Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Açoriana - Azoriana - terceirense das rimas

Os escritos são laços que nos unem, na simplicidade do sonho... São momentos! - Rosa Silva (Azoriana). Criado a 09/04/2004. Angra do Heroísmo, ilha Terceira, Açores. A curiosidade aliada à necessidade criou o 1

Criações de Rosa Silva e outrem; listagem de títulos

Em Criações de Rosa Silva e outrem

Histórico de listagem de títulos,
de sonetos/sonetilhos
(940...pausa... 981)

Motivo para escrever:

Rimas são o meu solar
Com a bela estrela guia,
Minha onda a navegar
E parar eu não queria
O dia que as deixar
(Ninguém foge a esse dia)
Farão pois o meu lugar
Minha paz, minha alegria.

Rosa Silva ("Azoriana")

**********

Com os melhores agradecimentos pelas:

1. Entrevista a 2 de abril in "Kanal ilha 3"



2. Entrevista a 5 de dezembro in "Kanal das Doze"



3. Entrevista a 18 de novembro 2023 in "Kanal Açor"


**********

Sobre a "VOZ DOS AÇORES", de Euclides Álvares, por Liduino Borba

31.08.11 | Rosa Silva ("Azoriana")

Por Terras da Califórnia

 

PROGRAMA “VOZ DOS AÇORES” – 33 ANOS A DEFENDER OS AÇORES.

 

Liduino Borba

 

Há 33 anos que Euclides Álvares, natural da freguesia de Santa Bárbara, ilha Terceira, onde nasceu em 1944, casado com D. Gabriela Álvares, pai de 2 filhos, põe no ar o programa semanal “Voz dos Açores”, um dos mais queridos e ouvidos na nossa comunidade emigrada no Vale de San Joaquin, e um pouco por todo o mundo através da internet em www.kigs.com .

 

O primeiro programa foi para o ar no dia 4 de Março de 1978, na estação KLBS, durante 23 anos, e a partir de 2001 passou a ser emitido em estúdio privado, em Hilmar, através da rádio KIGS.

 

Euclides Álvares tem-se debatido, em todos os fóruns, para que todos os direitos dos emigrantes sejam respeitados e cumpridos, para além do alerta permanente de injustiças que continuam a ser praticadas. A defesa da língua portuguesa e dos Açores são uma constante da sua programação. Através do programa “Voz dos Açores” angariou mais de um milhão (1.000.000) de dólares para fins de beneficência e ajuda.

 

Já emitiu programas em direto do Brasil, Açores, Canadá e Macau. Foi colaborador semanal do programa da RDP “Manhãs de Sábado” e colabora com o programa, também da RDP, “Cruzeiro da Rádio”.

 

Durante estes anos já entrevistou, em direto, mais de 2000 pessoas, entre as quais Sá Carneiro, tendo-lhe sido pedida a gravação para juntar ao processo de Camarate, Arcebispo de Goa, que ainda hoje celebra missa na Matriz, Mário Soares, aquando da sua passagem por São José, Califórnia.

 

Foi distinguido com a Medalha de Mérito das Comunidades Portuguesas e com a Placa de Honra de Mérito das Comunidades Portuguesas; Reconhecimentos da Cidade de Artesia e da Assembleia Legislativa do Estado da Califórnia; Confrade da Confraria do Vinho dos Biscoitos, único na emigração; Inscrito na Associação de Rádios de Inspiração Cristã (ARIC), com sede em Lisboa;

 

É o sócio número 2, e fundador, da Casa dos Açores de Hilmar, e foi o seu primeiro Secretário. É também sócio fundador da Fundação Portuguesa de Educação para o Centro da Califórnia, membro fundador da Associação Pública VALER, membro da Comissão Construtora da Igreja Paroquial da Assunção/Turlock, membro da UPEC, UPPEC e Sociedade Mutual de Santo António.

 

Foi coordenador do jantar de honra oferecido ao Dr. Mota Amaral, então presidente do Governo Regional dos Açores, bem coordenador de muitos outros eventos.

 

É este “embaixador” que tem sempre as suas portas abertas, em Hilmar, para quem por lá passa.

 

Obrigado ao ilustre casal.

 

Turlock, 29 de Agosto de 2011

 


 

 

Voz dos Açores

 

 

A propósito deste artigo
Escrito por Liduino
Que é deveras amigo
Deste radialista fino
Venho partilhar consigo
Que o vi neste destino.

Era dia de Homenagem
Ao cantador Zé Eliseu
Estava lá de passagem
O emigrante que deu
Um cartão com bela imagem
Da Rádio que é amor seu.

 

"Voz dos Açores" veleja
No coração emigrante
Que sonha com a Igreja
E com o berço distante
Que até em sonhos beija
A Virgem no seu semblante.

 

Há trinta e três anos produz
A mensagem pioneira
Com a ilha de Jesus
Comandando a bandeira
Caravela e sua Cruz

E o amor pela Terceira.

Peço a Euclides que eleve
Perante os seus ouvintes
Esta rima que é breve
E que manca de requintes
Mas divulga o que deve
Através de alguns links.

 

E ao link da Estação
KIGS do açoriano
Presto melhor atenção:
Conheci bom ser humano
Cujo sorriso e coração
São maiores que o oceano.

Que mantenha o sucesso
Desta Rádio que nos liga
E tenha feliz regresso
À bela estação antiga
E desde já eu lhe peço
Que não esqueça desta amiga.

Santa Bárbara, da Terceira,
É seu local favorito
De visita à sua beira
E à festa que acredito
Ter-lhe sido hospitaleira
Junto ao altar tão bonito.

A todos os emigrantes
Cuja saudade aperta
Liguem os altifalantes
Ao canto que vos desperta
Os sentimentos distantes
E aceitem a minha oferta.

Uma oferta de amizade
Num abraço de simpatia
Pra toda a comunidade
Cujos laços neste dia
Sejam a eterna saudade
Da ilha flor de alegria.

Rosa Silva ("Azoriana")

Gravado para a Rádio Portugal USA.

Vão-nos tirar o prato da frente...

31.08.11 | Rosa Silva ("Azoriana")

O Facebook na sua barra de estado, tem sempre uma pergunta pertinente - "Em que estás a pensar?" para levar o utilizador a escrever algo que esteja a pensar no momento.

 

Depois de ouvir, de relance, tantas notícias (repetidas à exaustão) resolvi escrever no que estava a pensar, exactamente assim:

Cortam a televisão, cortam a refeição, cortam no escalão, cortam, cortam, cortam e aumentam impostos. Os senhores das contas podem me informar como é que a gente vai viver? O melhor é encomendar já o CAIXÃO!

Nisto, os comentários começaram a surgir e os cliques no "gosto", simbolizam que os meus amigos facebookianos estão a pensar no mesmo. Eis que, mesmo sofrendo a crise, acentuei o pensamento com a rima, que é também uma maneira de expressar melhor a minha opinião. Já diz o povo: Quem canta seu mal espanta. Espero que isto ainda esteja em vigor e não perca o valor.

 

Realmente para enterrar
Não precisa de indumentária
Podem mesmo só nos atirar
Miséria vai ter a funerária.

 

Miséria para as floristas
Miséria para os carpinteiros
Nem precisa dar nas vistas
Coitados dos cangalheiros.

E mesmo aqui rimando
Vou dando minha opinião
O pobre se vai lixando
E o rico vai pra pobre então.

Mas tudo isto é bem feito
Porque assim se põe à prova
Que não governo perfeito
E a crise não é nova.

Nada podemos fazer
Porque a crise é geral
O euro tem de desfazer
Pois causou todo este mal.

E não digam que é mentira
É verdade, é verdade sim!
Ou isto dá volta e vira
Ou então chegou ao fim.

Já estou desesperada
Com a crise de há anos
Vira o mês não tenho nada
Desespero é de humanos.

Quem avisa amigo é
Já ouço desde criança
Aos poucos até a fé
Entra na desconfiança.

E agora vou parar
Porque a fúria tem limite
Só falta mesmo gritar
E fazer-vos um convite
Vamos pra Serreta rezar
E que a Senhora não lhes grite.

Rosa Silva ("Azoriana")

A propósito das "Ilhas Açorianas" de Maria Fonseca e Paixão de amante

28.08.11 | Rosa Silva ("Azoriana")

As ilhas tocam a alma
Porque da ilha eu sou
A paisagem me acalma
E a quem já a visitou.

Nosso mar leva a palma
E o céu nos abraçou
Penso que toda vivalma
Por ele se encantou.

 

As festas das freguesias
Touradas e romarias
São um mar de tradição.

Belo azul veste a gente
Que vive o Verão ardente
Com alma e coração.

Rosa Silva ("Azoriana")

Dia da Homenagem ao cantador José Eliseu

27.08.11 | Rosa Silva ("Azoriana")

Boa noite vos dou agora
Em noite de homenagem
Ao José Eliseu em boa hora
Trintena de anos em triagem
Improvisa desde outrora
Hoje aplauso o condecora.

Se não me falha a memória
Foram dezassete cantadores
Com três quadras em dedicatória
Acompanhados por seis tocadores
Que ajudaram nesta glória
Do rei dos improvisadores.

Cantadores por ordem aleatória: António Mota, Agostinho Simões, Paulo Jorge Ávila, José Amaral, Ludgero Vieira, Eduíno Ornelas, John Branco, Fernando Fernandes, Manuel "Castelão", Rosa Silva, José Medeiros, Andrade "Santa Maria", Paulo José Lima, Valadão, Maria Clara Costa, João Leonel (Retornado) e João Ângelo.
Tocadores: Guitarra - José Domingos / Violas: Aldovino Machado, Armando / Ao violão: José Manuel, um miúdo que não sei identificar e António Martins.

Lembro-me das minhas três quadras que cantei sempre na 10ª vez, de cada rodada de cantigas. A primeira foi porque reparei que haviam muitos arranjos florais de cor lilás nas paredes e no palco:

A lilás flor desta ilha
Brilha em tudo o que é teu
Tua esposa e tua filha
E o povo de São Bartolomeu.

Depois cantei:

Louvo a tua humildade
E o teu jeito cordial
Perante a sociedade
És um valor capital.

Por fim, lembro desta:

Bendita esta homenagem
Em vida e feita agora
Vais lembrar desta passagem
Pela tua vida fora.

**********
Agradeço ao Sr. Luís Bretão, ao Presidente da Junta de Freguesia de São Bartolomeu pelo respeito e pelo convite e dou os parabéns ao José Eliseu, à esposa e filha, bem como aos seus pais que, felizmente, estavam presentes e presenciaram o carinho e amizade que é dedicado ao seu filho cantador.

À freguesia de São Bartolomeu um bem-haja por estimar os seus filhos.

Sorte para a "Bolota"... azar para a "dona" (que nem sou eu)

25.08.11 | Rosa Silva ("Azoriana")

Em tempos idos, os gatos (os cães e outros animais de pêlo) não tinham a sorte que actualmente têm. Há um consultório (digo muitos!), veterinário(as), hotel para os bichos, medicamentos para tudo e mais alguma maleita (ácaros, pulgas, carrapatos, carraças, etc.), vacinas e pingos de várias aplicações para que os animais de estimação se desenvolvam num ambiente saudável e de pêlo bem alisado.

 

Voltando aos tempos idos, eu não era capaz de me aproximar ou de deixar aproximar uma dessas beldades felinas ou caninas, sem que o(s) espantasse para longe. Hoje, até sou capaz de lhes pegar ao colo, mimar, alimentar, adormecer, habituar a rituais de companhia doméstica, e, sobretudo, ir ao veterinário mais próximo e ver largar os euros que depois vão faltar nalguma outra conta urgente e irremediável. Claro que toda a evolução tem o seu custo.

 

Mas tudo isto porquê? Vá, perguntem, não se acanhem. Desta vez conto-vos tudo tintim-por-tintim...

 

Então foi assim: Num passeio daqueles que vamos porque sim, ouvi um miar insistente no meio de uma mata espessa. Comecei aquele ritual de chamamento, bissbissbiss e eis que surge um (melhor, uma) gatinha minúscula que se aprontou a perseguir o meu chamado de dedos.

 

Chegou-se bem perto e peguei-lhe ao colo. Era mesmo muito mimosa e depois deste tratamento "vip" não mais foi para o seu «habitat de abandono». Que fazer?! Deixá-la sozinha ao deus-dará? Não! Agora não. Outrora talvez...

 

Trouxe-a comigo e ao chegar a casa ela ganhou logo outros donos para lhe pegar e mimar. Foi certo que veio para ficar e até já tem as vacinas em dia e demais pílulas para abater ácaros e afins (coisa horrorosa vista ao microscópio).

 

Enfim, depois desta história ao sabor do teclado que acompanha o desassossego da mente eis que me apetece dizer: "devias ter deixado a gatinha crescer ao ar livre ou não?!" porque ela já começou a cunhar a factura (para alguém), por sinal, e, certamente, não ficará por aqui pois adivinham-se os reforços do que lhe fizeram hoje.

 

Mas, pronto, nada contra. Sou mais uma a contar nas estatísticas de quem SALVA UM ANIMAL do ABANDONO (ou seria ela natural da tal mata espessa?!) e alguém contará na lista de "mãe" adoptiva.

 

"Bolota" é uma gatinha

Que trouxe pra minha casa

Ela não está sozinha

Já muitos lhe arrastam asa.

 

Mimosa e muito felpuda

Brincalhona e algo meiga

Só não é ainda carnuda

Porque lhe falta a "manteiga".

 

Estou ao meio dos bichanos

Que agora já me encantam

São como seres humanos

Que não falam mas cantam.

 

O seu miar rotineiro

Por toda e qualquer razão

É encanto verdadeiro

Que cintila ao coração.

 

E agora como vai ser

Com tanto gato e cadela?

A ração tem de comer

E eu fico a olhar pra ela!

 

Se fosse ora inventada

Uma ração para a gente

Ficava toda a ninhada

Sem crise e mais contente.

 

Rosa Silva ("Azoriana")

São Bartolomeu homenageia José Eliseu no próximo sábado (27/08)

25.08.11 | Rosa Silva ("Azoriana")

(...) O presidente da Junta de Freguesia de São Bartolomeu de Regatos, Luís Costa, refere que “todos os residentes da freguesia se sentem orgulhosos em homenagear o José Eliseu”. A homenagem ao cantador contará com a presença de entidades autárquicas, membros da Assembleia Municipal, familiares do artista e colegas de actuações.(...)

 

Fonte: "A União" de 25 de Agosto/2011

 

Nota pessoal: Agradeço, publicamente, o convite que me foi endereçado para participar desta merecida homenagem a José Eliseu, o cantador terceirense que conta com 30 anos a improvisar cantando.

 

Bem-haja quem assim procede para com os seus conterrâneos de valor.

Os prazeres da ALCATRA TERCEIRENSE

21.08.11 | Rosa Silva ("Azoriana")
Alcatra terceirense

 

Uma Alcatra na Estalagem
Da Serreta, nossa amiga,
Foi como divina miragem
E o fermento desta cantiga.

 

Alcatra com pão de mesa
E o bom vinho Verdelho
Com Ti' Choa é realeza
Do paladar que aconselho.

 

"Bagos d'Uva" é maravilha
Que apregoa nossos sabores
E faz a sã partilha
Que vai além dos Açores.

 

As ilhas açorianas têm
Bom paladar e cultura
São o nosso melhor bem
Que às cantigas se mistura.

 

Rosa Silva ("Azoriana")

 

José Eliseu - A GLÓRIA DOS CANTADORES

21.08.11 | Rosa Silva ("Azoriana")

Dez anos depois do casamento dos meus pais (31-07-1960), nasceu José Eliseu Mendes Costa (31-07-1970), o conhecido cantador de improviso, na Cruz das Duas Ribeiras, na freguesia de São Bartolomeu. O seu pai, José Bernardino de Sousa Costa, e a sua mãe, Teresa Contente Rocha Mendes, deram aquela freguesia, à ilha Terceira, dos Açores, um rebento com um dom que só alguns são dotados dele – o improviso genuíno!

 

Conforme o que nos relato J. H. Borges Martins, no seu livro “Improvisadores da Ilha Terceira (suas Vidas e Cantorias), de 1989, o José Eliseu estreou-se em público, com dez anos de idade, cantando com o António Plácido em São João de Deus.

 

Com a mesma idade, gravou com outros um disco intitulado: «Os Miúdos da Ilha Cantam Saudade». Naquela altura, José Eliseu foi o cantador mais jovem da nossa terra. Hoje, ele é um exímio conselheiro e professor, digamos assim, de uma camada jovem que se inaugura nos palcos do improviso perante plateias ávidas do sucesso que irá perdurar e preservar as cantigas ao desafio, que estavam um tanto reservadas a cantadores com um currículo estável.

 

José Eliseu

José Eliseu tanto cantou
E encantou desde outrora
Que assim ele se assentou
E no nosso coração mora.

 

De bom trato e cordial
Com canudo de engenheiro
Ser baixo nem fica mal
Porque o verso é altaneiro.

 

Brava voz de rima fina
Que conquista multidões
Se canta com Clara, menina,
Alegra mais corações.

 

Um sonho realizei
Num serão na Terra-Chã
Pós Pezinho lhe cantei
Provando que dele sou fã.

 

João Ângelo me transferiu
O lugar que era seu
Fez-me cantar ao desafio
Com o rei José Eliseu.

“A glória dos cantadores”
Dito por João Leonel
Acabou sendo com louvores
O seu trajecto fiel.

 

Trinta anos de cantigas
Por palcos de casa cheia:
Com suas rimas amigas
O coração nos incendeia!

 

Agora é o condutor
Da juventude que inicia
A sina de cantador
Que com alma é que se cria.

 

Rosa Silva (“Azoriana”)

 

Nota: Quadras à laia de dedicatória a José Eliseu pelos seus 41 anos de idade e 30 de cantoria.

São Carlos 2011 - a um MÊS da Festa da Irmandade do DES do Império, o programa

19.08.11 | Rosa Silva ("Azoriana")
Cartaz Oficial

 

 

18-09-2011 (Domingo)

09:00 – Içar da Bandeira

11:00 – Missa por alma dos irmãos falecidos

19:00 – Mudança da Coroa da casa do Procurador

Canada dos Cinco Reis, nº 109 para o Império.

» Acompanhada pela Filarmónica da Sociedade Musical e Recreio da Terra-Chã


20:00 – Terço

19-09-2011 (2ª Feira)

20:00 – Terço

20-09-2011 (3ª Feira)

20:00 – Terço

(Abertura da Iluminação, Bazar e Exposições)

21:00 – Abertura oficial das Festas de São Carlos 2011

com desfile e actuação do Grupo “Charanga AEP - Escoteiros

21:30 – Actuação do Cantor terceirense

radicado nos Estados Unidos da América VITOR SANTOS

» Palco Tradições – Largo de São Carlos

23:00 – Actuação do Grupo Musical “Só Forro”

» Palco Inovações – Canada Nova

21-09-2011 (4ª Feira)

10:30 – Carneirada / Bezerrada

12:00 – Almoço das Crianças

14:00 – Tarde Infantil

- Jogos Tradicionais

- Insufláveis

- Pinturas faciais

» Actividades a realizar na Canada dos 5 Reis

18:00 – Encontro entre antigos atletas e dirigentes da JOC

no ringue da antiga Escola Primária de São Carlos

» Canada Nova

20:00 – Terço

(Abertura da Iluminação, Bazar e Exposições)

21:00 – Homenagem aos antigos atletas e dirigentes da JOC.

- Apresentação Luís Bretão

» Palco Tradições – Largo de São Carlos

21:30 – Majestosa Noite de Fado

Com Bárbara Moniz (Ilha de São Miguel)

Paula Fisher

Silvana Medeiros

Tiago Gorgita

Armando Meireles (Ilha das Flores)

- Participação especial de Tiago Azevedo

21:30 / 00:00 – “SAN CARLOS FUN PARK”

» Largo da Igreja

22-09-2011 (5ª Feira)

12:00 – Almoço dos idosos

– animação com o artista Fernando Teixeira

» Despensa do Império de São Carlos

15:00 – Pezinho

» Acompanhado pela Filarmónica da Sociedade Musical e Recreio da Terra-Chã

20:00 – Terço

(Abertura da Iluminação, Bazar e Exposições)

- Ceia dos Criadores

» Pavilhão da Santa Casa da Misericórdia de São Carlos

21:30 / 00:00 – “SAN CARLOS FUN PARK”

» Largo da Igreja

22:00 – Cantoria » Participação peculiar de duas Senhoras

Maria Clara (cantadeira)

Rosa Silva (poetiza)

António Mota

Fábio Ourique

Hélder Pereira

João Ângelo

João Leonel (Retornado)

José Eliseu

Marcelo Dias

» Palco Tradições – Largo de São Carlos

 

 

23-09-2011 (6ª Feira)

08:00 – Distribuição de Carne

20:00 – Terço

(Abertura da Iluminação, Bazar e Exposições)

20:30 – Demonstração do Jogo do Pau

» Palco Tradições – Largo de São Carlos

21:30 – Noite Rock

- “Manifesto” (Ilha Terceira)

- “Punkada” (Ilha do Faial)

» Palco Inovações – Canada Nova

21:30 / 00:00 – “SAN CARLOS FUN PARK”

» Largo da Igreja

24-09-2011 (Sábado)

07:00 – Irmandades

» Império de São Carlos

20:00 – Terço

(Abertura da Iluminação, Bazar e Exposições)

21:00 – Tradicional Sábado de São Carlos

– Degustação de Morcela

» Despensa do Império de São Carlos

21:00 – Actuação do Grupo Infantil de Folclore de São Carlos

» Palco Tradições – Largo de São Carlos

21:30 / 00:00 – “SAN CARLOS FUN PARK”

» Largo da Igreja

22:00 – Desfile de Marchas:

- Marcha São Carlos

- Marcha de Santa Bárbara

- Marcha do Havana

- Marcha das Lajes

24:00 – Actuação do Artista Continental

Fernando Correia Marques

» Palco Inovações – Canada Nova

25-09-2011 (Domingo)

11:00 – Missa

12:00 – Coroação

13:00 – Nomeação do Procurador para 2012

15:00 – Distribuição do Alfenim

acompanhada pela Filarmónica da Terra-Chã

e Agrupamento “Só Forro”

19:00 – Desfile de Tunas “PassaCalles”

20:00 – Terço

(Abertura da Iluminação, Bazar e Exposições)

20:30 – Actuação da Filarmónica Recreio Serretense

Pasodobles

» Palco Tradições – Largo de São Carlos

21:00 – Extracção dos Pelouros

21:30 – Actuação das Tunas

TAESEAH

TUSA

TASMUA

NEPTUNA

» Palco Inovações – Canada Nova

21:30 / 00:00 – “SAN CARLOS FUN PARK”

» Largo da Igreja

26-09-2011 (2ª Feira)

10:00 – Procissão de Santo Antão

11:00 – Bodo de Leite

15:00 – Distribuição do Alfenim

acompanhada pela Filarmónica da Terra-Chã

e Agrupamento “Só Forro”

17:00 – Tradicional Tourada à Corda de São Carlos

Ganadaria Rego Botelho

Ganadaria José Albino Fernandes

» Largada na Canada dos 5 Reis

 

Uma "segunda" que é terça

16.08.11 | Rosa Silva ("Azoriana")

Gosto muito de um feriadinho que calhe à sexta-feira ou segunda-feira porque nos dá uma ponte de descanso, ou melhor, de mais-que-fazer domiciliário. Graças a esta ponte de Agosto, motivada pela glória de Nossa Senhora, foi para trabalhos de muda-que-muda móveis e afins de um lado para outro, dando assim uma reviravolta à rotina de outras semanas antecendentes.

 

Mas isto não interessa a ninguém, só interessa aos envolvidos na mudança e a mim. O problema é que hoje penso que é "segunda-feira" e, afinal, é terça-feira. Os sintomas de uma segunda-feira estão cá todos e rondam-me de forma insistente e com uma dose de nódoas negras junto com alguma dor suportável.

 

Descobri que hoje é terça-feira com a leitura do jornal local "A União" que nos traz uma notícia daquelas que eu sempre fui de acordo: dá-se a palma, o elogio, a homenagem, a quem quer que seja, EM VIDA. Nada melhor que saber-se e ver-se o consolo de coração e o vidrado do olhar contente com uma página inteira de menções honrosas a quem dedica uma vida a fazer o que sabe melhor para bem da comunidade ou de uma aficion de alma e coração. É o caso da homenagem ao capinha:

PASSES DE UMA VIDA DE RISCO Joaquim Burra Branca capinha

Bem-haja quem escreveu e o homenageado!

Pág. 1/3