Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Açoriana - Azoriana - terceirense das rimas

Os escritos são laços que nos unem, na simplicidade do sonho... São momentos! - Rosa Silva (Azoriana). Criado a 09/04/2004. Angra do Heroísmo, ilha Terceira, Açores. A curiosidade aliada à necessidade criou o 1

Criações de Rosa Silva e outrem; listagem de títulos

Em Criações de Rosa Silva e outrem

Histórico de listagem de títulos,
de sonetos/sonetilhos
(940...pausa... 981)

Motivo para escrever:

Rimas são o meu solar
Com a bela estrela guia,
Minha onda a navegar
E parar eu não queria
O dia que as deixar
(Ninguém foge a esse dia)
Farão pois o meu lugar
Minha paz, minha alegria.

Rosa Silva ("Azoriana")

**********

Com os melhores agradecimentos pelas:

1. Entrevista a 2 de abril in "Kanal ilha 3"



2. Entrevista a 5 de dezembro in "Kanal das Doze"



3. Entrevista a 18 de novembro 2023 in "Kanal Açor"


**********

Flora da Serreta

28.02.19 | Rosa Silva ("Azoriana")

Cachos azuis de afago
Recheiam pedras de lava
Hortênsias que não estrago...
No verso que se desbrava.

Frescas como num lago
Perfeitas que tanto amava
Também por elas é que trago
A Serreta que não me trava.

Azul, verdes, do meu encanto,
Pousam lindos com espanto,
No caminho de nascença.

Logo eu fico admirando
O que o meu chão vai dando...
A flora de paz imensa!

Rosa Silva ("Azoriana")

Ao Kanal ilha 3

27.02.19 | Rosa Silva ("Azoriana")

Pela ilha com dois ou três
Convidados de talento...
Um também tem sua vez
Depende qual o evento.


Mais um Kanal da Terceira
Para quem gosta de ver
Em amena cavaqueira
Cada qual dá seu saber.


É dos Biscoitos de lava
A freguesia do vinho
Agora p'ra gente grava
E nunca fala sozinho.


Só não sei se é preciso
Dar alguma indicação
De falar do improviso
De gente que canta ou não.


Vem aí o Carnaval
Vamos muitos pró salão
Mais à frente é natural
O Pezinho onde eles vão.


O dom de improvisador
Não se estuda nem aprende
Pode ser só amador
Da quadra que surpreende.


Luís Sousa meus louvores
Por também fazer história
Em divulgar dos Açores
O que merece memória.


Em vida faço homenagem
Porque em vida sabe bem
Dá trabalho a filmagem
Mas cá fica o que convém.


Rosa Silva ("Azoriana")

Zé Nandes

26.02.19 | Rosa Silva ("Azoriana")

Zé Nandes

Chegaste onde querias
Ó meu primo Zé Nandes
Nas asas de melodias
Num país dos grandes
Recorda-me nos teus dias
Em que melhor te expandes.

Da ilha para o Canadá
Vai um abraço apertado
Se não mais vieres cá
Sempre serás lembrado
Na vida quando se dá
Também se é recompensado.

Se um dia te lembrares
Do meu verso que rima
E para o céu olhares
Verás algo lá em cima
Se uma lágrima pegares
Será saudade e estima.

Um dia a teu lado
Me quiseste a cantar
Foi tão do meu agrado
Soubeste me encantar
Agora serás aclamado
Em terras de além-mar.

Na Serreta à Senhora
Cantaste maravilhas
Está contigo agora
Mesmo longe das ilhas
Que tenhas pla vida fora
A melhor das partilhas.

Quando olho para ti
Vejo o dom que comanda
Agora que está aí
Contigo alguém sempre anda
Aquela que tens aqui
A tua mãe Fernanda.

Não chores, não lamentes,
Segue o que tens direito,
Outro forma não tentes,
Estás no palco perfeito
Zé Nandes o que tu sentes
Está enraizado no peito.

Te peço Zé humildemente
Lembra-te que cá estou
E lembra a tua gente
Para ti o céu brilhou
O horizonte é quente
Por isso um aplauso te dou.

Rosa Silva ("Azoriana")

 

À Benny (amiga)

26.02.19 | Rosa Silva ("Azoriana")

Benny

É meiga e amorosa
Não faz qualquer mal
Já dormiu com a Rosa...
Calada, não deu sinal.

Dorme e quer-se quentinha
Junto à sua lareira
Vai dar a sua voltinha
Com seu dono à beira.

Parece que entende
O que nós dizemos
A sua língua estende
E o sorriso lhe vemos.

Um dia se Deus quiser
Voltarei a vê-la
E as voltas que der
Será como uma estrela.

Benny é raça competente
Podem dizer que é má
Mas esta é diferente
Como ela não vi cá.

Em Fafe ela se diverte
Com a dona Alvarina
Que sempre ela desperte
Com mimos de "menina".

Ela merece agora
Versos da sua tia
O Carnaval não demora
Precisa fantasia.

Quando vier o Verão
Tem sua piscina
Pra dar um "mergulhão"
Na água cristalina.

Em dois mil e dezassete
Visitei a cadelinha
Na mente a cassete
Com a fita melhor que tinha.

Agora me despeço
Com mil e um agrado
E aos seus donos peço
Deem abraço apertado.

Rosa Silva ("Azoriana")

Homenagem à Turlu (Maria Angelina de Sousa)

24.02.19 | Rosa Silva ("Azoriana")

23032019 Turlu

Minha homenagem à Turlu

Gostava de ver parentes
Da cantadeira Angelina
Que estivessem presentes
Nessa cantoria fina
E o retrato dos ausentes
Quando ela era menina.

Jamais serei cantadeira
Com a garra que ela tinha
Da rima sou tecedeira
Nem conto a que é minha
Rimei tanto na Terceira
Só Turlu é que é rainha.

José Santos leva à cena
Uma justa homenagem
Sei que não será pequena
E vem gente de viagem
Por mim só tenho uma pena
Da voz calar a coragem.

Louvo a Turlu, grã mulher,
Poetisa e cantadeira,
Ilustre pra quem quiser
E sabe que é a primeira;
Diga-se o que se disser
Foi orgulho da Terceira.

De mim o que posso dar
São os versos de papel
Feitos como que a cantar
Na tecnologia fiel
As rimas são como o mar
A bater no meu batel.

Venha o Sol por cortesia
A Aurora abrilhantar;
Venha o Mar e maresia
Temperar a quem cantar:
À grande Turlu, Maria…
Coração de terra e mar.

Venha o povo que bem ama
Cantigas ao desafio
Que no coração são chama
E também são arrepio
Porque quem nasce pr'á fama
Lavra mais calor que frio.

S. Carlos, no Pavilhão,
Situado à minha beira,
Louvo em antecipação,
Mui sincera e verdadeira:
Os cantadores de eleição
S. Miguel, Pico e Terceira!

24/02/2019
Rosa Silva ("Azoriana")

Poemante (a Pinhal Dias)

15.02.19 | Rosa Silva ("Azoriana")

Não existe palavra mais doce
Do que a dita poesia
Quem dera que ela fosse
Minha por mais que um dia.

Poemante eu quero ser
Ter da letra a minha parte
Que voa para conhecer
O caminho de nova arte.

Poemas sinais de brio
Como um doce desafio
Colorindo a nossa vida.

É assim que no regaço
Tanta letra eu abraço
De poemante incontida.

Rosa Silva ("Azoriana")

Born land

15.02.19 | Rosa Silva ("Azoriana")

Serreta

Nasci no quarto virado ao mar que a seta indica, onde o sol me acenava antes de adormecer ao nível do horizonte, entre as ilhas S. Jorge e Pico, e mesmo em frente, a ilha Graciosa. Lugar pacato, verde, frio de Inverno e prazeiroso de Verão. Ótimo para olhar a estrada de mar com a "baixa" a rebentar espuma alva. Dá-me lembranças de estar na varanda silenciosamente a ouvir as melodias da natureza natal. Jamais será a mesma coisa. Ficam os retalhos vincados na mente de dias felizes e sem pressas... tudo era aquela hora, aquele dia entre a Terra e o Mar ao alcance do olhar e coração.

Mote (imagem da Serreta)

☆ A minha mãe era a Terra
O meu pai veio do Mar ☆
☆ Eu nasci perto da Serra
Que abençoou o meu Lar. ☆

Glosa

☆ A minha mãe era a Terra,
Com sofrimento mas bela,
Que ainda lá se encerra,
P'lo tanto que gostou dela.

Da Terra ela não sai...
☆ O meu pai veio do Mar;
Por ela mais que o meu pai
Gosto tanto de rimar.

Tanto que a rima me berra
Parece amor sem medida:
☆ Eu nasci perto da Serra,
Perto dela vi a vida.

Uma vida sem ter pressa
Deixei-a p'ra me enganar...
Tal Terra foi a promessa
Que abençoou o meu Lar. ☆

15/02/2019
Rosa Silva ("Azoriana")

Nota: Obrigada mãe pela linda inspiração. Deus te dê Paz eterna.

Visita a Senhora!

14.02.19 | Rosa Silva ("Azoriana")

Visita à Senhora
Mãe da aurora
Dona da Luz
A linda flor
Altar de Amor...
E de Jesus.

Hoje abençoa
Cada pessoa
Cada lugar
Quero-te bem
Ó minha Mãe
Mãe exemplar.

Tira a dor
Ao sofredor
Dá alegria
Eu agradeço
A quem conheço
Neste bom dia.

Viva a chama
Daquele que ama
E trata bem;
Virgem Maria
Flor de alegria
Viva também!


Rosa Silva ("Azoriana")

Ponta da Serreta

09.02.19 | Rosa Silva ("Azoriana")

Dizem Ponta da Baleia
Para mim é Bico de Ave
Que dia-a-dia chilrreia...
Sob o sol da sua clave.

Dizem que na lua cheia
Vê maresia à-vontade
Meu coração incendeia
Com a chama da saudade.

Foi quadro da minha rima
Das linhas da minha estima
Chilrreio do meu encanto.

Foi e é a tela de artista
Com Maria à sua vista
Inspiração do meu canto.

Rosa Silva ("Azoriana")

Matilde Rosa Cota Correia

05.02.19 | Rosa Silva ("Azoriana")

Mãe, Mãe... ó linda Mãe!
Perdoa a tua filha
A flor que deste à ilha...
[E outra deste também.]

Mãe, Mãe... ó doce Mãe!
Sem vida de maravilha:
O teu ser sempre em quilha
De males que não convém.

Hoje santa me pareces
E creio que não me esqueces...
[Brilhas na intimidade.]

Que esse brilho seja o Céu
Azul nas flores de ilhéu
Que me inspiram de verdade.

Rosa Silva ("Azoriana")

Pág. 1/2