Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Açoriana - Azoriana - terceirense das rimas

Os escritos são laços que nos unem, na simplicidade do sonho... São momentos! - Rosa Silva (Azoriana). Criado a 09/04/2004. Angra do Heroísmo, ilha Terceira, Açores. A curiosidade aliada à necessidade criou o 1

Criações de Rosa Silva e outrem; listagem de títulos

Em Criações de Rosa Silva e outrem

Histórico de listagem de títulos,
de sonetos/sonetilhos
(940...pausa... 981)

Motivo para escrever:

Rimas são o meu solar
Com a bela estrela guia,
Minha onda a navegar
E parar eu não queria
O dia que as deixar
(Ninguém foge a esse dia)
Farão pois o meu lugar
Minha paz, minha alegria.

Rosa Silva ("Azoriana")

**********

Com os melhores agradecimentos pelas:

1. Entrevista a 2 de abril in "Kanal ilha 3"



2. Entrevista a 5 de dezembro in "Kanal das Doze"



3. Entrevista a 18 de novembro 2023 in "Kanal Açor"


**********

Bom Dia Internacional do Idoso

28.10.23 | Rosa Silva ("Azoriana")

Que seja sempre bom é o lema. Hoje não vou escrever poema. Hoje não. Descansas em Paz há 20 anos, minha musa inspiradora.
O teu sofrimento ao longo de mais de 20 anos, também, está a ser convertido à Paz junto de Deus.
Não, não vou sequer balbuciar o teu nome. Talvez seja a primeira vez que ouso tratar-te por "tu".
Se me quiseres dar o tom eu faço o resto por ti... não vou negar, como outrora fiz...

♡♡♡

São as rosas da família
Uma terna ligação
Que não devem ter quezília
Ao invés doce união.

E os laços, cor laranja,
Que havia no jardim,
Hoje talvez não se arranja
Um lírio tão lindo assim.

São as flores a paixão,
O encanto de Maria,
Na Terra é que se dão
Regadas de alegria.

A roseira há de crescer
Até onde Deus quiser
Um dia há de nascer
O brilho que Ela te der.

Rosa Silva ("Azoriana")

"Hora da Serra", programa de José Gabriel Oliveira, Isabel Bertão, Ildeberto Rocha

26.10.23 | Rosa Silva ("Azoriana")

Hora da_Serra 01

Hora da Serra 02

Hora da Serra 03

Para ouvir na totalidade clique na seguinte hiper ligação:

Hora da Serra, de 26/10/2023, com Rosa Silva

Ponto de Encontro Áudio

Programa «Hora da Serra»

A hora é de cortesia
Conversa tão amistosa
Um toque de Poesia
Com a repentista Rosa.

José Gabriel Oliveira,
E a Isabel Bertão,
O técnico ali à beira
Ildeberto Rocha então.

Agradeço, reconhecida,
Esta amena simpatia
Enquanto durar a vida
Dure a oferta do dia.

E eis a recordação
Última quinta de outubro
Na sexta a gravação
Com alegria ao rubro.

Rosa Silva ("Azoriana")

A Rogério Martins Simões (RoMaSi)

26.10.23 | Rosa Silva ("Azoriana")

RoMaSi da Poesia

Ao regaço do poema
Sorrindo estás ancorado
E na letra debruçado
Sem que doa novo tema.

Mas sem dor não há dilema
O dilema passa ao lado
Alegre venha o teu fado
Porque a letra é doce lema.

Que de Amor seja o refrão
E a Dor... ai a Dor não!
Com a Dor nada se cria...

Porém a Dor e o Amor
Deram talento e valor
A RoMaSi a Poesia!

Rosa Silva ("Azoriana")

Por causa de um dia: 16 de outubro de 23

19.10.23 | Rosa Silva ("Azoriana")

Lindos tempos de menina
Ou senhora ainda nova
Tudo era uma rotina
Que me punha sempre à prova
Que agora a Graça Divina
Me dê sempre boa trova.

Que eu não caia em desalento
Que eu não finja a alegria
Bordada de algum talento
Siga em paz o dia-a-dia
Mas se houver algum tormento
Que não seja de agonia.

Que se lembrem do que fui
Mesmo não sendo certeira
Há sempre algo que influi
De uma forma pioneira
No presente se conclui
Que fui Rosa verdadeira.

Fica aqui o meu afeto
A quem afeto me deu
Debaixo do mesmo teto
Muita coisa aconteceu
Mas o discurso direto
Em verso é dom que é meu.

Choro lágrimas de papel
Riu com outra vontade
Cirando neste painel
Fugindo à realidade
Deixo à tona algum mel
E abraço a tempestade.

Por não saber até quando
Darei voz às falangetas
Escrevendo vou regando
Palavras que não são tretas...
Vivam tudo, tudo em bando
Ao invés serão pernetas.

Rosa Silva ("Azoriana")

Sobre a "taurinidade" (em discussão)

17.10.23 | Rosa Silva ("Azoriana")

Bom dia ó nobre Povo
Da ilha Terceira Açores
Se não há nada de novo
Que não hajam quaisquer dores.

O sol voltou a brilhar
Como brilham nossos olhos
Quando atiçam o olhar
Para a alegria aos molhos.

Esta dica já é velha
E de velha já não passa
E aquele que aconselha
Cai sempre na melhor graça.

O conselho que vos dou
Não é nada de outro mundo
Quem no dia acordou
Dê mais graças ao segundo.

A vida não está para graças
Nem tão pouco brincadeira
Andam por aí ameaças
Que fazem mal à Terceira.

A Terceira é de Jesus
Dizem aqueles que vivem
Mas pode virar a cruz
Para os que sobrevivem.

Não sei se será verdade
Ou se vem a finca-pé
Que a nossa "taurinidade"
Tende a não ser como é.

Por mim pode ir o quinto
Que não me fará a falta
Do resto aquilo que sinto
- Vai dar investida à malta.

Fiquem bem, sejam prudentes,
Não façam coisa ruim
Preservem o gosto das gentes
Que vivem neste jardim.

Um jardim no mar plantado
Com suas flores humanas
Merece ser estimado
E as pétalas açorianas.

2023/10/17

Rosa Silva ("Azoriana")

Do Terreiro da Serreta

14.10.23 | Rosa Silva ("Azoriana")

E chegou ao fim uma tarde beijada pela alegria solar, dando fulgores à tourada do Terreiro da Serreta.

de Hildeberto Franco
Todos (os que gostam) estavam no reboliço da rua, na corrida sem freio, na abertura brincalhona do portão habitual, no rebolar repentino no chão, depois de uma pequena cornada. Realmente houve um arraial maior que o habitual. Gente que devia estar triste por acabar este ritual terceirense de bem-querer de toiros pretos, castanhos e em modo charolês (lindo). Gostei e já sinto a nota nostálgica de mais uma "última" , para mim, deste ano de muita festança e festejos. Vou acomodar-me ao pousio outonal e invernoso. Pensar em tarefas de paixão pelo que faço para sustento diário.

Até para o ano se Deus quiser. Um boné fica para amuleto de sorte, com a candura da fé.

Obrigada aos parentes próximos por mais um agradável convívio taurino.

Rosa Silva ("Azoriana")

Foto de Hildeberto Franco, do Kanal das 12

António Couto, senhor de Bem

05.10.23 | Rosa Silva ("Azoriana")

António Couto senhor de Bem
Que preserva heroísmo
De tanto percebe e tem
O dom de colecionismo.

É em vida que se aclama
E se faz caso de alguém
Mais por saber que ele Ama
O que nossa Terra tem.
O Couto é a maresia
Do esplendor de antigamente
Que guarda o que se cria
Que idolatra nossa gente.

Para ele o meu Abraço
Que de Louvores se dá
Que o guarde em seu Espaço
Enquanto Vive por Cá.

São Carlos. 05/10/2023

Rosa Silva ("Azoriana")

Toiro 45, o Modelo!

05.10.23 | Rosa Silva ("Azoriana")

Toiro de apresentação
Modelar, em movimento,
Que nos prende a atenção
Na bravura do momento.

Quarenta e cinco, em ação,
Se atira mais do que vento,
Cumpre bem sua função,
Vira e volta cem por cento.

Um Modelo de bravura,
Tece e marca a criatura
Que no guarda-sol volteia...

Pode ser emoldurado,
Cirandar, ser toureado,
Bravo <<OLÉ>> à boca-cheia!

Rosa Silva ("Azoriana")