas:

1. Entrevista a 2 de abril in "Kanal ilha 3"



2. Entrevista a 5 de dezembro in "Kanal das Doze"



3. Entrevista a 18 de novembro 2023 in "Kanal Açor"


**********

Ondas de Festa - Praia 2010

31.07.10 | Rosa Silva ("Azoriana")

Praia é uma estrela
A brilhar no mês de Agosto
É possível sempre vê-la
Na foto que fazes a gosto.

À Senhora lá do Facho
Em noite de diversão
Juro e também acho
Que fará grande vistão.

Santa do Facho - Praia da Vitória


Ó Praia da alegria
Da areia em pé de dança
Da beleza em maresia
Numa onda de bonança.

Cada imagem que captares
Com olhar de terceirense
Brilhará por outros ares
E a fama te pertence.

Noite.PT é a revista
On-line com a tua arte
Que fica logo à vista
De nós e em qualquer parte.

Terceira, flor dos Açores,
De festejos e ternura,
Canteiro de bons amores
E dos Bravos a figura.

Rosa Silva ("Azoriana")

 

O "nosso" 35. Vasco Pernes - RTP - Açores

31.07.10 | Rosa Silva ("Azoriana")

 

Logotipo do Programa

 

 

Por cá a vida é bela
Na nossa RTP - Açores
35 ANOS tem ela
E tão rica de valores.

Vasco Pernes nos convida
A voar p'las freguesias:
Pequenas de grande vida
Na labuta do dia-a-dia!

Com bom jeito apresenta
As vozes regionais
Ao sorriso acrescenta
Tantos encantos locais.

São imagens com beleza,
Paisagens e gente amiga:
São nossas maiores riquezas
Rimadas numa cantiga.

Serreta ninho de fé
Dos Milagres, Virgem Senhora;
Quatro Ribeiras também é
Bela para quem lá mora.

Me despeço alegremente
Com abraço de simpatia
E venha cá ter com a gente
À pacata freguesia.

2010/07/31
Rosa Silva ("Azoriana")

 

No dia que os meus falecidos pais fariam 50 anos de casados. Fizeram 40 antes da partida sem retorno. Em homenagem a eles, que bem a mereciam, inspirei-me nestes versos pela "sua" Serreta que talvez mereça a atenção da nossa televisão.

R.I.P. ANTÓNIO FEIO

29.07.10 | Rosa Silva ("Azoriana")

 

* 06-12-1954   + 29-07-2010
TANTO NOS FEZ RIR

HOJE PARTIU E FAZ-NOS CHORAR PELA PRIMEIRA VEZ....
ELE ACONSELHOU-NOS

 

“Aproveitem a vida e ajudem-se uns aos outros. Apreciem cada momento, agradeçam e não deixem nada por dizer, por fazer», ouve-se na gravação, que o actor confessa ter feito na medida em que ficou "tocado" com o filme do cineasta português, com quem trabalhou no filme “Sorte Nula”.


António Feio, 55 anos, lutou mais de um ano contra um cancro do pâncreas. Descansa em Paz!

Rodrigo Silva e Rosa Silva

29.07.10 | Rosa Silva ("Azoriana")

De sobrenomes iguais
E as letras iniciais
Até parece parentesco...
Mas nisso eu não estou certa
Só deixo a rima alerta
Num verso bordado a fresco.

Tradições Terceirenses - Rodrigo Silva

O Rodrigo rima bem
É jovem e quer também
Manter viva a tradição;
Eu até levanto o véu
Para a rima do ilhéu
Que louva o seu torrão.

Nobre gente hospitaleira
Que canta pela Terceira
Num clima de amizade;
Juntos faremos ouvir
Nossos versos a florir
Quer no campo ou na cidade.

Noto que a parceria
Numa nova cantoria
Atrai nossa juventude;
É a arte favorita
Para aquele que acredita
Que a rima nos dá saúde.

Rosa Silva ("Azoriana")

Paixões

29.07.10 | Rosa Silva ("Azoriana")
hortensia.jpg



Sou ventrículo de paixões
Amores e emoções
Desejos tão iludidos;
Sou luta p'la minha paz,
Sou verso que me apraz
Na vertente dos sentidos.

Sou alma de saudade,
A valsa da tempestade
Num dia de calmaria.
Sou olhar, em ti, somente
Com o coração ardente
No luar da euforia.

Sou a canção de mil cores
No palco de algumas dores
Que a vida me vai doando;
Sou paixão pla minha ilha
Sou fermento da rosquilha
Que ainda vai levedando.

Sou da ilha lusitana
O lilás de Açoriana
E sempre por cá vivi.
Dou tanto ou mais valor
À arte feita de amor
Que alicerço ora aqui.

Rosa Silva ("Azoriana")

Até a natureza chora (e ou escalda...)

27.07.10 | Rosa Silva ("Azoriana")

Nos últimos dias, a comunicação social põe a nu os campos cinzentos pelos incêndios que ocorrem no continente português. São necessárias grandes intervenções pessoais e de profissionais na luta contra esse dilúvio de fogo que ataca tudo por onde passa.

Ao contrário, na ilha Terceira, a natureza apanha com as lágrimas puras que caem do céu. Gelam-me (nos). O Verão mistura-se com outras estações e dá-nos algum refresco e a natureza refresca-se também. Ao mesmo tempo, este tempo distrai-me num pensamento…...

Se eu tivesse continuado com os laços do matrimónio, com o indivíduo que já não ocupa o meu coração há oito anos, estaria hoje na véspera de umas bodas de prata. Não aconteceram as minhas mas os meus pais, no dia do meu casamento (28/07/1985), comemoraram os seus vinte e cinco anos de casados.


Amanhã, 28 de Julho, se eles fossem vivos (e eu casada) comemoraríamos as suas Bodas de Ouro, numa das freguesias menos populosas da ilha Terceira: a Serreta.

Será que o programa novo, comemorativo dos 35 anos da RTP Açores, vai passear pela freguesia pequena de gente mas grande de alma?! Aguardarei. Não faltarão histórias daquela que faz parte do meu percurso bloguista, de alma serretense.

A natureza chora sempre de véspera… Que no dia se faça sol de sorrisos.



Sol de sorrisos

É o sol da minha escrita
Que me acende o gosto
Nesta tela favorita
Quase a virar para Agosto.

Se a natureza chora
Por entre campos reais
O sorriso ela ignora
Nestes campos virtuais.

Nem a Prata nem o Oiro
Me brindaram neste Julho
Sujeitos a tal agoiro
Que ninguém lhes deu tafulho.

Mas é o sol de sorrisos
Da minha alma serretense
Que me enche de improvisos
No gosto que ora vence.

Rosa Silva ("Azoriana")

Vem aí as Festas da Praia

25.07.10 | Rosa Silva ("Azoriana")

A Festa faz-se com gosto
E faz-nos rodar a saia,
Aí vem o mês de Agosto
A chamar-nos para a Praia.

Viva a Praia da Vitória
E Angra do Heroísmo:
Ambas fazem brio à História
Com a graça do lirismo.

Canto eu neste momento
Esta veia repentina:
Com ares de miravento
Numa quadra serpentina.

E viva a ilha Terceira
Que sorri mesmo chorando
De Festas é a primeira
E as rimas vêm em bando.

Rosa Silva ("Azoriana")

 

Publicada também em Aqui & Agora, de Carlos Tavares.

Ao meu primo

21.07.10 | Rosa Silva ("Azoriana")
Joe Fagundes

 

Este Terceirense é meu primo
E gosta do acordeão
Se vier cá juro que rimo
No nosso belo salão.

À tua terra natal
Toca a boa melodia
Numa moda sem igual
À Nossa Virgem Maria.

No adro ou no Terreiro
No palco ou junto ao Altar
Empresta o som festeiro
Para a todos encantar.

Com o teu sorriso aberto
Pelas terras americanas
Mas é cá que estás mais perto
Das festas açorianas.

A ilha é uma flor
Regada por bons festejos
Queira Deus, Nosso Senhor,
Que conceda meus desejos.

P'la Festa da Padroeira
Em Setembro, tu bem sabes,
Volta à tua Terceira
Vem cá matar as Saudades.

 

Rosa Silva ("Azoriana")

Pág. 1/3