Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Açoriana - Azoriana - terceirense das rimas

Os escritos são laços que nos unem, na simplicidade do sonho... São momentos! - Rosa Silva (Azoriana). Criado a 09/04/2004. Angra do Heroísmo, ilha Terceira, Açores. A curiosidade aliada à necessidade criou o 1

Criações de Rosa Silva e outrem; listagem de títulos

Em Criações de Rosa Silva e outrem

Histórico de listagem de títulos,
de sonetos/sonetilhos
(940...pausa... 976)

Motivo para escrever:

Rimas são o meu solar
Com a bela estrela guia,
Minha onda a navegar
E parar eu não queria
O dia que as deixar
(Ninguém foge a esse dia)
Farão pois o meu lugar
Minha paz, minha alegria.

Rosa Silva ("Azoriana")

**********

Com os melhores agradecimentos pelas:

1. Entrevista a 2 de abril in "Kanal ilha 3"



2. Entrevista a 5 de dezembro in "Kanal das Doze"



3. Entrevista a 18 de novembro 2023 in "Kanal Açor"


**********

Ontem vs Hoje

03.09.07 | Rosa Silva ("Azoriana")

Pelos lugares que passei ontem e hoje há uma diferença abissal. Nem me vou preocupar se as vírgulas estão bem postas ou não porque o que me interessa é passar a mensagem para o mundo:

Ontem estive no 2º dia da novena de Nossa Senhora dos Milagres, sobretudo na parte que a Filarmónica Recreio Serretense desfilou até ao Santuário apresentando a sua saudação, em frente à porta, na presença de várias pessoas, e na parte que consegui ouvir e que se prende com a homenagem à Senhora dos Milagres dentro do Santuário, em que tocam o Hino da Padroeira, acompanhado pelas vozes do grupo coral serretense. Escusado será escrever que senti a pele arrepiar-se e não estava frio... Era a minha sensibilidade a estes eventos porque me emocionam profundamente. O meu filho esteve lá a oferecer os seus primeiros toques na caixa de rufo e isso ainda me enterneceu mais...É mais um elemento da família a zelar pela continuação da Filarmónica mais antiga da ilha e com muita vontade e alegria. Depois seguiu-se um concerto na Sociedade Recreativa da Serreta, com a presença do Rev. Reitor do Santuário na apresentação e da emigrante Eva Soares que presenteou os presentes com as suas sentidas palavras. Foi uma noite que acabou com o partir do bolo comemorativo do 1º Centenário da Paróquia da Senhora dos Milagres e respectiva distribuição por todos. Às crianças foi dada a alegria de o partirem e cantarem os Parabéns acompanhadas pela Filarmónica que havia ultimado a sua actuação com o Hino da Filarmónica, com todos de pé e emocionados. É sem dúvida um momento único e que fica na nossa memória e digno da nossa ovação ao maestro, músicos e todo o pessoal envolvido nesta efeméride.

Hoje, e longe da freguesia que continua com novo tema para mais um dia de novena, só ouço à minha volta histórias tristes... pessoas que sofrem, pessoas que há pouco tempo estavam saudáveis (ou pareciam) e já não estão, pessoas sem dinheiro para aguentar o custo elevado de vida, pessoas cuja alegria vai descaindo... e o stress aumenta...

Como vai ser para equilibrar o «ontem» com o «hoje»?

É caso para orar:



Senhora, eu tenho fé mas aumenta a minha fé;
Senhora como vou aplicar o que senti ontem no hoje?
Senhora faz um milagre entre tantos que já fizeste e ajuda-nos.

AJUDA-NOS, Mãe!