Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Açoriana - Azoriana - terceirense das rimas

Os escritos são laços que nos unem, na simplicidade do sonho... São momentos! - Rosa Silva (Azoriana). Criado a 09/04/2004. Angra do Heroísmo, ilha Terceira, Açores. A curiosidade aliada à necessidade criou o 1

Criações de Rosa Silva e outrem; listagem de títulos

Em Criações de Rosa Silva e outrem

Histórico de listagem de títulos,
de sonetos/sonetilhos
(940...pausa... 981)

Motivo para escrever:

Rimas são o meu solar
Com a bela estrela guia,
Minha onda a navegar
E parar eu não queria
O dia que as deixar
(Ninguém foge a esse dia)
Farão pois o meu lugar
Minha paz, minha alegria.

Rosa Silva ("Azoriana")

**********

Com os melhores agradecimentos pelas:

1. Entrevista a 2 de abril in "Kanal ilha 3"



2. Entrevista a 5 de dezembro in "Kanal das Doze"



3. Entrevista a 18 de novembro 2023 in "Kanal Açor"


**********

12 anos. Flor de rima (no eco da saudade)

28.10.15 | Rosa Silva ("Azoriana")

Matilde Correia

28/10/2003, com 63 anos.
Faz 12 anos, hoje, 28/10/2015.
Ano do 75º aniversário em 14/03/2015.


Flor de Rima

Reparo nos olhos dela
No cabelo ondulado
No sorriso que por ela
Tanta vez lhe foi cortado.

As dores que já partiram
Novas alegrias são
Noutra dimensão subiram
Como rosas em botão.

É assim que eu a vejo
Florindo meu pensamento
Porque a Rima é desejo
Que não escolhe momento.

Partiu aos sessenta e três
Faz hoje a dúzia de anos
Noves fora desta vez
O três vem sem ter enganos.

Pai, Filho, Espírito Santo
A Santíssima Trindade
Que adoça o meu canto
À Matilde de outra idade.

Cornucópias "saudade",
Alvo creme preferido:
Hoje à Rima dão vontade
E ao verso dão sentido.

Rosa Silva ("Azoriana")

Cornucópias saudade

Ando cá com umas ideias...

27.10.15 | Rosa Silva ("Azoriana")

Bom dia, boa tarde ou boa noite conforme o estado da hora que, ainda, me visita. Talvez ainda tenha algumas visitas. O importante mesmo era começar a ter muitas visitas acompanhadas de cliques, em cima ou em baixo, para me tornar uma "blogger" "famosa", salvo seja, não por mim mas por uma FESTA. Sim, por uma FESTA no ano que ainda nem começou mas já começa a mexer com as minhas ideias, desde o dia que fui escolhida para me juntar com mais três amigos da Senhora da Serreta.

Ora bem! Tanto paleio para quê?! Porque estou em pulgas para saber se eu e os outros vamos conseguir levar este grande "andor" para a frente.

Está marcada a 1ª reunião, para amanhã, 28 de outubro de 2015, precisamente no dia do 12º aniversário do falecimento da minha mãe que já me "alertou" para algo especial que se comemora em 2016 - o 10º aniversário da elevação a Santuário Diocesano de Nossa Senhora dos Milagres. Foi em Maio de 2006 mas, claro que, em setembro merece entusiasmo pois foi em setembro que foi feita a contagem de milhares de peregrinos que naquele mês costumam povoar a freguesia dos emigrantes, forasteiros, romeiros, residentes e passantes por quase todos os dias do ano. Há sempre alguém com os olhos postos no altar da Senhora mais linda que eu conheci desde que a vi, a primeira vez que tomei a consciência de que Ela estava ali por nossa causa.

Se a causa é nossa, se cada vez mais queremos dar-lhe o que melhor temos, que sabemos que Ela, a imagem, representa tudo o que é Bom, Santo e Feliz, então todos os que creem, adoram e esperam a bondade, a santidade e a felicidade precisam de se unir a nós, os quatro, para que se organizem as noites e dias de festividade do Povo e da sua Mãe. A festividade religiosa é sempre idêntica e só não se realiza caso haja temporal.

Temos que trabalhar por Nossa Senhora, pela festa profana com apoio de todos.

Tenho fé que todos queiramos festejar a Mãe da Serreta, da ilha, dos Açores, dos emigrantes, e do mundo que recorre a Ela "n" vezes e tantas é atendido com uma simples prece: "Mãe, preciso de ti! Ajuda-me, por favor!".

Rosa Silva ("Azoriana")

Sentir de ilhoa

21.10.15 | Rosa Silva ("Azoriana")


Sentir de Ilhoa

SENTIR DE ILHOA

 

 

A imagem da capa está em Fotos SAPO

Foi um prazer talhar isto
Do fundo do coração
Desta forma não desisto
Tenho por ela paixão.

Quem fez a caricatura
Em tempos que já lá vão
Nem sabia tal ventura
Para capa de eleição.

Paulo Neves
Meu queixo proeminente
O cabelo sempre curto
São a prova evidente
De que este é o meu surto.

Faltam óculos que bem sei
Mas vejo à minha maneira
Para a rima que plantei
Mesmo sem ver corre inteira.

Rosa Silva ("Azoriana")

Pág. 1/2