Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Açoriana - Azoriana - terceirense das rimas

Os escritos são laços que nos unem, na simplicidade do sonho... São momentos! - Rosa Silva (Azoriana). Criado a 09/04/2004. Angra do Heroísmo, ilha Terceira, Açores. A curiosidade aliada à necessidade criou o 1

Criações de Rosa Silva e outrem; listagem de títulos

Em Criações de Rosa Silva e outrem

Histórico de listagem de títulos,
de sonetos/sonetilhos
(940...pausa... 981)

Motivo para escrever:

Rimas são o meu solar
Com a bela estrela guia,
Minha onda a navegar
E parar eu não queria
O dia que as deixar
(Ninguém foge a esse dia)
Farão pois o meu lugar
Minha paz, minha alegria.

Rosa Silva ("Azoriana")

**********

Com os melhores agradecimentos pelas:

1. Entrevista a 2 de abril in "Kanal ilha 3"



2. Entrevista a 5 de dezembro in "Kanal das Doze"



3. Entrevista a 18 de novembro 2023 in "Kanal Açor"


**********

Saudação

31.08.13 | Rosa Silva ("Azoriana")


Boa tarde a toda gente
Que neste auditório vejo
Seja esta hora presente
Digna de um bom desejo.

Desejo com solidez
Que haja muita saúde
E para todos vocês
Alegria em plenitude.

A novena da Senhora
Dos Milagres Serretense
Ontem teve a sua aurora
Recebeu quem lhe pertence.

A Banda com os três Hinos
Saúdou a Virgem Mãe
Lírios santos e divinos
Na pauta cada um tem.

O Hino da Sociedade,
Hino da Mãe da Serreta,
Do Salve Mãe da Comunidade
Que a tem por silhueta.

Salve Nobre Padroeira
Salve Deus, bendito Filho,
Salve a ilha Terceira
E quem segue o seu trilho.

E o que ficou na memória
Do sermão do seu Reitor
Constará da trajetória
Deste painel promissor.

Aceitar o que nos calha
Por sorte ou desvirtude
É parte do que atalha
A dor do que não tem saúde.

Se abraçarmos nossas dores
Em frente à Santa Mãe
Teremos dela os Amores
À porta que a todos vem.

Bendigo os emigrantes
Presentes na festividade
Que connosco radiantes
Desfolharam a saudade.

Rosa Silva ("Azoriana")
2013-08-30 e 31

Inédito - Delírios

26.08.13 | Rosa Silva ("Azoriana")

Na alçada do meu peito
Há desejo entreaberto
Há o fôlego tão desperto
Na palpação do teu jeito.

Na varanda alvoraçada
Da auréola ofegante
Vejo perto delirante
Tua mão toda espalmada.

Na alçada e na varanda
Tudo cintila a desnorte
Num lábio quente e forte…

E por mim viril comanda
O teu cerne docemente
Num delírio alvo e quente.

Rosa Silva ("Azoriana") 

OS SOLDADOS DA PAZ

25.08.13 | Rosa Silva ("Azoriana")

 

SOLDADOS DA PAZ

Abri as asas do olhar
Pálpebras amanhecidas
Voei por terras vi o mar
E as ilhoas esquecidas.

Vi o fogo da matança
Num fumo qual nevoeiro
Ouvi choros de criança
(Perde a vida o Bombeiro).

Que a Paz hoje se faça
Libertando a fumaça
Dum palco em cinza ardente.

Que a vida a quem dá vida
Seja sempre defendida:
Viva quem defende a gente!

Rosa Silva ("Azoriana")

Às 12_Ribeiras-TV, de Hildeberto Franco

24.08.13 | Rosa Silva ("Azoriana")

MEO KANAL 255743

Às "12_RIBEIRAS-TV"

Hildeberto leva à cena
No canal da freguesia
Coisas de valer a pena
Com dotes de simpatia.

12_Ribeiras-TV
É altar de muitas visões
Todo aquele que o vê
Rende-se e dá ovações.

Hildeberto é empenhado
Merece nosso apreço
Por muitos já é louvado
E também lhe agradeço.

A ilha Terceira tem
Festas, Bodos e Touradas
Das 12 Ribeiras vem
O melhor com provas dadas.

Rosa Silva ("Azoriana")

JFS José Fonseca de Sousa escreve à Azoriana

23.08.13 | Rosa Silva ("Azoriana")

Publico, com gosto, o que recebi do amigo José Fonseca de Sousa, de Lisboa, com data de 01-08-2013.

 

Nota incluída:

 

Cara Amiga Rosa Silva

É com grande prazer que tomo a liberdade de lhe enviar, como oferta, um exemplar da pequena brochura com o título "Versejando para Amigos Açorianos", que escrevi com o objetivo de prestar uma simbólica "homenagem" ou, pelo menos, realçar o que de bom tem feito em prol da Cultura Popular Açoriana.

Se o consegui, fico muito satisfeito, se não, fica a intenção.

José Fonseca de Sousa
Lisboa 01-08-2013


Entre os homenageados sinto uma imensa alegria por ver-me contemplada nas páginas 4 a 7 com os versos da autoria do próprio autor da brochura - José Fonseca de Sousa, amigo dos Açorianos.


Transcrevo os lindos versos que me dedicou, com o meu melhor agradecimento por tudo o que por mim tem escrito e feito:


da página 4


Poetisa de grandes valores
Que muito preza a amizade
É genuína dos Açores
Tem fé, amor e bondade.

Quando eu a conheci
Fiquei loga a meditar
Que ali ao pé de mim
Estava alguém para "lutar".

Escreveu livro, versos canta
É figura da cultura
A todos nós ela encanta
Com a sua bondosa postura.

Assim penso que bom seria
Para a cultura açoriana
Que mais gente viesse um dia
Juntar-se à Rosa (Azoriana).

José Fonseca de Sousa
28-07-2013


da página 5


O Pezinho dos Açores
Com todos os seus valores
São odes de muito trilho
Nesta nobre Cantoria
Quem os canta elogia
Quem os toca dá-lhes brilho.


Quando se fala dos Açores
Paisagens, mar e flores
É o que nos vem à lembrança
Aos poetas e cantadores
São devidos os louvores
Essa é a minha grande esperança.


Uma Rosa "Azoriana"
Na sua vertente humana
Dedicou-se à Cantoria
Com amor e devoção
Encontrou em Luís Bretão
O seu farol e seu guia.


Estes dois nomes citados
Estão com muitos irmanados
Nesta nobre tradição
Pena é que no Continente
Não se conheça esta "gente"
Por falta de divulgação.


José Fonseca de Sousa
18-06-2012


da página 6


Mágoa e desilusão
São coisas que nos enfada
Quando para uma realização
Não podemos fazer nada.


Mas com tenacidade
E também com muita esperança
Vence-se a dificuldade
E o êxito logo se alcança.


Por isso nessa "viagem"
Peço à Rosa "Azoriana"
Que se encha de coragem
E apele à sua chama.


Quem lho pede tem experiência
Pois não é coisa proibida
Que para vencer muita exigência
Muitas voltas deu à vida.


José Fonseca de Sousa

14-08-2012


da página 7


Subestimar nosso valor
É coisa que não é certa
Mesmo não sendo um horror
Nosso engenho não desperta.


A uma ROSA que procura
As "causas" da sua inspiração
Eu respondo-lhe: é natura
Dom, Amor e Devoção.


José Fonseca de Sousa
07-04-2013

O sol da Serreta inspira-nos (em imagem e letras)

14.08.13 | Rosa Silva ("Azoriana")
 
Imagem da autoria da jovem serretense Felícia Coelho
 

Ouro lindo de sol posto

Na linha de quebra-mar
Horizonte de agosto
Em beleza de espantar.

Uma tela com bom gosto
No mar alto a cirandar
A natureza tem rosto
Retílineo do luar.

Na Serreta brilha a tarde
Enfeita e dá alegria
A um olhar de saudade.

Até parece que arde
Todo o amor que nos cria
O feitiço da claridade.

Rosa Silva ("Azoriana")

Bryan, bolinha de pelo

13.08.13 | Rosa Silva ("Azoriana")

 

Nome: Bryan

Data de nascimento: 28.maio.2013

Data da 1ª mudança/desparatização: 6.agosto.2013

 

Aspeto: Parece uma bolinha de pelo, com olhos de mar, nariz de terra lavrada e cauda de cinza mesclada.

 

Características: Um misto de meiguice e rebeldia. Já aprendeu que o colo é um berço aconchegante e dá mimos (lambidelas) quando a calma se apodera dele.

Pastores da Brava Festa! (dedicatória)

07.08.13 | Rosa Silva ("Azoriana")

Carlos Tomas 1ª fila é o 2º da direita para esquerda

(imagem da autoria de Donato Parreira,
in "Toiros da Casa Agrícola José Albino Fernandes")


 

Pastores da Brava Festa!

 

Cinco dedos em cada mão
Cinco forças sempre unidas
Correm, correm pelo chão
Comandam cordas compridas.

 

Pastores tomam a corda
Cinco à frente, cinco à ré,
Não se querem ver à borda
Guardiões do bravo… Olé!

 

Com seu traje asseado
Ao peito vai a estampa
Com linhas de aficionado
Raramente solta a tampa.

 

Por amor à camisola
Correm ruas e outeiros
Trajando sua sacola
Leais aos seus ganadeiros.

 

Se o toiro faz investida
No meio do arraial
Tira da corda a medida
Dá um passo à lateral.

 

São verdadeiros heróis
Com toda a desenvoltura
Dão graça aos guarda-sóis
Atiçam toiro à bravura.

 

Voluntários seres humanos,
Também passam suas dores,
São bravos Açorianos
Vivam os nossos pastores.

 

Dizer bem deles me resta,
A mais não sou obrigada:
Pastores da Brava Festa
Dão alma à nossa Tourada!

 

Rosa Silva (“Azoriana”)

 

Nota: Dedico a todos os pastores das ilhas taurinas dos Açores, em especial a Carlos Tomas, natural da freguesia da Serreta, que tem alma de aficionado.

Pág. 1/2