Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Açoriana - Azoriana - terceirense das rimas

Os escritos são laços que nos unem, na simplicidade do sonho... São momentos! - Rosa Silva (Azoriana). Criado a 09/04/2004. Angra do Heroísmo, ilha Terceira, Açores. A curiosidade aliada à necessidade criou o 1

Criações de Rosa Silva e outrem; listagem de títulos

Em Criações de Rosa Silva e outrem

Histórico de listagem de títulos,
de sonetos/sonetilhos
(940...pausa... 981)

Motivo para escrever:

Rimas são o meu solar
Com a bela estrela guia,
Minha onda a navegar
E parar eu não queria
O dia que as deixar
(Ninguém foge a esse dia)
Farão pois o meu lugar
Minha paz, minha alegria.

Rosa Silva ("Azoriana")

**********

Com os melhores agradecimentos pelas:

1. Entrevista a 2 de abril in "Kanal ilha 3"



2. Entrevista a 5 de dezembro in "Kanal das Doze"



3. Entrevista a 18 de novembro 2023 in "Kanal Açor"


**********

a um plátano serretense

22.02.23 | Rosa Silva ("Azoriana")

A uma imagem inédita e com autoria do residente serretense Alfredo Lemos, a quem recorri e que aceitou a partilha.

platano_por_alfredo_lemos.jpg



Muito lhe agradeço, com a maior das simpatias. Aqui vai o que a inspiração me ecoou, para moldura ou seja o que for, que o seja MESMO. Eis:


quero escrever o que não escrevo
debulhar versos de trigo
dizer mais do que até devo
a um plátano tão antigo.

quero ser troféu de enlevo
na Canada, sem castigo,
louvar-te, também, me atrevo
ó plátano, ó grande amigo!

és templo de brincadeira,
plátano de cantadeira,
que se quis em tom maduro.

quero que sejas emblema
decorado de um poema
do passado com futuro.

* Canada da Vassoura *
A um plátano serretense


Rosa Silva ("Azoriana")

Nota: Paulo Borges cuida muito bem desta homenagem póstuma a um avô quem te amou e deixou um "barco" artesanal de recordação.

Nem é preciso sapato

21.02.23 | Rosa Silva ("Azoriana")

sapatos

Nem é preciso sapato
Na ordem da brincadeira
Isto assim é o retrato
Da criança da Terceira.

Deviam fazer bailinho
Com "desenhos animados"
Darem asas ao caminho
Sem chegarem atrasados.

É que as crianças, meu Deus,
Nunca param um minuto,
Atentos só estão os seus,
Desde que tenham conduto.

O conduto nestes dias,
Antes de vir o jejum,
Bifanas e iguarias,
Que nem fazem mal algum.

E o balão, mais serpentinas,
Cirandam de mão em mão,
Os meninos e as meninas
São o centro da atenção.

Rosa Silva ("Azoriana")

Gostas da Serreta, ou da Milagrosa?

21.02.23 | Rosa Silva ("Azoriana")

Se queres ter incentivo
Para a vida correr bem
Vem manter o palco vivo
Vem honrar a doce Mãe!

Dá um verso convertido
Dá o melhor que se tem
Já e hoje te convido
A vir à Terra d'Além.

A Terra se rege ao Mar
Ao palco vem atuar
Para um sorriso que emana...

Vem comigo, estou a sério,
Vem visitar este Império...
E a Rosa - Azoriana!

21/02/2023

Serreta. Rosa Silva ("Azoriana")

Rimad'eira

21.02.23 | Rosa Silva ("Azoriana")

Carnaval 2023

Se sou uma mulher feliz?
Ó sim! E disso não duvides...
Porque sou sempre aprendiz
Do que somas e divides.

Vou reinar no Carnaval,
Mesmo não sendo rainha,
Porque rir nunca fez mal
Esta é a ideia minha.

Mas se chorar a seguir
Porque chorar é comum
Farei tudo por me unir
Às graças de cada um.

Só se vive uma vez
E esta já vai na conta
Para quem sabe o que fez
Nem é caso para afronta.

Vive, vive, o que tens,
Mesmo que não tenhas tudo,
Vive e dá os parabéns
A quem ama o Entrudo.

Eu - Rosa Silva ("Azoriana")

Carnaval 2023

19.02.23 | Rosa Silva ("Azoriana")

Por incrível que pareça
E se questionem por mim
Antes que perca a cabeça
Vou andando assim-assim.

Que nada me arrefeça
Nem cedo chegue o fim
O que quer que aconteça
Seja bom e não ruim.

Ao Carnaval terceirense
Ainda não fui chamada
P'lo Momo da sã risada.

Hei de ver quem é que vence:
Se a dor de quem partiu
Ou o riso que anda frio.

Rosa Silva ("Azoriana")

A Irina Rodrigues

12.02.23 | Rosa Silva ("Azoriana")

Neste dia, nesta hora,
Encontrei esta memória,
Elogio hoje a senhora,
Que içou a minha história.

À Serreta e sua Mata
Veio Irina com sorriso
Ora a rima se desata
Agradecer é preciso.

Seja lá de onde for
Ou em que lugar esteja
Deus lhe conceda valor
Porque ele não sobeja.

Venha mais vezes à ilha
Que favorece o pulmão
Com a Mata, maravilha,
E a ilha em coração.

Rosa Silva ("Azoriana")