Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Follow me...


Versos ao calhas

por Azoriana, em 26.01.18

O mote:

O verso que me valha
A quadra que me ajude
Hoje eu sou o que calha
O resto haja saúde.


Quadras:

Nem sempre fui assim
Sou corpo que trabalha
Para ter outro fim
O verso que me valha.

Nem queria que fosse
Uma letra em virtude
Apenas quero doce
A quadra que me ajude.

Não perco por querer
O que não atrapalha
Ontem tive o poder
Hoje eu sou o que calha.

É negra a esperança
Por muito que se mude
Se a voz pouco alcança
O resto haja saúde.

26/01/2018
Rosa Silva (“Azoriana”)

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


Os escritos são laços que
nos unem na simplicidade
do sonho... São momentos!
Rosa Silva ("Azoriana")
DATA DA CRIAÇÃO
09/04/2004

A curiosidade aliada à
necessidade criou
o 1º artigo e continuou...
DEZ ANOS
2014/04/09

Não há rima para o tempo
Mas o tempo é uma rima
Que serve de passatempo
A quem o tempo estima.


SELO
Azoriana/Açoriana Blog
Azoriana/Açoriana Blog
@ 2004 etc.
VISITAS
Até 2015/03/30 tinha um total de 537.867 visitas.
Doravante estatísticas in SAPO
MEO KANAL
Canal nº 855035 – Azoriana no MEO Kanal



ISSUU

MEO CLOUD





Links

Voz dos Açores - gravações