Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Açoriana - Azoriana - terceirense das rimas

Os escritos são laços que nos unem, na simplicidade do sonho... São momentos! - Rosa Silva (Azoriana). Criado a 09/04/2004. Angra do Heroísmo, ilha Terceira, Açores. A curiosidade aliada à necessidade criou o 1

Criações de Rosa Silva e outrem; listagem de títulos

Em Criações de Rosa Silva e outrem

Histórico de listagem de títulos,
de sonetos/sonetilhos
(940...pausa... 981)

Motivo para escrever:

Rimas são o meu solar
Com a bela estrela guia,
Minha onda a navegar
E parar eu não queria
O dia que as deixar
(Ninguém foge a esse dia)
Farão pois o meu lugar
Minha paz, minha alegria.

Rosa Silva ("Azoriana")

**********

Com os melhores agradecimentos pelas:

1. Entrevista a 2 de abril in "Kanal ilha 3"



2. Entrevista a 5 de dezembro in "Kanal das Doze"



3. Entrevista a 18 de novembro 2023 in "Kanal Açor"


**********

Laços

28.11.23 | Rosa Silva ("Azoriana")

Ando tão devagar ao compasso da vida
Piso um golpe de água em conversa perdida
Vejo o monte cerrado à vista de menina
Nascida ao parapeito de bruma neblina.

Sinto a pele viva à tona do mar
Mesmo que me doa não saber nadar
Vejo o monte aberto com cara de cão
E falta-me tudo na palma da mão.

Acho o corpo verde vestido de sol
Finjo que adormeço na tez do lençol
E vem-me à lembrança teu sorriso brando.

E sonho contigo com laços de chumbo
Na mente um deserto em que hoje sucumbo
Só a rima me salva até não sei quando.

Rosa Silva ("Azoriana")

O lar (à descoberta do "eu")

22.11.23 | Rosa Silva ("Azoriana")

Onde encontro o que não quero
Em qualquer outro lugar
Onde o repouso sincero
É presente sem rogar.

É a paz que eu venero
"A valsa onda do lar"
E quanto mais dela quero
Mais ela teima em se dar.

Teima a vida ventania
Teima uma onda selvagem
Que impede uma viragem.

E, com Deus, eu só teria
O consolo de uma paz
Que a vida não me faz.

Rosa Silva ("Azoriana")

Ser mãe (II)

21.11.23 | Rosa Silva ("Azoriana")

Ser mãe é a maravilha
Ser mãe é mesmo tão lindo
Dar o beijo de bem-vindo
No rostinho que nos brilha.

E ser mãe de uma filha
É reflexo do carinho
O amor de nosso ninho
Que se fixa numa ilha.

Ser mãe foi o grande sonho
Que em trio realizei
E jamais esquecerei.

Ser mãe é onde (re)ponho
A letra do melhor fado
Com meus três filhos ao lado.

Rosa Silva ("Azoriana")

O Bravo da Casa

11.11.23 | Rosa Silva ("Azoriana")

Eis que o Bravo se apresenta
No topo da pastorícia
E quem com ele vai e tenta
Deve ter bem certa a perícia.

No prado é mestre de porte
Para quem o vê da estrada
E talvez tenha muita sorte
Se nunca provar a cornada.

Louvar-te que eu sempre possa
Porque Bravo já és dos grandes
Desta Casa que é bem nossa
De José Albino Fernandes!

Viva, viva a Festa Brava
Da ilha Terceira Açores
Que por tradição não se trava
E tem grandes admiradores.

Viva! Viva quem a estuda
E a segue com alegria
Da Terceira jamais se muda
O Bravo da Ganadaria!

Bem sei que não é que escolheste
Ter do Povo toda a ternura
Bravo touro tu já nasceste
Com o laço da sã bravura!

Rosa Silva ("Azoriana")

nascimento

09.11.23 | Rosa Silva ("Azoriana")

Nasci no alto da serra
Tecida com pé-de-flor
É entre o mar e a terra
Que o meu verso ganha cor.

Corre em mim a teoria
De tudo o que vi primeiro
Seja de noite ou de dia
O verso é meu companheiro.

Rosa Silva ("Azoriana")

À Vila de São Mateus da Terceira

05.11.23 | Rosa Silva ("Azoriana")

Marinheira de Deus perto,
Glória da sua gente,
São Mateus a céu aberto
É a Vila diligente.

E é Vila abençoada
Mais do que a gente pensa
Com seu porto em arcada
Numa calheta imensa.

E as Torres que encimam
O seu vale piscatório
Apregoam e estimam,
O sucesso meritório.

Muito além do que se diga
Há de cair sempre em graça
No refrão de uma cantiga
E na voz que bem lhe faça.

Rosa Silva ("Azoriana")

Nota: inspirada na linda foto de capa do sítio da Junta de Freguesia (Vila de São Mateus da Calheta)

Com tua voz

04.11.23 | Rosa Silva ("Azoriana")

Ai, quem me dera ouvir
Tu a leres o que escrevo
Tinha alegria a seguir
E nem por isso te devo.

E cantar? Com a tua voz
De jovem ou mais madura
Cada verso sai veloz
Neste jardim de cultura.

A cultura ideal
É o ramo do ilhéu
Com a raiz regional
Entre terra, mar e céu.

A raiz do ser humano
Está no sangue da pessoa
No caso açoriano
Muito mais se apregoa.

Rosa Silva ("Azoriana")