Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Açoriana - Azoriana - terceirense das rimas

Os escritos são laços que nos unem, na simplicidade do sonho... São momentos! - Rosa Silva (Azoriana). Criado a 09/04/2004. Angra do Heroísmo, ilha Terceira, Açores. A curiosidade aliada à necessidade criou o 1

Criações de Rosa Silva e outrem; listagem de títulos

Em Criações de Rosa Silva e outrem

Histórico de listagem de títulos,
de sonetos/sonetilhos
(940...pausa... 981)

Motivo para escrever:

Rimas são o meu solar
Com a bela estrela guia,
Minha onda a navegar
E parar eu não queria
O dia que as deixar
(Ninguém foge a esse dia)
Farão pois o meu lugar
Minha paz, minha alegria.

Rosa Silva ("Azoriana")

**********

Com os melhores agradecimentos pelas:

1. Entrevista a 2 de abril in "Kanal ilha 3"



2. Entrevista a 5 de dezembro in "Kanal das Doze"



3. Entrevista a 18 de novembro 2023 in "Kanal Açor"


**********

As rimas

31.08.10 | Rosa Silva ("Azoriana")

As rimas por estas bandas
Abundam pela mão cheia
E por elas te comandas
Ou não fossem uma teia.

 

Uma teia de prazer
Em cada verso que canta
A terra que viu nascer
O Pézinho que se levanta.

 

Os versos vêm à luz
Com graça e honestidade
Porque a ilha de Jesus
Lhes quer bem de verdade.

 

Sejam novos ou mais velhos
Com pureza ou realismo
São reflexo dos espelhos

Do coração com lirismo.

 

A rima é pão da alma,

Uma estrela, um colar,

Uma onda que acalma,

Um murmúrio do mar.


A rima é a paixão,
Alegria, tudo e nada…

Uma força, uma ilusão,

Um sonho na madrugada.

 

Rosa Silva (“Azoriana”)

Dupla função

31.08.10 | Rosa Silva ("Azoriana")
Imagem recebida por email

 

É muito triste não ter o pai presente
E também é triste ter pai "ausente"
Não puder ver o filho já crescido
Não dar cavaco ao tempo vivido.

É muito triste perder o amor de pai
E mais triste é quando ele se descai
Não puder ter o seu melhor carinho
Por não se abeirar do seu velho ninho.

Mas salvé a mãe que por natureza
Lhes dá o seio como fortaleza...
E no ventre abriga doce emoção.

Desfaz-se a tristeza, versa harmonia,
Quando uma mãe fica e dá alegria
Faz a vez de pai em dupla função.

Rosa Silva ("Azoriana")

 

Em http://www.sonetos.com.br/sonetos.php?n=16049

Índice temático: Desenho sonetos

À RTP Açores - Convite

30.08.10 | Rosa Silva ("Azoriana")

Desde já publico o CONVITE, em nome dos mordomos da Festa da Senhora dos Milagres 2010, freguesia da Serreta, concelho de Angra do Heroísmo, para que façam os possíveis por captar imagens da feitura dos arcos (sexta-feira), do Sábado, do Domingo (Missa e Procissão), da Segunda-feira tradicional (na Mata e na Praça) e a quarta-feira dos toiros com noite de fados por um jovem de São Mateus da Calheta – o Fábio Ourique. Não esqueçam de ficar mais um pouco para o caldo verde.

 

Muito obrigada!

 

Jardim da Senhora dos Milagres

 

 

A Serreta é pequenina
Na sua população
Mas tem a graça divina
Rainha da devoção.

 *

Está lá à vossa espera
Com carinho e atenção
Porque esta nova era
Necessita oração.

 **

Pelos caminhos da fé
Vai o povo em romaria
Palmilhando a ilha a pé
Pra ver a Virgem Maria.

*** 

Não se esqueçam de levar
Flores da fraternidade:

Ela sorri do Altar
A toda a comunidade!

 

Rosa Silva ("Azoriana")

Estou imensamente grata a João Pimentel, emigrante açoriano no Canadá

30.08.10 | Rosa Silva ("Azoriana")

 

Açores, nove aguarelas

1
O verde das Fajãs, no vale das manhãs de terna melodia;
A alma açoriana, no corpo da semana floresce em poesia.
Paraíso corvino, tão manso e divino, do grupo ocidental;
Ao lado tem as Flores, encantada de mil cores e rosa original.

 

Oh linda terra do mar à serra, sem outra igual;
São estas nove ilhas belas, nove aguarelas de Portugal!
Oh linda terra do mar à serra, sem outra igual;
São estas nove ilhas belas, nove aguarelas de Portugal!

2

De branco imaculado, num tom que é dourado, canto Santa Maria;
Ao lado São Miguel, do meu sonho fiel, lagoas de harmonia.
Terceira mundial, de Festa e Arraial, perfumada e lilás;
Arco-íris de flores, de Bravos cantadores, aurora dum cartaz.

 

Oh linda terra do mar à serra, sem outra igual;
São estas nove ilhas belas, nove aguarelas de Portugal!
Oh linda terra do mar à serra, sem outra igual;
São estas nove ilhas belas, nove aguarelas de Portugal!

3

Graciosa de moinhos, de brancura dos ninhos, na paisagem serena;
O ilhéu da Baleia, sonho de maré cheia, para sempre em cena.
São Jorge frente ao Pico, melhor verso dedico a esta irmandade;
Na noite são rainhas, as casas estrelinhas, duma vasta saudade.

 

Oh linda terra do mar à serra, sem outra igual;
São estas nove ilhas belas, nove aguarelas de Portugal!
Oh linda terra do mar à serra, sem outra igual;
São estas nove ilhas belas, nove aguarelas de Portugal!

4

Faial, de rosto ao mar, de azul ondular, hortênsias encantadas;
Vulcão dos Capelinhos, de lava pergaminhos, memórias gravadas.
Ó meus lindos Açores, paraíso de flores, um quadro ideal
Aguarela encantada, bruma plo céu beijada, Cantinho de Portugal

 

Oh linda terra do mar à serra, sem outra igual;
São estas nove ilhas belas, nove aguarelas de Portugal!
Oh linda terra do mar à serra, sem outra igual;
São estas nove ilhas belas, nove aguarelas de Portugal!

 

Intérprete: João Pimentel - Canadá

Letra: Rosa Silva (“Azoriana”) – Angra do Heroísmo

Festas de Nossa Senhora da Lapinha 2010 - Angra do Heroísmo

30.08.10 | Rosa Silva ("Azoriana")

 

O cartaz informativo
Clique na imagem para ampliar
Transcrevo o

Programa 2010

Festas de Nossa Senhora da Lapinha

SÁBADO 11-09-2010
14H00 - Distribuição de Massa (Vinha Brava)
21H15 - Sorteio da Bezerra
21H30 - CANTORIA

Cantadores:
"Gaitada" (Canadá)
Valadão (Doze Ribeiras)
Alvarino (São Brás)
Rosa Maria (Serreta)
Fernandes (Ribeirinha)
José Manuel (Vinha Brava)
João Retornado (Ribeira Seca)

Viola:
Luís Cabral (Doze Ribeiras)
José Henrique (Ribeirinha)

Violão:
Emanuel (Doze Ribeiras)

DOMINGO 12-09-2010
12H00 - MISSA (Ermida de Nossa Senhora da Lapinha)
14H30 - Excursão ao Mato
17H30 - Arrematação
18H00 - Tourada à Corda (Largo da Vinha Brava)
Ganadaria de "REGO BOTELHO"

SEGUNDA-FEIRA 13-09-2010
11H00 - Bodo de Leite (Vinha Brava)
Abrilhantado pelos "Amigos da Música"
14H00 - Excursão ao Mato
18H00 - Tourada à Corda (Nasce Água)
Ganadaria de "REGO BOTELHO"

Tomei conhecimento em:
Angra do Heroísmo, 28 de Agosto de 2010

*****
IMPROVISO INÉDITO

Eu não sei o que vos diga
Nesta hora de agonia
Por causa duma cantiga
Fora da "minha" estadia.

Eu sempre sonhei cantar
Cantigas ao Desafio
Fizeram por me convidar
Pra cantoria de brio.

Uma Mãe, dois atributos,
Dos Milagres e da Lapinha...
Há mágoa nos aquedutos
Duma quadra que é minha.

Se a Senhora me deixar
Cantar na sua Lapinha
A surpresa vou levar
À Mãe que é nossa Rainha!

Rosa Silva ("Azoriana")

 

Flor de Avé-Maria

28.08.10 | Rosa Silva ("Azoriana")

FRS - símbolo

***

Honrando Santa Cecília
Dos músicos Padroeira
E Outra que em vigília
Consagra a ilha inteira:
Dos Milagres soberana
A Rainha da Serreta,
Virgem Mãe açoriana
Adorada no planeta!
***
O Hino da Sociedade
Faz sorrir Nossa Senhora,
Que por amor vos há-de
Ajudar em toda a hora.
Rosário na mão direita,
Filho junto ao coração,
Fica logo satisfeita
Pla clave da oração.
***
Vamos depor no Altar
Palavras de um refrão
Que traga a canção do mar
E do Pico do Negrão;
Da Ribeira do Além
Correm águas musicais
Que nos inspiram também
A louvá-la muito mais.
*
Senhora, Mãe e Rainha,
De promessas e romaria,
É a nossa Estrelinha
Clave, flor de Avé-Maria.

Rosa Silva ("Azoriana")

Cantigas ao desafio

28.08.10 | Rosa Silva ("Azoriana")

 

Fernando Alves Fernandes


Pra quem gosta de cantigas
De improviso ou desafio
É porque elas são antigas
E não perderam o brio.

Pra quem as gosta de ouvir
Plos terreiros à noitinha
Hoje pode, então, seguir
À Serra da Ribeirinha.

É sábado de Cantoria
Com uma mulher na estreia
Cantadores na freguesia
Vão na quadra em lua cheia.

Lua cheia terceirense
Na Serra dos Lavradores
Na rima que os convence
A serem bons criadores.

Criadores do Divino,
Na fé do Espírito Santo,
E na voz do grande sino
Que nos inspira o canto.

E peço a Ele também
Que me ajude a cantar;
Por alma da minha mãe
Que a rima me vem plantar.

Rosa Silva ("Azoriana")

Nota: O convite está feito, agora é convosco. Apareçam!

 

Ver aqui

 

Nota do dia seguinte: Adorei a cantoria na Serra da Ribeirinha (2010/08/28). Cantei com o Valadão, das Doze Ribeiras. Acho que fomos muito bem recebidos no local "Os Lobos", identificado como sendo o "Texas do Improviso". Foi um sucesso!

 

Estavam presentes seis cantadores masculinos e eu: José Santos "Gaitada", Fernando Alvarino, Valadão, Fernando Alves Fernandes, Ludgero Vieira e José Medeiros. Houve ainda, nas cantigas finais de conjunto, um novo cantador que foi um dos tocadores, que também tem habilidade para a fotografia e que se revelou um cantador com boa rima. Se ele aparecer por aqui que me diga o seu nome, porque apenas sei que é o fotógrafo Vieira de São Mateus da Calheta.

 

Já tenho um convite formulado em cartaz para o Sábado da Festa da Lapinha. Coincide precisamente com o Sábado da Festa de Nossa Senhora dos Milagres. Esta surpresa merece um artigo noutra ocasião. Por agora fico encantada com a Cantoria ao Desafio.

Raízes de valor

28.08.10 | Rosa Silva ("Azoriana")

 

Paulo Almeida ladeado pelos amigos
Imagem de Paulo Almeida (ladeado pelos amigos)



Três amigos dão valor
Àquilo que é genuíno
Cada um é um Açor
Desta Ilha do Divino.

Ser grande não é maior,
Pode até ser pequenino
Porque constrói com amor
A glória do seu destino.

Paulo Almeida ao centro,
Com olhar de emoção,
E no lado de dentro
Com honra Luís Bretão.

Depois vemos Sr. Brum,
Com bigode já branquinho,
Vê-lo por cá é comum
Gravando todo o caminho.

Tudo o que ele já captou
Foi moldado com o seu gosto
Um bom tesouro formou
Se em Museu fosse exposto.

Esta Ilha dá-nos encanto,
Dá-nos raízes de valor,
Plo Divino Espírito Santo
E pela brisa do amor.

Rosa Silva ("Azoriana")

 

Pág. 1/6