Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Criações de Rosa Silva e outrem; listagem de títulos

Em Criações de Rosa Silva e outrem

Histórico de listagem de títulos,
de sonetos/sonetilhos
(907 até agora)

Motivo para escrever:

Rimas são o meu solar
Com a bela estrela guia,
Minha onda a navegar
E parar eu não queria
O dia que as deixar
(Ninguém foge a esse dia)
Farão pois o meu lugar
Minha paz, minha alegria.

Rosa Silva ("Azoriana")

**********

Com os melhores agradecimentos pelas:

1. Entrevista a 2 de abril in "Kanal ilha 3"



2. Entrevista a 5 de dezembro in "Kanal das Doze"



**********


2015/04/09 De passagem ou a paisagem efémera

por Rosa Silva ("Azoriana"), em 09.04.15

Quando um projeto toma forma e tem pernas (ou teclas) para andar (ou digitar) achamos que alcançámos uma proeza, que até na altura que começou era pouco vista ou conhecida para a maioria dos iniciantes nas vias tecnológicas que nos colocam ao alcance local, regional, nacional, e, imaginem a maravilha, a rede internacional, que já leva uns bons anos de propagação.

Escrever certos termos “inglesados” hoje em dia não causa tanta estranheza como outrora… SAPO é uma sigla e não o batráquio propriamente dito, mas gosta de se apresentar com a “fisionomia” dele; um atalho tanto pode ser o “shortcut” como uma ruela estreita encurtando distâncias; uma alcunha pode ser “Azoriana” como um “nickname” em alguns sítios navegantes (sem caravelas, barcos ou navios) na Web; um rato tanto pode ser um periférico do computador como um horrível roedor que nos causa a leptospirose se abandonarmos a proteção adequada – as luvas.

Enfim, podia fazer paralelismos o resto das horas mas não me apetece tocar mais na mesma tecla que até uma criança de tenra idade e mesmo antes de iniciar o caminho escolar, já sabe clicar seja lá em que aparelho for ligado à corrente elétrica.

A água e a eletricidade se faltarem num repente imagine-se o caos, o falhanço global, o horror, a morte… Com as tecnologias morre-se ou vive-se “n” vezes; basta estar “Off” ou “On”.

A esta altura já fugiram de ler os meus parágrafos com verdades porque as sabem de cor e estão memorizadas. O que talvez não saibam e também pouco interessará perante os milhões de utilizadores mundiais que abraçam, com alma, coração e dedos, os blogues.

Sim! Os BLOGUES já foram comparados a blocos (imagino de cimento ou de papel) e hoje são tantos que um ou outro completar onze (11) anos de escrita, mais ou menos assídua, ao ritmo da vontade, nem causará grande espanto, nem merecerá qualquer destaque. De destaques está a blogosfera repleta e muito bem.

Destaque merece quem tem de controlar os arquivos no SAPO – Servidor de Apontadores Portugueses, cuja marca e motor de busca foram criados na Universidade de Aveiro, por um conjunto de pessoas que até parece que nos conhecem sem nunca nos terem presenciado face-to-face, isto é, no dia-a-dia real.

E quem tomará conta da debilidade humana perante o sobrenatural tecnológico?! As máquinas está claro, e as gerações futuras suponho eu.

Nem parabéns vou dar-me hoje. É nove de abril do ano de dois mil e quinze (09/04/2015) e daí?! Há onze (11) anos foi criado e ainda é um blogue jovem… A sua autora é que nem por isso… É a “PDI” que comanda agora e sabem bem o significado da sigla… Se não vasculhem que irão encontrar o que se diz da idade mais avançada.

Entretanto, leiam o próximo artigo, por favor, que além de ser mais curto é mais ao meu gosto. Pilares da escrita em rima é o gosto que o SAPO, impulsionado por uma pessoa que me indicou o caminho para chegar aos blogues, me faz chegar até hoje com vontade de dar-lhe substância para que o arquivo fique recheado dos meus melhores agradecimentos pelo zelo, paciência e uns destaques volta e meia.

A AZORIANA ama-vos como se vocês fossem meus familiares e também admira quem, ainda, gosta de me visitar bloguisticamente teclando um comentário. Obrigada!

Rosa Maria Correia da Silva

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


Os escritos são laços que
nos unem na simplicidade
do sonho... São momentos!
Rosa Silva ("Azoriana")

DATA DE CRIAÇÃO
09/04/2004

A curiosidade aliada à
necessidade criou
o 1º artigo e continuou...
16 ANOS
2020/04/09


Não há rima para o tempo
Mas o tempo é uma rima
Que serve de passatempo
A quem o tempo estima.

Just a piece of me
to the amazing world.


RETALHOS DE MIM
Ser AMIGO afinal
É muito mais que amar
É dizer o que está mal
Sem nunca mal se ficar.
...
Isto não é artimanha
Nem coisa de fazer mossa
Há quem queira e não tenha
Há quem tenha e não possa.
...
Na encruzilhada do ser
Há desejos florescendo
Ansiosos por caber
Na lava que vai nascendo.
...
A poesia é a mais bela
Temperança do viver
Quando crescemos com ela
Mais cresce o nosso ser.

Angra do Heroísmo
ilha Terceira - Açores.


in DI Domingo.
Foto de António Araújo

SELO
Azoriana/Açoriana
Azoriana/Açoriana
@ 2004 etc.

(Usa Ctrl+C p/copiar
e Ctrl+V p/colar
o selo no seu blog)

VISITAS
Até 2015/03/30 tinha um total de 537.867 visitas.
Doravante estatísticas in SAPO
MEO KANAL
Canal nº 855035 - Azoriana no MEO Kanal



ISSUU

MEO CLOUD

Naturalidade:

Neste espaço residem pequenos fragmentos da alma serretense.
Um residente classificou-a como sendo fresca no clima e quente na hospitalidade. É, sem dúvida, uma freguesia fresca, pequena mas com uma grande alma.

É um "Cantinho do Céu", como a autora lhe chamou num dos seus artigos publicados.
Sob o pseudónimo de Cidália Miravento e na capa de "Azoriana", Rosa Silva vai reunindo coisas suas e de outros no intuito de divulgar a freguesia que lhe deu berço - SERRETA.

Bem-vindo à Serreta, a freguesia de Nossa Senhora dos Milagres desde 1/1/1862, do concelho de Angra do Heroísmo, ilha Terceira - Açores.




Links

Angrosfera

Blogues que sigo

Câmara Municipal AH

Dicionário

Jornal

O Blog que nos ajuda

Sítios onde estou

Voz dos Açores - gravações