Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Açoriana - Azoriana - terceirense das rimas

Os escritos são laços que nos unem, na simplicidade do sonho... São momentos! - Rosa Silva (Azoriana). Criado a 09/04/2004. Angra do Heroísmo, ilha Terceira, Açores. A curiosidade aliada à necessidade criou o 1

Criações de Rosa Silva e outrem; listagem de títulos

Em Criações de Rosa Silva e outrem

Histórico de listagem de títulos,
de sonetos/sonetilhos
(940...pausa... 981)

Motivo para escrever:

Rimas são o meu solar
Com a bela estrela guia,
Minha onda a navegar
E parar eu não queria
O dia que as deixar
(Ninguém foge a esse dia)
Farão pois o meu lugar
Minha paz, minha alegria.

Rosa Silva ("Azoriana")

**********

Com os melhores agradecimentos pelas:

1. Entrevista a 2 de abril in "Kanal ilha 3"



2. Entrevista a 5 de dezembro in "Kanal das Doze"



3. Entrevista a 18 de novembro 2023 in "Kanal Açor"


**********

Poema do Amor

30.09.22 | Rosa Silva ("Azoriana")

30/09/2022. Aniversário da minha neta, Matilde Alexandra Borges Ormonde.

Doze meses de sorrisos
De Amor intemporal
Sem nenhum dia igual
Porque todos são precisos.

Já floresceram os risos
Do teu rosto divinal
Para mim especial
Em doçura de improvisos.

Doce Amor que me fascina,
Doce flor, doce menina,
Doce coração que tens!

No verso que sobressai...
À tua mãe e teu pai
E a ti, Mais Parabéns!

Rosa Silva ("Azoriana")

Olé!

24.09.22 | Rosa Silva ("Azoriana")

Foguete dá o estoiro
Quando começa a tourada
A força do 5° toiro
É que dá maior marrada.

Isto é pequena ideia
De uma mesa decorada
De um tanto se recheia
Para animar a entrada.

Vive a vida por inteiro
Abusa de ser amável;
Vem aos toiros do Pesqueiro
Numa alegria saudável.

A poucas festas eu vou
Somente as mais chegadas
Se no 5° hoje estou
É para aguentar marradas!

Rosa Silva ("Azoriana")

Festas de São Carlos 2022

21.09.22 | Rosa Silva ("Azoriana")

Espírito Santo que zelas
Pelo verso que é meu
Zela também pelas velas
De S. Carlos Borromeu.

As Tuas festas são belas
Como belo o que é Teu
Da Comissão, as donzelas,
Dão de tudo o que é seu.

E dois mil e vinte dois
É ano de novos sóis
Da graça do recomeço.

É franco na trajetória,
É ano digno de glória,
E da vida que agradeço.

Rosa Silva ("Azoriana")

Em agosto, fez 11 meses (junto uma história)

09.09.22 | Rosa Silva ("Azoriana")

Matilde Alexandra

À Senhora do Sim! (e para um dia a minha neta, Matilde Alexandra, ter para ler)

Parece que ouço a minha neta perguntar-me: Avó, vamos porquê? Conta à Matilde...
Atalho logo. Digo-lhe: Matilde, vamos porque Ela nos chama e temos o dever e a humildade de Lhe responder que Sim!
Porque houve tanta gente antecedente que nos transmitiu hábitos, costumes, tradições... e a melhor de todas: a Fé.
- Avó o que é a Fé?
- A Fé é como o Pão da Alma. Se não tiveres pão para mastigar ficas com fome, choras e queres a mãe por perto. Se não tiveres o Pão de Jesus (de Deus), através do pedido da Sua Mãe, Maria Imaculada e Adorada, ficas com um vazio interior, difícil de acalmar.
- Mas eu não vejo esse Pão, avó?
- Vês o vento? Vês a brisa? Sentes, não é? Então, o Pão da Alma é feito de farinha do sentimento, e de Amor a Quem zela por nós.
- Avó, o que é zelar?
- Zelar é cuidar, é fazer que sigas o Caminho, a Verdade e a Vida.
- A avó ensinou os meninos e meninas da minha idade?
- Não, minha querida, a avó ouviu e ouviu, ouviu e, ainda, ouviu...
- E ouvias bem?
- Matilde, que conversa é essa? Eu ouço é com o coração, porque os ouvidos que temos (as orelhinhas e seus orifícios) ouvem tudo e devem fazer a triagem do que é melhor para a vivência humana...
- Avó, já sei! Queres que vá contigo para a Serreta, não é?
- Estás a ver? Ouviste a voz do teu coraçãozinho de ouro, porque ainda não está trancado a sete chaves...
- O coração é de trancar com chaves?
- Não são essas chaves que tens na mão... São as chaves da ignorância, soberba, traição, mentira, desamor, pecado, materialismo...
- Avó, eu vou... Se Ela disse Sim ao Pai do Céu, quem sou eu para dizer que não... Posso levar o que eu quiser?
- O que tu queres levar?
- Uma folha do meu quintal...
- Uma folha?! Porquê uma folha?
- Porque não tenho flores... a avó está sempre a dizer: leva uma flor a Nossa Senhora...
- Matilde, deixa lá a folha ficar onde está! Tu és a FLOR da SENHORA.

Flor da Senhora

Onze meses que tu cantas,
No jardim da natureza,
Sonho de vasta beleza,
Que o nosso olhar levantas.

Onze meses que encantas,
E podes ter a certeza,
Que não há maior riqueza,
Do que ser o que nos plantas.

Matilde, nome de Mãe,
Que te cabe muito bem,
Até ao nascer da Aurora.

És o rosto de uma flor,
Que diz alto, com fervor:
Sou linda Flor da Senhora!

Rosa Silva ("Azoriana") 

8 de setembro. ANIVERSÁRIO DE NOSSA SENHORA

08.09.22 | Rosa Silva ("Azoriana")

08092022 Aniversário de Nossa Senhora

8 de setembro

ANIVERSÁRIO DE NOSSA SENHORA

Sei que não mereço, Senhora!
Entrar na Tua Morada,
Mas peço a Deus agora,
Para que seja perdoada!

O perdão todos merecem
Se deveras arrependidos,
Porque a Deus, não esquecem,
Só adormecem os sentidos.

Perdão, Senhora Nossa!
Perdão, Senhora Minha!
Perdão, para que possa,
Tirar o ódio que definha.

Dai-me Vossa Proteção,
Dai-me força e coragem,
E Dai a todos, sem exceção,
Boaventura na Romagem!

O Povo é todo crente,
Por vezes, perde o sentido,
Entre o Bom há o doente,
Entre o Mau, o desaurido.

Há as dores de uma vida,
Que procuram sua cura,
Precisam a Mãe concebida,
Diferente de uma Cultura.

Vi lágrimas no Teu Olhar,
Que vias chegar Idosos,
Como se fosses o Mar,
Vigiando os tenebrosos.

DAI-ME SENHORA QUERIDA,
A paz ao meu coração!
DAI-ME Ó MÃE DA VIDA,
O esplendor da TUA MÃO!

Que lindo é o Amor!
Que se deposita no Altar,
É para Jesus Redentor,
Que nos ensinou a AMAR!

Ver assim nossos Idosos,
A ofertar o seu melhor,
Meus olhos estão chorosos,
Não porque esteja pior.

Choro mais de Alegria,
Por ver a Serreta assim,
Parece que há a Companhia
Das flores do Seu Jardim.

Flores humanas paroquianas
Da Serreta e da ilha,
E de outras açorianas,
Com fervorosa partilha.

EU TE AMO Ó LINDA MÃE!
E CHORO MAIS DE ALEGRIA,
OFERTAS FAZEM POR BEM
PORQUE HOJE É O TEU DIA!

Oito do mês de setembro,
Reina numa quinta-feira,
E desde que eu me lembro,
É festiva a ilha inteira.

Mas mais agora a silhueta,
Do Teu Rosto versificado,
Que sorri pela Serreta,
E também chora de lado.

Viva toda a Nossa Gente,
Em completa União,
O brilho Omnipotente,
É verdadeira Comunhão!

ÁMEN!

Rosa Silva ("Azoriana")

Natural da freguesia da Serreta, batizada na Igreja, atual Santuário, de Nossa Senhora dos Milagres.

Hoje, sou...

06.09.22 | Rosa Silva ("Azoriana")

(...)

Sou o espelho do olhar,
Um navio de emoções,
Uma brisa a desfolhar,
O peso das reações.

Sou um vale de amar,
Uma cruz de aflições,
Uma teia de rimar,
Sem verter grandes canções.

Sou a rosa sem botão
No jardim da solidão
Mesmo que acompanhada.

Sou início do fim...
Sou regaço de jasmim,
Para a última morada.

Rosa Silva ("Azoriana")

A uma perecida Estalagem

04.09.22 | Rosa Silva ("Azoriana")

Meu amor estou esquecida
De à tua porta bater
Foram-se os anos de vida
Que te vi resplandecer.

Hoje és a forte ruína
Sem encanto, nem beleza,
Esqueleto na colina
Só te resta a natureza.

Pobre dona de si mesma
Pobre altar, sem silhueta...
Dava p'ra escrever a resma
Da história da Serreta.

Não te vejo renovar,
Nem sequer sair do estado,
Nem vais servir para lar
Do povo do teu agrado.

Todos vão, ninguém cá fica,
Nem tu, ó vã Estalagem;
Eras bela e talvez rica,
Agora és feia miragem.

E de mim não tenhas penas
Nem de ti penas maiores
Porque são penas apenas
Das penas que são piores.

Adeus até mais partida
É a parte que tens certa:
Da metade de uma vida
Fechaste a porta aberta.

És lindo desenho eterno
Tão bonito no papel
De vê-lo, dou olhar terno,
Grat'a FÉLIX, Emanuel.

Rosa Silva ("Azoriana")

Serreta, do meu coração!

02.09.22 | Rosa Silva ("Azoriana")

Festa NS Milagres Serreta 2022

Não te vejo dia-a-dia;
Não estou sempre a teu lado;
Não por ter abandonado,
Não por deixar a freguesia!

Sim por mudar a moradia,
Sim por lapso moderado,
Sim mil vezes magoado,
Sim sem saber o que fazia.

Em quatro "Não", quatro "Sim",
Há milhares de promessas...
Metade delas às avessas.

Mas nem tudo foi ruim
Há bálsamo para a razão
Jamais para o coração!

- Gosto de Ti, ó MPR - Mãe dos Peregrinos em Retorno!

Rosa Silva ("Azoriana")