Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Açoriana - Azoriana - terceirense das rimas

Os escritos são laços que nos unem, na simplicidade do sonho... São momentos! - Rosa Silva (Azoriana). Criado a 09/04/2004. Angra do Heroísmo, ilha Terceira, Açores. A curiosidade aliada à necessidade criou o 1

Criações de Rosa Silva e outrem; listagem de títulos

Em Criações de Rosa Silva e outrem

Histórico de listagem de títulos,
de sonetos/sonetilhos
(940...pausa... 981)

Motivo para escrever:

Rimas são o meu solar
Com a bela estrela guia,
Minha onda a navegar
E parar eu não queria
O dia que as deixar
(Ninguém foge a esse dia)
Farão pois o meu lugar
Minha paz, minha alegria.

Rosa Silva ("Azoriana")

**********

Com os melhores agradecimentos pelas:

1. Entrevista a 2 de abril in "Kanal ilha 3"



2. Entrevista a 5 de dezembro in "Kanal das Doze"



3. Entrevista a 18 de novembro 2023 in "Kanal Açor"


**********

Destaque: Poema de Maria Belém Silveira

30.04.11 | Rosa Silva ("Azoriana")

O "PEZINHO"

AS TRADIÇÕES DA TERCEIRA
SÃO UM MODO DE VIVER
COM ALEGRIA VERDADEIRA
E UM JEITO PRÓPRIO DE SER

HOJE UM "PEZINHO" EU VI
NA MINHA LINDA FREGUESIA
E CANTAR BEM EU OUVI
COM MUITO AMOR E ALEGRIA

UM FILHO DA TERRA CHÃ
COM SUA ALEGRIA SÃ
A SUA TERRA LOUVOU

TROUXE A TODOS EMOÇÃO
E ABRIU SEU CORAÇÃO
NAS LINDAS RIMAS QUE CANTOU

MARIA DE BELEM SILVEIRA

O cantar é um prazer

30.04.11 | Rosa Silva ("Azoriana")
Sinto-me grata por cantar
Tudo o que me vai na alma
Mesmo que possa falhar
Os ecos de alguma palma.

As cantigas sem ensaio
E que vêm num repente
Nalgumas também eu caio
Como acontece a mais gente.

As flores da cantoria
Adornam nosso caminho
E o ramo que se cria
Permanece em pergaminho.

Agradeço mais uma vez
A quem zela a cultura
E quem por ela já fez
Uma bonita moldura.

Rosa Silva ("Azoriana")

O Pezinho na Terra-Chã no vídeo de Ivo Silva

30.04.11 | Rosa Silva ("Azoriana")

É com a maior alegria que vos apresento esta magnífica recordação do dia 28 de Abril de 2011, quinta-feira do Pezinho:

 

 

 

Isto é LINDO, mesmo lindo!
Ó maravilhosa folia
Obrigada aos que estão vindo
Ao Pezinho da mordomia!

Victor Santos nos convida
A cantar pelo caminho
Duas quadras de seguida
Foram comuns no Pezinho.

Meu amor por esta moda
Vai crescendo dia-a-dia
O cantar não me incomoda
Vou captando a melodia.

Ó Coroa e Cetro Divinos
Sóis a Alma desta Gente
Que ouviram de pequeninos
Este Amor tão ardente.

A Ivo Silva agradeço
Por içar esta bandeira
E aos amigos reconheço
O gosto à nossa maneira.

Rosa Silva ("Azoriana")

Fonte das Cinco Ribeiras

28.04.11 | Rosa Silva ("Azoriana")
Imagem de João Dinis, no Facebook

Símbolo das Cinco Ribeiras
Alvo centro que perdura
Que de todas as maneiras
Identifica povo e cultura.

Sua forma principesca
Fonte que se adelgaça
Onde corre água fresca
Num convite a quem passa.

A sua igreja matriz
Ao lado mirando o mar
Lá dentro está feliz
Nossa Senhora do Pilar.

Cinco Ribeiras alva e fina
Do centro que nos atrai
Floresce a graça divina
Na água que sobressai.

E foi lá que eu cantei
À filha do grande Charrua
Juro que me emocionei
Com o canto sob a lua.

Minha voz mesmo fraquinha
Eleva a nossa gente
O dono do queijo Vaquinha
Nas festas se faz presente.

Rosa Silva ("Azoriana")

Pezinho na Terra-Chã, com Victor Santos

27.04.11 | Rosa Silva ("Azoriana")

Hoje a todos saúdo
Alegria vale tudo
É bordão pra qualquer hora
Estou na véspera do Pezinho
De cantar com mais carinho
Ao tema que não se ignora.

A grande fé desta gente
Em símbolos está presente
Alegrando a caminhada
Enfeitamos os bovinos
Tidos com Cetros divinos
Pra tarefa abençoada.

Briança na Terra-Chã
Vai seguir-se amanhã
Quinta-feira é seu dia
Se juntam os convidados
E quem vem de outros lados
Que gostam desta folia.

Vai a moda regional
Plo caminho principal
Com muitas saudações
A quem cria e a quem dá
Aos de cá e aos de lá
Que prezam as tradições.

Eu adoro tudo isto
Ó Ilha de Jesus Cristo
Com Igrejas e Impérios
Com a graça do Bom Deus
Coroando os irmãos seus
Que oram os seus Mistérios.

Coroa de prata adornada
Gipsófila abençoada
Pela divina missão
Pomba alva na Bandeira
Que toma a dianteira
Nas alas da Coroação.

Meu Deus, te amo tanto
Sóis todo o nosso encanto
No Império da Irmandade
Victor Santos e família
Louvar-te-ão na homilia
Domingo da Divindade.

Tem a ilha no pensamento
E passam cada momento
Com o berço no coração
Que a Senhora de Belém
E o Espírito Santo também
Retribuam a boa acção.

Rosa Silva ("Azoriana")
2011/04/27

Para o ovo não se partir...

27.04.11 | Rosa Silva ("Azoriana")

O que não se consegue cá dentro, vai-se conseguir com quem vem de fora. É sempre assim: “santos de casa não fazem milagres”, bem dizia o ditado. Enquanto que as medidas tomadas pelos governantes portugueses podem não ser bem vistas pelos governados, a solução passa pelo pente fino de quem chega para limar as arestas de tudo quanto é receita e/ou despesa.

“A cavalo dado não se olha o dente” é mais um ditado que se aproveita para a ocasião deveras séria e melindrosa. Colheremos o que semeámos ao longo de décadas, pois não é tão recente assim a liberdade e a democracia. Eu até já tive sonhos de me candidatar à política (incrível não é?!) só que agora nem pensar. Sujeitar-me-ia a ficar sem despesas de representação, sem outras regalias próprias de quem se senta na poltrona do poder e com muito que pensar e resolver. É muito duro e penoso ser político na actualidade. Ganham-se demasiados cabelos brancos e gesticula-se em excesso.

Tenho deveras pena dos reformados, coitados… Alguns vão ficar a ponto de se deixar ficar à espera do toque de finados e outros, com duas ou mais reformas, vão ver as suas parcas receitas ficarem mais leves.

E agora perguntem: de quem é a culpa, a máxima culpa? É de todos e de cada um de nós. O passado é um ovo podre, o presente está às claras, e o pinto que venha sobre, no futuro nem lhe reparas. É assim nossa jogada, uns com tudo outros sem nada; Quanto mais se quer poupar mais havemos de gastar. Perante este vulcão que expele até mais não, sobressai a cousa nova e a velha está à prova.

Falta de melhores ideias estamos todos em paredes meias. Temos mais é que produzir para o ovo não se partir.

Rosa Silva (“Azoriana”)

Pensamentos rimados

21.04.11 | Rosa Silva ("Azoriana")

Deixem-se de partidos
E usem-nos inteiros
Pra sermos bem servidos
Heróis e pioneiros.

A crise é de todos
Ninguém fica de fora
Andam praí a rodos
E a crise não vai embora.

Escolham com razão
E alguma autoridade
Senão esta Nação
Entra em calamidade.

Saúde e Educação,
Trabalho e Economia
Segurança e Emigração
E ter contas em dia.

Continente e a Madeira
Açores tudo em comum
Honrando sua Bandeira
Sem fome e sem jejum.

Quem pode trabalhar
Ajuda quem não pode
Estes podem rezar
Pra ver quem lhes acode.

Vamos ver quantos somos
Doentes e sadios
E talhamos os gomos
Conforme os desafios.

Estados terminais
Doenças incuráveis
Acidentes fatais
Fortunas insondáveis...

Tinham de ser revistas
E muito bem estudadas
As cenas egoístas
Serem denunciadas.

Polícia e Bombeiros
E os nossos Militares
Doutores e Enfermeiros
Serem nossos pilares.

Segue-se a construção
Civil empresarial
E a boa educação
Deve ser toda igual.

A troca de produtos
Trabalho comunitário
Sementes e bons frutos
Despesa vs salário.

Rosa Silva ("Azoriana")

Pág. 1/5