Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Açoriana - Azoriana - terceirense das rimas

Os escritos são laços que nos unem, na simplicidade do sonho... São momentos! - Rosa Silva (Azoriana). Criado a 09/04/2004. Angra do Heroísmo, ilha Terceira, Açores. A curiosidade aliada à necessidade criou o 1

Criações de Rosa Silva e outrem; listagem de títulos

Em Criações de Rosa Silva e outrem

Histórico de listagem de títulos,
de sonetos/sonetilhos
(940...pausa... 981)

Motivo para escrever:

Rimas são o meu solar
Com a bela estrela guia,
Minha onda a navegar
E parar eu não queria
O dia que as deixar
(Ninguém foge a esse dia)
Farão pois o meu lugar
Minha paz, minha alegria.

Rosa Silva ("Azoriana")

**********

Com os melhores agradecimentos pelas:

1. Entrevista a 2 de abril in "Kanal ilha 3"



2. Entrevista a 5 de dezembro in "Kanal das Doze"



3. Entrevista a 18 de novembro 2023 in "Kanal Açor"


**********

À Quinta do Martelo - Ilha Terceira - Açores

30.11.15 | Rosa Silva ("Azoriana")

É com "coração aberto"
Genuíno e muito belo
O passado está perto
Lá na Quinta do Martelo.

Ao olhar eu já desperto
Pró nosso modo singelo
No fazer que estava certo
Que eu lembro e apelo.

Sendo assim a boa Quinta
Presenteia quem visita
Cuidada e tão bonita.

Neste papel cai a tinta
Que me sai do coração
Por quem ama a tradição.

Rosa Silva ("Azoriana")

Parabéns irmã e cunhado!

24.11.15 | Rosa Silva ("Azoriana")

A 24 de novembro de 2015 deu-me para vasculhar gente minha cuja maioria já não está entre os vivos. Destas fotos restam minha irmã e eu, e alguns primos. Do passado resta a lembrança do que vi e do que ouvi dizer. Há rostos que ainda lembro na sua plenitude. Há saudade!

Fui vasculhar o passado porque tenho um bom motivo. Faz hoje precisamente vinte e cinco anos que a minha única irmã casou. Parabéns, minha irmã e cunhado! Comemoram o que eu gostaria de ter também comemorado mas não comemorei por rompimento aos dezasseis anos.

Fui vasculhar o passado porque os meus pais casaram a 31 de julho de 1960 e comemoraram as Bodas de Prata no dia do meu 1º casamento datado de 28 de julho de 1985. Eles comemoraram felizes num dia que também eu estava feliz. Depois perdi o fio da felicidade.

Fui ao encontro da minha gente, gente que me deu a vida e os antecedentes que deram vida a vidas que já se foram. Dá saudade! Não dá saudade do sofrimento que vi passar mas dá saudade dos sorrisos e das alegrias.

Foi uma alegria ter uma irmã e vê-la completar 25 anos de matrimónio com horas de todas as qualidades.

Do 2º casamento completei as Bodas das Flores e Frutas (4º aniversário). Se Deus quiser virão mais…

"Agora deu para ver gente morta”… É verdade! Que os vivos sejam mais, mas muito mais felizes que os que já partiram.

Muitas Felicidades minha irmã e cunhado pelas vossas Bodas de Prata!

24/11/2015

Rosa Silva (“Azoriana”)

"Raminho dos Folhadais", de Álamo Oliveira

05.11.15 | Rosa Silva ("Azoriana")

Álamo. Poeta dos Folhadais

Álamo Oliveira
Quem d'Angra vai ao Raminho
Encontra muita harmonia
Sobretudo a poesia
É o laço de carinho.

O carinho de Oliveira,
Álamo de cortesia
Que bem lavra a freguesia
Do maior dom da Terceira.

E viver assim somente
No meio dum mar de gente
Apetece o verbo amar.

À sombra dos Folhadais
Com rima nos seus portais
Mais apetece louvar!

Rosa Silva ("Azoriana")

Oliveira, Álamo. 

Nota: Dedicatória para Álamo Oliveira, um grande poeta, amigo e ícone de todos os tempos da poesia. Bem-haja! E parabéns à freguesia do Raminho pela sua página de grande valia.

Ver também “Tempo do Espírito Santo”, de Álamo Oliveira, que faz parte integrante do seu livro “Raminho dos Folhadais”, que recomendo a leitura. É lindo!

Tanto que já fiz por ti...

04.11.15 | Rosa Silva ("Azoriana")

Um documentário completo na MEO Cloud sobre a minha página pessoal da Serreta, sem fins lucrativos, por minha vontade e a título póstumo, numa homenagem à minha falecida mãe que sentia um amor incalculável pela sua freguesia natal e à qual dedicava o melhor de si, mesmo sofrendo de uma doença incurável. A fé dela contagiou-me e agrupei muito do que já publiquei com a inspiração da minha musa - Matilde Rosa Cota Correia.