Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Açoriana - Azoriana - terceirense das rimas

Os escritos são laços que nos unem, na simplicidade do sonho... São momentos! - Rosa Silva (Azoriana). Criado a 09/04/2004. Angra do Heroísmo, ilha Terceira, Açores. A curiosidade aliada à necessidade criou o 1

Criações de Rosa Silva e outrem; listagem de títulos

Em Criações de Rosa Silva e outrem

Histórico de listagem de títulos,
de sonetos/sonetilhos
(940...pausa... 981)

Motivo para escrever:

Rimas são o meu solar
Com a bela estrela guia,
Minha onda a navegar
E parar eu não queria
O dia que as deixar
(Ninguém foge a esse dia)
Farão pois o meu lugar
Minha paz, minha alegria.

Rosa Silva ("Azoriana")

**********

Com os melhores agradecimentos pelas:

1. Entrevista a 2 de abril in "Kanal ilha 3"



2. Entrevista a 5 de dezembro in "Kanal das Doze"



3. Entrevista a 18 de novembro 2023 in "Kanal Açor"


**********

Sobre e-mail recebido do amigo José Fonseca de Sousa

31.10.14 | Rosa Silva ("Azoriana")

A seguir a dois parágrafos de resposta/comentário à situação que me foi remetida não consegui alhear-me da força que me impulsionava a completá-los com sextilhas (num total de oito) num ápice de tempo que nem me roubou quase nada ao resto dos lavores do dia. Foi tipo uma flecha de emoções o que agora vos revelo, porque o que se faz de bem merece elogios também, seja em prosa ou em rima. No meu caso, a rima é a predileta para que as ideias jorrem o que tem de jorrar.

O terceiro parágrafo da resposta e as sextilhas foram assim - Então cá vai, à moda da Azoriana - terceirense das rimas, à laia de destaque:

“Retalhos de AMOR”

Se fica feio admirar
Da forma que admiro
Mais valia que o mar
Me levasse noutro giro;
Porque o mar é meu rimar
E da prosa o retiro.

Admiro o lisboeta
Que retrata nossas cores,
Seja a nuvem branca ou preta
Nem lhe causa dissabores,
Já sabe a silhueta
Das nove ilhas dos Açores.

E os amigos que cá tem
Vão crescendo dia a dia;
Sabemos que lhes quer bem,
Ao Pezinho e à Cantoria,
E não haja então quem
Lhe retire esta alegria.

Viva, viva amigo meu!
E de tantos bons ilhéus,
Tudo o que se canta é seu,
Divulgue sem quaisquer véus;
Por tudo o que já ofereceu
Tenha recompensa dos céus.

De louvar eu não me canso
E de rimar também não.
Quando o verso vier manso
Que nem caiba num refrão
É porque não tenho avanço
E durmo no frio chão.

Se fui musa inspiradora
Dos versos do caro José?!
Serei sua defensora
E de si nem arredo pé;
Sua escrita é detentora
Do meu gosto e minha fé.

E para mais não maçar
Nem ocupar seus momentos,
Só me resta encimar
E apregoar aos quatro ventos:
Que quando eu o abraçar
Abraço os seus talentos!

Em par seja a sextilha
Para içar o meu louvor:
Ao que tem feito na ilha
Eleva com mais fulgor
Guarde sempre a maravilha:
São Retalhos de AMOR.

Rosa Silva ("Azoriana")

José Fonseca de Sousa

Por mim o vosso fado

30.10.14 | Rosa Silva ("Azoriana")

Vosso fado

Se quiserem cantar p'ra mim
Se de mim tiverem saudade
Basta sorrir na voz e assim
Darem o seu verso à vontade.

Um verso de amor singelo
Porque singelo é o amor
E além de ser o mais belo
Traz também à voz calor.

E se amar é querer bem
Se amar é dar-se em tudo
Por amor bem-haja quem

Me cante em voz de veludo
Porque voz sente quem tem
Na voz amor sobretudo.

Rosa Silva ("Azoriana")

Outubro, o mês do FADO

30.10.14 | Rosa Silva ("Azoriana")

Nosso fado

A cama estava vazia
Estendi-me p'ro teu lado
Afinal não estava fria
Teu calor tinhas deixado.

E tudo o que eu queria
Que tivesses ali ficado
Enquanto eu permanecia
No nosso leito adorado.

Mas o dia já nascera
Com a pressa do costume
E a ti te convencera...

A deixar o calor meu
Que de amar parece lume
Na brasa do peito teu.

Rosa Silva ("Azoriana")

Amália - DIVA do FADO

29.10.14 | Rosa Silva ("Azoriana")

Amália Rodrigues - DIVA do FADO

Outubro foi o teu mês
De partida mas ficando
Ao lado de quem te amando
Te chora por tanta vez.

Amália tom português
A Diva que ouvi cantando
E quase sempre chorando
O trinado que bem fez.

Amália teu doce canto
Vai comungando perfume
De uma saudade em cume.

As rosas tuas são belas
Melhor perfume que elas
Só na tua voz de encanto.

Rosa Silva ("Azoriana")

[2014/10/06]

Hortênsia em flor (Terceira)

29.10.14 | Rosa Silva ("Azoriana")

Moro numa ilha beijada pelo mar
E no rosto das manhãs dou por mim a louvar
- Que bom é ter-te em mais um dia de magia!
- Que bom é ter uma ilha por companhia!
Deixo-me vaguear envolvida em tanta cor
Que o dia me traz num abraço de amor;
Refresco-me de um colorido de terra e mar
Na estonteante serenidade e bravura
Que venera o centro do fogo e a paz do luar
Da Ilha onde a mulher assenta em figura.

O prazer peninsular do cativante Monte,
Ventre aberto ao céu que lhe fica defronte,
Refúgio das aves e de quem o visita,
Miradouro intemporal da terra que o fita.
O Monte, a Ilha é tudo isto sem ser demais:
É bela, é de Cristo e dos comuns mortais;
É vida, é dor, é sentimento cruzando o horizonte;
É verde, azul, lilás num justo ornamento;
É festa, é riso e a formosura se lhe aponte;
É cais de sonho, é doçura que acalento.

A ilha é linda, hortênsia em flor,
Terceira rainha, o sol do amor,
Lua de amizade, riso do Senhor,
Maresia encantada, manto de valor.

2008/01 /24

Rosa Silva ("Azoriana")

Pág. 1/4