Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Criações de Rosa Silva e outrem; listagem de títulos

Em Criações de Rosa Silva e outrem

Histórico de listagem de títulos,
de sonetos/sonetilhos
(926 até agora)

Motivo para escrever:

Rimas são o meu solar
Com a bela estrela guia,
Minha onda a navegar
E parar eu não queria
O dia que as deixar
(Ninguém foge a esse dia)
Farão pois o meu lugar
Minha paz, minha alegria.

Rosa Silva ("Azoriana")

**********

Com os melhores agradecimentos pelas:

1. Entrevista a 2 de abril in "Kanal ilha 3"



2. Entrevista a 5 de dezembro in "Kanal das Doze"



**********


Verde e cinza (a Serreta)

por Rosa Silva ("Azoriana"), em 20.01.23

Contornos de cinzento manso
Decalcam o verde mesclado
De que se veste cada prado
E as sombras para descanso.

Contornos que vejo e avanço
P'ra servo terreno sagrado
Pelo cinzento abençoado...
Pena que não vejo o tal ganso.

Há um ganso (ou sequer havia),
Que arremete aos seres estranhos
Sejam qual forem os seus tamanhos...

Pena que deixei a freguesia...
No entanto, a consolação
É louvar os que d'outrora são.

Rosa Silva ("Azoriana")

Nota: a propósito da foto de José Maria Botelho

Autoria e outros dados (tags, etc)

Quase a virar a folha

por Rosa Silva ("Azoriana"), em 28.12.22

IMG_20140201_170149.jpg

A três dias do final
De dezembro atual
É tempo de recordar
O que se fez de melhor
Afastando o pior
Para bem se acordar.

O acordo é bem-vindo
Para o rosto ir florindo
No ano que se aproxima.
Haja Paz, Paz, por favor,
Demos graças ao Senhor,
Em prosa ou mesmo em rima.

A rima sempre acontece
Para aquele que não esquece
A melodia do Ser.
Gosto muito de abraçar
A ventura de rimar
Para o Bem enaltecer.

Quase a virar a folha
Não temos grande escolha
É seguir com sapiência
Cultivar para surtir,
Trabalhar para sentir
Vida na sobrevivência.

Bom Ano para vocês,
Quase, quase o fim do mês,
Sem deixar ninguém atrás.
O futuro é que dirá
Para quem anda por cá
Se é Bom o que se faz.

Para os nossos emigrantes,
Da Serreta não distantes,
Desejo prosperidade,
Para quem tem Pai e Mãe,
E mesmo aquele que não tem,
Louve a consanguinidade!

Rosa Silva ("Azoriana")

Autoria e outros dados (tags, etc)

Serreta da minha vida!

por Rosa Silva ("Azoriana"), em 20.11.22

Ó Serreta da minha vida
Botão da minha alegria
Para sempre serás querida
Até ao meu último dia.

Da Serra até ao longo Mar
Deste vidas para o mundo
Que até gostam de voltar
Nem que seja num segundo.

Tuas casas lembram flores
Pinceladas pelo nevoeiro
A nobreza destes Açores
Dos Milagres, amor primeiro.

Serreta é mesmo só uma,
Não conheço outra que tal
Que tenha lenda e bruma
E um Queimado capital.

Santuário e lindo Império
Para a Mãe e o Divino
Que unem o Seu Mistério
Com badaladas do sino.

E nobre casa centenária
Da Banda sempre em ativo
E de uma Mata lendária
De veraneio mui atrativo.

Nossa Banda musical
De Recreio Serretense
Tem um palco universal
Muito além do terceirense.

Ela tem admiradores
Que na ajuda são constantes
Na diáspora tem valores
Digo: Bem-hajam os emigrantes!

Avós, pais, filhos e os netos
São a alma repetente
Coroando de mais afetos
Tanto passado e presente.

Obrigada a quem lhe dá
Antes, agora e o depois,
Porque ao seu lado está
A Mãe de todos os Sóis!

Rosa Silva ("Azoriana")

Autoria e outros dados (tags, etc)

8 de setembro. ANIVERSÁRIO DE NOSSA SENHORA

por Rosa Silva ("Azoriana"), em 08.09.22

08092022 Aniversário de Nossa Senhora

8 de setembro

ANIVERSÁRIO DE NOSSA SENHORA

Sei que não mereço, Senhora!
Entrar na Tua Morada,
Mas peço a Deus agora,
Para que seja perdoada!

O perdão todos merecem
Se deveras arrependidos,
Porque a Deus, não esquecem,
Só adormecem os sentidos.

Perdão, Senhora Nossa!
Perdão, Senhora Minha!
Perdão, para que possa,
Tirar o ódio que definha.

Dai-me Vossa Proteção,
Dai-me força e coragem,
E Dai a todos, sem exceção,
Boaventura na Romagem!

O Povo é todo crente,
Por vezes, perde o sentido,
Entre o Bom há o doente,
Entre o Mau, o desaurido.

Há as dores de uma vida,
Que procuram sua cura,
Precisam a Mãe concebida,
Diferente de uma Cultura.

Vi lágrimas no Teu Olhar,
Que vias chegar Idosos,
Como se fosses o Mar,
Vigiando os tenebrosos.

DAI-ME SENHORA QUERIDA,
A paz ao meu coração!
DAI-ME Ó MÃE DA VIDA,
O esplendor da TUA MÃO!

Que lindo é o Amor!
Que se deposita no Altar,
É para Jesus Redentor,
Que nos ensinou a AMAR!

Ver assim nossos Idosos,
A ofertar o seu melhor,
Meus olhos estão chorosos,
Não porque esteja pior.

Choro mais de Alegria,
Por ver a Serreta assim,
Parece que há a Companhia
Das flores do Seu Jardim.

Flores humanas paroquianas
Da Serreta e da ilha,
E de outras açorianas,
Com fervorosa partilha.

EU TE AMO Ó LINDA MÃE!
E CHORO MAIS DE ALEGRIA,
OFERTAS FAZEM POR BEM
PORQUE HOJE É O TEU DIA!

Oito do mês de setembro,
Reina numa quinta-feira,
E desde que eu me lembro,
É festiva a ilha inteira.

Mas mais agora a silhueta,
Do Teu Rosto versificado,
Que sorri pela Serreta,
E também chora de lado.

Viva toda a Nossa Gente,
Em completa União,
O brilho Omnipotente,
É verdadeira Comunhão!

ÁMEN!

Rosa Silva ("Azoriana")

Natural da freguesia da Serreta, batizada na Igreja, atual Santuário, de Nossa Senhora dos Milagres.

Autoria e outros dados (tags, etc)

A uma perecida Estalagem

por Rosa Silva ("Azoriana"), em 04.09.22

Meu amor estou esquecida
De à tua porta bater
Foram-se os anos de vida
Que te vi resplandecer.

Hoje és a forte ruína
Sem encanto, nem beleza,
Esqueleto na colina
Só te resta a natureza.

Pobre dona de si mesma
Pobre altar, sem silhueta...
Dava p'ra escrever a resma
Da história da Serreta.

Não te vejo renovar,
Nem sequer sair do estado,
Nem vais servir para lar
Do povo do teu agrado.

Todos vão, ninguém cá fica,
Nem tu, ó vã Estalagem;
Eras bela e talvez rica,
Agora és feia miragem.

E de mim não tenhas penas
Nem de ti penas maiores
Porque são penas apenas
Das penas que são piores.

Adeus até mais partida
É a parte que tens certa:
Da metade de uma vida
Fechaste a porta aberta.

És lindo desenho eterno
Tão bonito no papel
De vê-lo, dou olhar terno,
Grat'a FÉLIX, Emanuel.

Rosa Silva ("Azoriana")

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Os escritos são laços que
nos unem na simplicidade
do sonho... São momentos!
Rosa Silva ("Azoriana")

DATA DE CRIAÇÃO
09/04/2004

A curiosidade aliada à
necessidade criou
o 1º artigo e continuou...
16 ANOS
2020/04/09


Não há rima para o tempo
Mas o tempo é uma rima
Que serve de passatempo
A quem o tempo estima.

Just a piece of me
to the amazing world.


RETALHOS DE MIM
Ser AMIGO afinal
É muito mais que amar
É dizer o que está mal
Sem nunca mal se ficar.
...
Isto não é artimanha
Nem coisa de fazer mossa
Há quem queira e não tenha
Há quem tenha e não possa.
...
Na encruzilhada do ser
Há desejos florescendo
Ansiosos por caber
Na lava que vai nascendo.
...
A poesia é a mais bela
Temperança do viver
Quando crescemos com ela
Mais cresce o nosso ser.

Angra do Heroísmo
ilha Terceira - Açores.


in DI Domingo.
Foto de António Araújo

SELO
Azoriana/Açoriana
Azoriana/Açoriana
@ 2004 etc.

(Usa Ctrl+C p/copiar
e Ctrl+V p/colar
o selo no seu blog)

VISITAS
Até 2015/03/30 tinha um total de 537.867 visitas.
Doravante estatísticas in SAPO
MEO KANAL
Canal nº 855035 - Azoriana no MEO Kanal



ISSUU

MEO CLOUD

Naturalidade:

Neste espaço residem pequenos fragmentos da alma serretense.
Um residente classificou-a como sendo fresca no clima e quente na hospitalidade. É, sem dúvida, uma freguesia fresca, pequena mas com uma grande alma.

É um "Cantinho do Céu", como a autora lhe chamou num dos seus artigos publicados.
Sob o pseudónimo de Cidália Miravento e na capa de "Azoriana", Rosa Silva vai reunindo coisas suas e de outros no intuito de divulgar a freguesia que lhe deu berço - SERRETA.

Bem-vindo à Serreta, a freguesia de Nossa Senhora dos Milagres desde 1/1/1862, do concelho de Angra do Heroísmo, ilha Terceira - Açores.




Links

Angrosfera

Blogues que sigo

Câmara Municipal AH

Dicionário

Jornal

O Blog que nos ajuda

Sítios onde estou

Voz dos Açores - gravações