Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Açoriana - Azoriana - terceirense das rimas

Os escritos são laços que nos unem, na simplicidade do sonho... São momentos! - Rosa Silva (Azoriana). Criado a 09/04/2004. Angra do Heroísmo, ilha Terceira, Açores. A curiosidade aliada à necessidade criou o 1

Criações de Rosa Silva e outrem; listagem de títulos

Em Criações de Rosa Silva e outrem

Histórico de listagem de títulos,
de sonetos/sonetilhos
(940...pausa... 981)

Motivo para escrever:

Rimas são o meu solar
Com a bela estrela guia,
Minha onda a navegar
E parar eu não queria
O dia que as deixar
(Ninguém foge a esse dia)
Farão pois o meu lugar
Minha paz, minha alegria.

Rosa Silva ("Azoriana")

**********

Com os melhores agradecimentos pelas:

1. Entrevista a 2 de abril in "Kanal ilha 3"



2. Entrevista a 5 de dezembro in "Kanal das Doze"



3. Entrevista a 18 de novembro 2023 in "Kanal Açor"


**********

Bênção das Pastas - Geologia (3°ano) - Paulo Borges

28.05.17 | Rosa Silva ("Azoriana")

28/05/2017 - Domingo

Dia de Nosso Senhor
É para sempre louvado
Que Ele esteja a teu lado
Sim! Sejas merecedor.

Que voe o digno louvor
Do sino e o seu brado
Na hora em que foi criado
O verbo com mais Amor!

Ao nosso querido filho,
Somente e agora aqui
Estamos agradecidos.

Venha do céu vasto brilho,
Dos que mais querem de ti,
Alegres sorrisos tidos!

Rosa Silva ("Azoriana")

Balada de mãe

28.05.17 | Rosa Silva ("Azoriana")

"Adeus" açoriano
Da ilha Terceira
Reina hoje o pano
Da tua bandeira.

Que a felicidade
Seja sempre o lema
Da maternidade
Te lego o poema.

Contigo a Cultura
Da ilha dos Bravos
Na Pasta pendura
Meus beijos e cravos.

Lembra a tua irmã
Teu irmão também;
E pela manhã
Lembra a tua MÃE!

Coimbra, 28/5/2017

***

Sei que vou partir
Querendo ficar
P'ra cá vim a rir
P'ra lá a chorar.

Rosa Silva ("Azoriana")

Paulo Borges

27.05.17 | Rosa Silva ("Azoriana")

Obrigada filho
Por tudo:
Pela paciência
Pela prontidão
Por seres o guia
Da ocasião.

Obrigada filho
Pela Pampilhosa
Por Coimbra
Pelos passeios
E as loucuras
Tantas as festas
De encantar
A ensaiar
Com teus amigos
Novos e antigos.

Obrigada filho
Pelo "santuário"
Do senhor Manaia
P'lo aniversário
Pampilhosense
Pelo Daniel Vieira
(Tem de ir à Terceira)
Também pelo Quim
Amigo sem fim...

Obrigada filho
Por todos os dias
De mais alegrias
Mesmo que o cansaço
Acabe em abraço.
Tinha de escrever
Para o mundo ver
Que estar presente
Faz tudo diferente.

Que Deus te abençoe
E alguma falta me perdoe.

Rosa Silva ("Azoriana")

Bodas de Perfume

27.05.17 | Rosa Silva ("Azoriana")

Nesta data nosso enlace,
Civil açúcar da festa,
Com perfume já se apresta
No carinho em cada face.

A alegria então dá-se,
Não se perde por ser lesta,
Bela recordação é esta
Não queremos que deslace.

O perfume de uma flor
Perfuma o nosso desejo
E adocica longo beijo...

Um brinde ao nosso Amor
E que o Amor não esfume
A doçura do Perfume!

Rosa Silva ("Azoriana")

Espelho de mim

26.05.17 | Rosa Silva ("Azoriana")

Ampliado ou reduzido
O espelho me reflete;
Contudo não me compete
Mudar o que tenho vivido.

Se me tenho divertido
Como cousa que promete?!
Foi dois mil e dezassete
Pelo bem de ter nascido.

Como é bom ter-te a meu lado
Meu amor, tanto cuidado,
Nem tanto sequer mereço...

És o espelho de mim,
Um cravo do meu jardim,
Sol da escrita que agradeço!

Rosa Silva ("Azoriana")

Ao Fernando Mendonça

26.05.17 | Rosa Silva ("Azoriana")

Ambos fora da nossa ilha,
No mês de Virgem Maria;
Teu livro a maravilha
Que conheceu luz do dia.

Portanto peço à Senhora
Que o queiram admirar
E não levem muita demora
Para com ele ficar.

Um poeta da Terceira,
Do Juncal, e bom praiense,
Merece de toda a maneira
O gosto que lhe pertence.

Viva, viva, o Fernando,
Mendonça de apelido,
Que louvo de vez em quando
Muito mais lhe é devido.

Rosa Silva ("Azoriana")

Amor brilhante

25.05.17 | Rosa Silva ("Azoriana")

Ó estrela citadina
Com vista verde e anil
És de uma ilha subtil
Que preza a graça divina.

Ó cidade vespertina,
Abençoada em perfil,
Céu, mar e Monte Brasil
Mais ilhéus de vista fina.

Ó minha terra adorada,
Ó cidade acetinada
Angra mor leal, constante.

És o doce pergaminho
Meu enlevo, meu carinho,
Cidade de amor brilhante.

Rosa Silva ("Azoriana")

Encontro feliz

23.05.17 | Rosa Silva ("Azoriana")

Jamais esquecerei este dia
Em que eu fui visitar Góis
Foi um dia de alegria
Para relembrar depois.

Cara Clarisse amiga
Que alegre me recebeu
Eu dou-lhe a minha cantiga
Para saber quem sou eu.

O Marquês, belo gatinho,
Companhia tão airosa,
Fez um gesto de carinho
Olhando a visita: Rosa!

Judite já me esperava
Só que era muito cedo
Um beijinho ela me dava
E de mim não teve medo.

Haja alegria no Céu
Onde estão as nossas mães,
Tiro-lhes o meu chapéu
E vou dar-lhe os parabéns!

Quando for daqui embora,
Na certa levo saudade,
E peço a Nossa Senhora
Que nos dê felicidade.

23/5/2017

Góis - Coimbra. Clarisse Sanches e Rosa Silva

Roseiral (À Poetisa de Góis)

23.05.17 | Rosa Silva ("Azoriana")

Pessoas são como rosas
Abertas como em botão
Neste dia gloriosas
Entre Góis e a Região.

No jardim das mais formosas
Perfumam o ar e o chão
Entre os verdes amorosas
Dão gosto à nossa visão.

Não sei se eu já vos disse
Que há uma flor Clarisse
No jardim de Portugal.

Ela escreve, é poetisa,
Da sua mente desliza
Precioso roseiral.

Rosa Silva ("Azoriana")

22/5/2017. Coimbra

22.05.17 | Rosa Silva ("Azoriana")

Vou levar-te comigo
Seja para onde for
Uma ponte sem perigo
Andorinha negra cor.

Tantas vezes eu a vi
Na chegada e na partida
Que dela eu consegui
Recordação para a vida.

Coimbra de Veteranos
De lares entre a verdura
De baladas, soberanos
Fadistas e sã cultura.

Santa Isabel a Rainha,
Pedro, Inês e Santa Clara,
A ponte da andorinha,
E no alto a "Cabra" rara.

Coimbra é sempre assim,
Já nos dizem outras gentes,
Só quando chega o fim
Vêm as lágrimas cadentes.

Por mim mantenho saudade
Da minha Terra querida
Digo com sinceridade
Vou amá-la além da vida.

Rosa Silva ("Azoriana")

Pág. 1/2