Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

S. Salvador da Sé

por Azoriana, em 17.06.18

Altas torres dão sinal
Que é nobre a Catedral
Que nós chamamos de Sé;
O relógio só parou
Quando a terra abalou
Para ouvir brados de Fé.

Torres de verde e de branco
Ondulado solavanco
Que prima por suas cores
Dão ao mundo inspiração
E os sinos em oração
Zelam por nossos Açores.

S. Salvador patrocina
A virtude da doutrina
Que todo o cristão proclama.
Quem os seus degraus pisar
Tem tempo de improvisar
A oração que Deus ama.

Pai-Nosso que estás no Céu
Abençoa o nosso ilhéu
Que estes meus versos lê;
Dá-lhe o pão de cada dia
Saúde, paz e alegria
E mais força no que crê.

Rosa Silva ("Azoriana")

Autoria e outros dados (tags, etc)

Simbolismo

por Azoriana, em 09.12.17

Doravante quem sou eu
No deserto de mim?
Sou prisioneira do meu
Pensamento sem fim.

Sem saber o que me deu
Ao redor de um jardim
Onde escondo o que é teu
E me fez sentir assim.

De ti vem a inspiração
De tornear a canção
Do refrão que tu me deste.

De uma rosa a florir
No meu corpo a cobrir
Tua cor azul-celeste.

Rosa Silva ("Azoriana")

Autoria e outros dados (tags, etc)

Somos perfume da ilha

por Azoriana, em 22.11.17

Nas marés da mocidade
Há uma onda de euforia
Quando rola a outra idade
Outro perfume irradia.

Há um perfume que invade
A ilha da cortesia
Seja no campo ou cidade
O perfume é poesia.

Há um prazer salutar
Que nos beija a palavra
Da letra que por nós lavra.

Há um verso a perfumar,
Que à solta se expande,
Por onde quer que se ande.

Rosa Silva ("Azoriana")

Autoria e outros dados (tags, etc)

Pétalas de bruma

por Azoriana, em 21.11.17

Cantei ao Sol e à Lua
Na terra junto do mar,
Temi que fosse chorar
No verso que em mim flutua.

Vesti minha voz tão nua
Com a bruma do teu olhar
Que o cio fez aumentar
O canto em fase crua.

Sou lua (pétala de bruma)
És sol (na flor da canção)...
Amantes em terra ardente.

Sou nada, coisa alguma,
És tudo, meu coração,
Sou flor de vida somente.

Rosa Silva ("Azoriana")

Autoria e outros dados (tags, etc)

Trilho do olhar

por Azoriana, em 21.11.17

Nem sempre te vejo assim
No leito do mar ancorado,
Num tom anil marejado,
Espelho em versos sem fim.

A noite trouxe-te, enfim,
No trilho do olhar fatigado,
Por um murmúrio salgado,
Que te fez entrar em mim.

De longe és a descoberta
Do príncipe que me aperta
À linha da escuridão...

De perto sei que és Monte
Brasil que vejo defronte
Dos olhos da minha paixão.

Rosa Silva ("Azoriana")

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Os escritos são laços que
nos unem na simplicidade
do sonho... São momentos!
Rosa Silva ("Azoriana")
DATA DA CRIAÇÃO
09/04/2004

A curiosidade aliada à
necessidade criou
o 1º artigo e continuou...
DEZ ANOS
2014/04/09

Não há rima para o tempo
Mas o tempo é uma rima
Que serve de passatempo
A quem o tempo estima.


SELO
Azoriana/Açoriana Blog
Azoriana/Açoriana Blog
@ 2004 etc.
VISITAS
Até 2015/03/30 tinha um total de 537.867 visitas.
Doravante estatísticas in SAPO
MEO KANAL
Canal nº 855035 – Azoriana no MEO Kanal



ISSUU

MEO CLOUD





Links

Voz dos Açores - gravações